Review | A Garota no Gelo de Robert Bryndza

A Garota no Gelo de Robert Bryndza foi o primeiro livro do autor a ser lançado no Brasil pela Editora Gutemberg.

Ele dá inicio a série de livros com a Detetive Erika Foster, que até o momento já tem mais 4 títulos lançados no Brasil.

SINOPSE: Seus olhos estão arregalados… Seus lábios estão entreabertos… Seu corpo está congelado… Mas ela não é a única. 

Quando um jovem rapaz encontra o corpo de uma mulher debaixo de uma grossa placa de gelo em um parque ao sul de Londres, a detetive Erika Foster é chamada para liderar a investigação de assassinato.

A vítima, uma jovem e bela socialite, parecia ter a vida perfeita. Mas quando Erika começa a cavar mais fundo, vai ligando os pontos entre esse crime e a morte de três prostitutas, todas encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, em águas geladas nos arredores de Londres.

Que segredos obscuros a garota no gelo esconde? Quanto mais Erika está perto de descobrir a verdade, mais o assassino se aproxima dela.

Com a carreira pendurada por um fio depois da morte de seu marido em sua última investigação, Erika deve agora confrontar seus próprios demônios, bem como um assassino mais letal do que qualquer outro que já enfrentou antes.

Há tempos ouço falar em Robert Bryndza, vejo muitos leitores gostando das histórias do autor e estes em geral estão ávidos por mais um de seus lançamentos, porém, como eu não sou uma grande leitora de livros policiais e apenas os pego ocasionalmente, nunca dei muita atenção ao autor até poucos dias atrás quando resolvi abrir A Garota No Gelo.

Espiei o prólogo e fiquei completamente cativada.

No entanto, nesse dia eu já estava em meio a outra leitura, então fechei A Garota no Gelo e resolvi que ele precisava esperar mais um pouquinho, apesar de ele ter ficado em minha mente por dias a fio, enquanto a curiosidade para realizar essa leitura por completo me corroía.

Assim que acabei a leitura do momento corri e finalmente pude conhecer a trama, que começa de uma forma tensa e na minha opinião de maneira muito bem feita e conduzida, de modo que o leitor é preso no livro a partir da primeira cena que descreve o assassinato de uma moça.

Assim, devorei a história de forma muito rápida, muito ansiosa para saber o que viria pela frente, mas como alguns conselhos já haviam me alertado, percebi que apesar de boa, essa é uma obra que possui alguns defeitinhos também.

Para começar, eu gostaria de destacar os pontos positivos: escrita fluída, capítulos intrigantes que nos fazem ficar com vontade de ler só mais um, apenas para descobrir o que acontece a seguir, e também gostei muito da construção de cenas que nos permitem uma boa visualização e trazem elementos com ótimas descrições.

Também, é interessante a representatividade apresentada pelo autor, abordando negros, gays, imigrantes, além de temas polêmicos como influência da mídia, do poder dos ricos, a situação dos imigrantes, dentre outras boas questões e, é claro, adorei o fato de vermos a vida pessoal dos personagens também e não só a investigação.

Porém, por outro lado, houve pontos que se tornaram incômodos para mim.

O primeiro ponto irritante, e talvez seja algo mais particular meu, foi a personalidade da detetive Erika e apesar de ela ser muito boa, inteligente e ótima de instintos ela me deixou frustrada em diversos momentos com sua impulsividade, pois todo mundo sabia que não ia dar certo aquilo que ela estava fazendo mas ela ia e fazia, e apesar de suas ações serem feitas para o bem, para corrigirem injustiças e etc, ainda assim ela escolhia os piores caminhos para agir, causando insubordinação, constrangimento e irritação em dezena de pessoas.

Ainda, em alguns momentos vários policiais soaram amadores e pareciam atores perdidos em uma cena de gravação, ao invés de pessoas competentes e com longas carreiras, sem contar o final, onde fui surpreendida por quem era o assassino, mas achei estranha a resolução do caso, pois foi apresentado quem fez, mas o porquê tal pessoa fez não ficou muito claro.

Apesar desse equilíbrio entre coisas boas e ruins, achei o autor muito promissor, certamente irei ler mais coisas dele e recomendo bastante a leitura de A Garota no Gelo.

Vamos seguir lendo os outros livros do autor e logo traremos as resenhas dos próximos episódios da Detetive Erika Foster.

E você, gosta de livros de suspense? Qual seu livro favorito?

E já leu algum livro do Robert Bryndza? Qual gostou mais?

Vamos conversar nos comentários.

E Não se esqueça que temos muitas outras indicações, clique aqui e conheça um pouco mais.

E Curta o Site Mundo Hype nas redes sociais, compartilhe com amigos e continue por aqui.

#pracegover A capa do livro traz uma parte de um rosto congelado de uma mulher onde o maior detalhe são os cílios de seus olhos fechados.

2 COMENTÁRIOS

  1. Adoro essa série com a minha xará Erika Foster. 🙂
    Já vou ler o quarto da série “O último suspiro”.
    Ótima resenha!

    • Que bom que você gosta Erika. Eu já li os outros livros da serie também e em breve trago as resenhas. Qual seu favorito até agora?

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here