Review | Holandeses de André Toral

A época da escravidão, principalmente no Brasil, já teve diversas representações e é conhecida como a fase mais odiosa de nossa história, com os negros sendo trazidos para nosso país e sendo explorados das mais diversas formas, seja no trabalho pesado da lavoura, nos afazeres domésticos, como soldados ou como escravos/escravas sexuais, nesse contexto temos um retorno do renomado André Toral aos quadrinhos, autor dos aclamados, Adeus, Chamigo Brasileiro (Companhia das Letras) e Os Brasileiros (Conrad).

Toral retorna com seu tradicional traço em contraste com uma intensa pesquisa histórica e cria uma bela Graphic Novel na época das explorações, descobertas e guerras pelo nosso país no início do século XVII. Holandeses nos coloca como espectador da saga dos irmãos Cástor e Esaú que resolvem tentar a sorte em Pernambuco, acreditando que irão encontrar tribos perdidas de judeus no interior do nosso país e assim buscam os sinais do retorno do Messias.

Ao chegarem, seus objetivos e suas ambições mudam drasticamente, Esaú se interessa avidamente pelo crescente e lucrativo comércio de escravos e vê ali um modo de enriquecer facilmente enquanto Cástor encontra o amor pela terra, pelo povo e pelas paisagens exuberantes do local que estão, continuando sua trajetória de pintor, ofício que já exercia em Amsterdã.

Porém, a crescente cobiça de Esaú os leva à um caminho de dor e conflito entre os irmãos, resultando em uma tragédia de proporções inimagináveis para ambos, aumentando o conflito também entre os países que possuíam bases em Pernambuco e as milícias locais de indígenas e portugueses, causando a intervenção direta da Holanda para resolver os conflitos.

Holandeses nos impacta pelo seu posicionamento histórico, um período que realmente aconteceu em nossa trágica história de exploração no início da descoberta pelos colonizadores europeus, período enquanto não se possuía nenhum controle do que acontecia em nosso território e quem mandava e deixava de mandar eram estrangeiros, nosso povo era explorado e forçado a formar alianças para sobrevivência, uma aula de história em formato de HQ, gibi, Graphic Novel, como preferir chamar, mas uma obra necessária e que merece a lida por todos os fãs e estudantes de história, romantizada sim, mas extremamente acertada historicamente.

Vale citar que a edição também conta com uma extensa pesquisa e uma bibliografia como extra, com uma linha do tempo cruzando os acontecimentos históricos com os fatos passados na HQ por Cástor e Esaú, e também toda a tensão política vivida no século XVII, parabéns a editora Veneta e ao autor André Toral pela rápida e eficiente aula de história!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here