Review | Doze Anos de Escravidão de Solomon Northup

A esperança é um alimento da nossa alma, ao qual se mistura sempre o veneno do medo. - Voltaire

“Com o remo, Burch começou a bater em mim. Golpe após golpe foi infligido sobre meu corpo nu. Quando seu incansável braço finalmente se fatigou, ele parou e perguntou se eu ainda insistia em ser um homem livre. Eu insisti, e então os golpes recomeçaram, mais rápidos e com mais força, se é que isso era possível’’

Entre muitos e muitos sucessos que o cinema pode nos proporcionar, a maioria deles são baseados em grandes livros clássicos e Best-sellers. Com DOZE ANOS DE ESCRAVIDÃO não seria diferente. O livro tem um título bem sugestivo, porém a história tem muito mais a nos contar do que a breve sinopse apresentará aqui. A história teve sua primeira publicação em 1853 e a edição escolhida para essa história, é da EDITORA PENGUIN (COMPANHIA DAS LETRAS) que reúne vários e vários outros grandes clássicos da literatura mundial. O filme teve sua estréia em 2013 e reuniu um elenco de peso, como Chiwetel Ejiofor, Lupita Nyong’o, Michael Fassbender, Brad Pitt, Benedict Cumberbatch, entre outros. Foi indicado a 9 Oscar’s e levou pra casa 3, incluindo o de melhor filme.

Salomon Northup era um homem livre que vivia com sua esposa e filhos em Nova York. Seduzido por uma promessa de ganhar um pouco mais de dinheiro, Solomon seguiu em uma viagem que se arrependeria pelo resto de sua vida. Confiou em homens que o roubaram, tiraram seus documentos e pela cor de sua pele Salomon foi declarado escravo e comercializado facilmente no mercado como um homem que nunca havia sido livre.

12 ANOS DE ESCRAVIDÃO - MULTIVERSO NEWSApesar de passar por várias situações humilhantes para um ser humano, ser açoitado por nada, passar fome, ser ameaçado, enforcado e espancado várias e várias vezes, Solomon nunca perdeu a esperança de que um dia voltaria pra casa, mesmo o destino se mostrando potencialmente desfavorável. Ele foi um corpo em frangalhos e um espírito inquebrável, sua fé inabalável o ajudou a seguir em frente mesmo sem um pingo de evidências de um futuro melhor.  

O que muitos chamam de sorte, Solomon chamava de experiência. Ao passar dos 12 anos em que foi chamado de Platt (seu nome enquanto escravo), Solomon se segurou para não chorar quando se deparava com a tristeza de seus desafortunados colegas de escravidão, e percebeu da pior forma possível que tentar provar ser um homem livre poderia ser a pior coisa a se fazer. 

O livro é um grande baú de desventuras, mas com um fundo otimista, pelo menos do ponto de vista do personagem principal. Os dias de Solomon ficaram tão negros e pioraram conforme a narrativa desenvolve, que fica difícil acreditar em uma utópica liberdade. Basicamente como diz o velho ditado: A noite é sempre mais escura antes do amanhecer.


12 ANOS DE ESCRAVIDÃO - MULTIVERSO NEWSEu sou suspeito pra falar sobre histórias baseadas em fatos reais e biografias. Deixei claro aqui no MN várias vezes minha paixão por histórias desse gênero, e com Doze anos de escravidão foi a mesma coisa. Eu caminhei o inverso do que estou acostumado, assisti ao filme em meados de 2014 e somente agora fui ler o livro porque eu sei que o livro é muitas vezes melhor que o filme. Não me arrependi em nenhum momento e serviu pra refrescar minha memória. 

A narrativa do livro é essencialmente pessoal, Solomon narra de uma forma pouco utilizada nos livros, como se estivesse de fato tendo um bate papo com você. Uma riqueza de detalhes e lembranças, que poucos conseguiriam. Lógico que a memória de ninguém conseguiria lembrar de tal detalhe ao longo de 12 anos, mas seu editor foi checar cada fonte antes de publicar o livro, pra não esbarramos em nenhuma inverdade ou ficção. Mesmo com essas características Solomon vai e volta no tempo, com pequenos comentários e temos que ficar em plena atenção para não se perder, em variados capítulos pode parecer mais cansativo, mas não menos interessante

12 ANOS DE ESCRAVIDÃO - MULTIVERSO NEWSO que causa mais emoção no livro, é justamente a injustiça que sofre Solomon em ser capturado e levado a outros estados onde um negro não tinha voz alguma. Sua tristeza pela falta de sua família nos pega de primeira, e começamos a torcer por ele de uma forma que não tem explicação, (pois desde o começo sabemos que são apenas 12 anos que ele será escravo), mas mesmo assim parece que estamos na pele dele e queremos nos livrar logo desse castigo do destino.  

Minha ultima recomendação é que leia o quanto antes, um livro relativamente curto, que vale cada pingo de tempo. Sempre me comove histórias como essas que não apenas mostram que existe pessoas ruins, mas que no meio de toda essa sujeira há homens de bom coração que lutam também para o fim de um mal maior. Há muitas e muitas tragédias na história da humanidade, as guerras, as drogas, a fome, o holocausto, entre outras, e já trouxemos algumas histórias bem interessantes aqui no MN. Então pra que não saia desse Multiverso, aproveite e leia também CUMBE, PERSÉPOLIS, e o MUNDO DE AISHA.

SOLOMON NORTHUP foi um homem livre sequestrado em Washington e submetido à escravidão em 1841. Logo após ser libertado, publicou suas memórias, que fizeram grande sucesso, e processou seus sequestradores, que nunca foram condenados. Os detalhes de sua vida depois disso são desconhecidos, mas acredita-se que tenha morrido em Glen Falls, no estado de Nova York, por volta de 1863.

12 ANOS DE ESCRAVIDÃO - MULTIVERSO NEWS

REVER GERAL
Nota
8
Leitor compulsivo, bebedor de café e entusiasta quando se trata de leitura. Técnico em Marketing por formação e Locutor por paixão. A minha missão declarada é te tornar um leitor tão apaixonado quanto eu. A leitura é uma fonte inesgotável de conhecimento, todo livro é interessante, basta conhecer a si mesmo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here