Review | A Lady de Lyon, de Julie Garwood

A Lady de Lyon é um romance de época publicado pela Editora Universo dos Livros. É o primeiro livro que leio da autora Julia Garwood e fiquei bem satisfeita com a experiencia. Esperava mais um romance simples de época, no mais do mesmo onde os protagonistas passariam por algumas dificuldades para ficarem juntos e fim, mas não é bem isso que acontece.

No inicio de cada capítulo, temos um fragmento do diário que a mãe da protagonista deixou para a sua filha, contando sobre o seu casamento e o motivo de Christina ter ido parar na América com sua mãe. A medida que conhecemos Christina e vamos entendendo os seus motivos de estar na Inglaterra, vamos entendo também o seu passado. Ela sabia, assim como todos os ouros em casa, que não havia um só osso submisso no corpo de Christina.

_Você está dizendo que vai tentar me matar depois que nos casarmos, mas, como eu sei me defender, você talvez não consiga realizar tal tarefa? E é por isso que você está se casando comigo?

Ele teve que balançar a cabeça quando terminou suas conclusões ilógicas.

_ Claro que não – respondeu Christina. – Que vergonhoso da sua parte pensar que eu gostaria de lhe fazer mal. Você tem uma mente distorcida, Lyon.

Eu fui surpreendida com esse livro. A interação do casal é divertida, com Christina, uma mulher decidida, mas completamente inocente das tramas da sociedade londrina, tendo que lidar com Lyon, que é tão autoritário e turrão quanto ela mesma. A cena mais divertida do livro – vou me controlar para não dar um spoiler– é quando Christina, ao tentar ajudar um amigo, acaba indo parar em um bar com frequentadores pouco amistosos. O que essa mulher faz no bar é de fazer chorar de rir.

Além da trama do romance, temos várias subtramas acontecendo em A Lady de Lyon: a tia tentando roubar o dinheiro de Christina – sem nem mesmo se preocupar se ela serie estuprada ou fosse morta no processo, a reaproximação do pai de Christina – outro que tem tantas boas intenções quanto a própria tia, roubos de pessoas da alta sociedade por um grupo de ladrões já conhecidos. E, no meio disso tudo, temos a própria Chritina desabrochando e procurando um meio de descobrir a verdade sobre a história de sua mãe biológica e um meio seguro de pegar sua herança e voltar para a sua família indígena na América.

Só posso dizer que amei o livro. Fiquei com vontade de ler mais obras de Julie Garwood, pois acredito que não será mais um romance simples com os quais estou acostumada (mas não deixo de ler, rs).

Confira aqui a resenha de Um amor para Lady Johanna.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here