Como eu já declarei aqui na review de Skip Beat, eu não sou fã de mangás de romance, por isso eu fiquei tão relutante em ler Orange, mesmo sabendo que o mangá falava sobre viagem no tempo e universos paralelos (que são temas que eu adoro). Até que eu resolvi ler e foi uma experiência muito boa. Então vem comigo que eu vou contar sobre ele aqui para vocês…

Mangaká: Ichigo Takano

Volumes: 5 (finalizado)

Genero: Romance, Slice of life, drama, psicológico, Mistério, Sobrenatural

Tipo: Mangá

Ano: 2002

Editora: Shueisha/Futabasha

Serializado em: Bessatsu Margaret/Monthly Action

Orange conta a história de Naho Takamiya uma menina muito tímida que, em seu primeiro dia de aula no 2° ano do ensino médio, recebe uma misteriosa carta datada de 10 anos no futuro. O seu conteúdo relata com detalhes sobre todos os acontecimentos do dia de Naho, e ela descobre que, não só o que estava escrito realmente acontecia como também o remetente era ela mesma.

O objetivo da misteriosa carta é direcionar a “Naho do presente” para impedir o maior arrependimento da vida da “Naho do futuro”: o suicídio de Kakeru Naruse, seu primeiro amor, que por coincidência, entra para escola no mesmo dia em que ela recebe a carta. Como essas cartas chegam até Naho? Por que Kakeru irá se matar? E o mais importante: será mesmo que saber o que vai acontecer ajudará a impedir o futuro de outra pessoa?

Em um primeiro momento, você até pode ter a mesma impressão que eu tive sobre Orange, que seria um mangá bobinho, ou super dramático. Sim, ele tem uma pegada de drama, mas ele em momento nenhum é um mangá pesado, apesar de falar sobre suicídio (eu gostaria muito de falar mais sobre a história nesse ponto, mas não vou soltar spoilers), até porque, o ponto principal da história no meu ponto de vista, é a amizade e como a amizade pode transformar uma pessoa e eram nos momentos em que a amizade do grupo era mostrada, que eu mais me emocionei, eles fazem de tudo pelo amigo e você sente como aquilo é verdadeiro e bonito

A parte do romance é bem imperceptível. Naho e Kakeru se gostam e a mangaká deixa isso bem claro, sem forçar nada. Ao mesmo tempo em que você sabe que eles se gostam, você percebe que, além disso, eles são amigos e Naho faria a mesma coisa para qualquer um do grupo. É claro que a parte que mais me chamou atenção, foi sobre a viagem no tempo. Como a carta poderá viajar ao passado? E isso é discutido ao longo dos cinco volumes do mangá, até a parte em que eles revelam isso.

O mangá tem uma história muito curiosa relativa à sua publicação, Orange fez sua estreia em 2012, na revista Bessatsu Margaret e fez muito sucesso, mas o que fez esse mangá se tornar famoso dentro das redes sociais, foi o fato da série de ter renascido. Após o capítulo 9, Orange entrou em hiato, tendo apenas dois volumes publicados e a autora Takano Ichigo resolveu apagar todas as suas contas na internet, mas antes disso, postou em seu blog pessoal uma nota comentando que não estava aguentando a pressão de ser mangaká. Alguns meses depois o site da Betsuma removeu todos os links para informações sobre o mangá, sem dar qualquer declaração, ou nota oficial de cancelamento, acredita-se que o desentendimento tenha ocorrido por conta de cumprimento de prazos. Em 2013, a série mudou de editora, da Shueisha foi para Futabasha e o mangá voltou à ativa para a alegria dos fãs. A própria Takano Ichigo voltou a ter um site pessoal e postou uma nota para os fãs explicando que teve alguns problemas de saúde. A mudança de revista, não afetou em nada na essência da história, a gente nem percebe que isso mudou.

Ano passado a JBC publicou o mangá aqui no Brasil, no formato original de 5 volumes, para a alegria dos fãs brasileiros. Se você ficou curioso, recomendo muito esse mangá, cada página vale a pena e você não vai se arrepender.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here