Review | Lock & Mori de Heather W. Petty

Na Londres moderna, dois estudantes brilhantes se conhecem, e se desafiam a resolver o mistério envolvendo um assassinato no Regent’s Park, um dos parques reais da capital britânica. Com a polícia sem pistas para o crime, Sherlock Hollmes, um jovem excêntrico e socialmente estranho com uma obsessão por resolver enigmas  desafia sua colega de sala, a jovem James Moriarty, para desvendar o crime antes que ele o faça. Há só uma regra: as informações descobertas serão compartilhadas um ao outro.

A autora Heather W. Petty

A sinopse acima abre o livro que a Galera Record publicou recentemente, Lock & Mori, da estreante Heather W. Petty. A primeiro momento, a história me atraiu porque colocou  Sherlock Holmes com seu arquiinimigo James Moriarty como quase parceiros, ainda que rivais. Lembro que ao ler a obra de Arthur Conan Doyle, Moriarty realmente não causou uma boa impressão e quem se lembra das adaptações para o cinema, com Jared Harris no papel em Sherlock Holmes: A Game of Shadows ou com Richard Roxburgh na adaptação da Liga Extraordinária de Alan Moore ao cinema em sabe bem do que estou falando. Mas quando a série do Sherlock da BBC saiu, o personagem ganhou relevância para comigo (graças ao desempenho eletrizante de Andrew Scott). E com isso na mente, não sabia muito bem o que esperar de James Moriarty, da Sra. Petty, que é, de fato, uma garota aqui.

Narrada por Mori, logo a autora não iria fazer dela um psicopata, como em outras obras que utilizam o personagem de Doyle. Uma conclusão é certa, apesar de ser uma obra juvenil, enquanto toma muitos nomes das histórias do escritor britânico, estabelece uma origem até que convincente para Sherlock e Moriarty.

Os personagens-títulos são bem diferenciados, mesmo usando os clássicos como base, Mori e Lock são bem construídos. Mori é rápida, exagerada, perspicaz e não tem paciência para a estupidez, enquanto Lock é temperamental, intrigante, lógico e com bastante paciência. E ao  longo da narrativa, um affair por seu rival ocorre apesar de ter pontos de vista e idéias muito diferentes. Uma relação que evolui, em meio a decisões e desacordos, mas como são inspirados por Sherlock e Moriarty, os conflitos aparecem.

Outro aspecto que gostei, mas não esperava neste gênero de livro, pela faixa etária que saiu, foram as abordagens com os problemas que em casa os protagonistas possuem. Mori, por exemplo, lida com um pai alcoólatra e três irmãos mais novos em casa. E algumas cenas de abuso físico foram bem violentas e gráficas. para o leitor, alguns poderão ter certa dificuldade em ler essas cenas. Já em relação ao mistério, ficou bem fácil já na metade do livro, mas mantem a leitura comprometida pela resposta e reação de Mori e Lock aos eventos e pistas.

De leitura rápida e entretida, Lock & Mori, uma reimaginação do mundo de Arthur Conan Doyle abre uma nova série de livros juvenis, que nesse primeiro volume traz um mistério, fácil de desvendar, mas que mudará as vidas dos protagonistas para sempre. As interações e a progressão dos personagens são suficientes para que a série desenvolva um olhar convincente para estes jovens James Moriarty e Sherlock Holmes.

REVER GERAL
Leitura
8,0

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here