Review | Misery: Louca Obsessão de Stephen King

Ele se recostou, cobriu os olhos e tentou agarrar-se à raiva que sentia, pois a raiva o deixava valente. Um homem valente conseguia pensar. Um covarde, não.

Sinopse: Paul Sheldon descobriu três coisas quase simultaneamente, uns dez dias após emergir da nuvem escura. A primeira foi que Annie Wilkes tinha bastante analgésico. A segunda, que ela era viciada em analgésicos. A terceira foi que Annie Wilkes era perigosamente louca.Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho. A simpática senhora é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegará ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, em “Misery – Louca Obsessão”, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo.

REVIEW

Há muitos anos atrás o escritor Stephen King nos presenteou com a luta de Paul Sheldon contra a psicopata Annie Wilkes, ele preso em uma cama e debilitado pelo acidente que o trouxe para perto do seu ‘’anjo da morte”, ela dona de toda a situação e de um vigor reforçado por sua loucura obsessiva, uma desvantagem insuperável pra ele? É o que Stephen King vai nos mostrar nessa jornada, onde o amor nem sempre é uma coisa boa.

-Paul, eu estou avisando. Se essa pessoa ouvir algum barulho, ou se eu ouvir algum barulho e pensar que ela ouviu, eu mato seja lá quem for, quantos forem, depois mato você, e aí me mato.

Paul é famoso por uma série de livros protagonizados por Misery Chainstar, dedicado  ao público feminino, ele tem fama, tem dinheiro mas lhe falta o principal e por isso decide matar Misery em seu último romance pra poder escrever aquilo que vai lhe trazer realização pessoal, ele não sabe ainda mas a sua fã número 1, e não ouse achar que ela não é, não gostou nada da ‘’porcaria’’ que ele escreveu e o destino proporcionou a Annie a oportunidade de corrigir esse deslize de Paul, e não há ninguém no mundo mais convincente que ela. Uma das personagens mais sádica e assustadora que o mestre do terror já criou mas confesso que em alguns momentos fico tendenciado a compreender os motivos de Annie e julgo que é desse entendimento que Stephen King teve a ideia de escrever esse romance, certamente ele já deve ter sido ameaçado por algum leitor ( que seja por cartas ou durante uma sessão de autógrafos) que não gostou de algum fim que ele deu a um de seus personagens, sim, pois num livro dele nunca é garantido que o protagonista não morra no final e isso inclui o próprio Paul Sheldon, tornando mais angustiante acompanhar seu martírio nas mãos de Annie sem saber se ele sairá  vivo na última página.

-Acho que você pensa em escapar. Como um rato na ratoeira, não é? Mas você não vai escapar, Paul. Se essa fosse uma das suas histórias, talvez você conseguisse, mas não é. Eu não posso deixar você ir embora… mas posso ir com você.

Por muito tempo esse livro de King foi considerado raro aqui no Brasil pois sua última publicação foi pela extinta editora Francisco Alves só sendo possível a sua compra em sebos por preços abusivos, e agora a Suma de Letras dá esse presente aos fãs do terror, com um excelente trabalho de diagramação e layout, sem esquecer de manter as partes em que o leitor pode acompanhar o texto ‘’original’’ de  Paul Sheldon trazendo Misery de volta a vida no formato em que ele sai da máquina de escrever faltando algumas letras pois a que  Anne tão ‘carinhosamente’ conseguiu pra ele, está tão quebrada quanto sua mente, dando um prazer maior na leitura, adoro esse tipo de criatividade, dá um toque especial de intimidade  a trama nos fazendo sentir mais próximos das personagens.
A escolha da capa é de extremo bom gosto e trás o subtítulo ‘’ Louca Obsessão ’’ que é o título da adaptação cinematográfica desse magnifico livro e aliás uma ótima pedida dá uma olhada em Kathy Bates como Annie numa soberba interpretação de tirar o folego. Não estranhe que apenas Paul e Annie sejam citados pois é basicamente o que você acompanha durante o livro mas quem segura sua mão é Stephen King e ele é capaz de tudo dentro da literatura, garantia de uma excelente viagem.
Ps: Durante a elaboração dessa resenha o teclado deu problema e as letras ‘’Q,A,Z’’ pararam de  funcionar, maldita Annie Wilkes.

Resenhas por: Marcos Antonio

REVER GERAL
Nota
9
Admin - Sou a romântica desse enorme Multiverso! Livros são minha eterna paixão, HQs entraram arrombando a porta do meu coração e estão me levando a uma alegre falência... como não se apaixonar pelo Batman ou não amar o Aquaman vulgo Jason Momoa. Este é o meu mundo! Seja bem vindo a ele!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here