Zero Hora foi uma minissérie retroativa em cinco edições escrita e desenhada por Dan Jurgens, e que serviu principalmente para consertar algumas inconsistências que havia na cronologia do Universo DC em decorrência de Crise nas Infinitas Terras.

4655999-01-new-edition

Alguns acontecimentos que antecederam Zero Hora foram a queda do Batman, a morte e retorno do Superman, o que acarretou na destruição da cidade de Coast City, e que acabou levando o lanterna verde Hal Jordan à loucura, chegando ao ponto de absorver os poderes da Bateria Central de Oa, e assassinar muitos membros da Tropa e quase todos os Guardiões do Universo, tornando-se Parallax. A Sociedade da Justiça da América é resgatada do Limbo ainda com suas aparências joviais devido à magia em que se encontravam. Há ainda os acontecimentos da saga Armageddon 2001, onde o cientista Matthew Ryder torna-se o herói Tempus que retona ao passado com a intenção de identificar e destruir o vilão Monarca. Ao final dessa saga, descobre-se que o herói Rapina acaba se tornando a versão do Monarca que aterroriza a época em que Ryder vive. Porém, num confronto posterior, o Monarca acaba se tornando o vilão Extemporâneo e foge no fluxo do tempo.

Com essas informações anteriores, começa a saga Zero Hora, onde Tempus e os Homens Lineares que observam anomalias temporais, notam que vários segmentos de tempo e do espaço estão se desfazendo. Tempus resolve investigar e acaba descobrindo que Extemporâneo está de volta e causando toda essa anomalia. Ao tentar buscar ajuda, Tempus acaba testemunhando os sacrifícios de Wally West e uma versão em início de carreira de Hal Jordan como Lanterna Verde. Mesmo assim, Tempus consegue a ajuda de todos os heróis da Terra, inclusive de alguns heróis que misteriosamente acaba aparecendo no universo principal devido às perturbações cronológicas, como uma versão alternativa da Batgirl e o Centurião Alfa.

A SJA enfrenta Tempus e são facilmente derrotados, inclusive com seus membros voltando à suas condições físicas de acordo com suas idades avançadas, com exceção de Alan Scott que ainda se mantém jovem. Descobre-se que o Extemporâneo está mais poderoso do que antes pois agora ele possui os poderes combinados de Rapina, Columba, Monarca e do próprio Tempus. Enquanto várias linhas temporais começam a se mesclar fazendo com que o universo entre em colapso, Superman, Mulher-Maravilha, Capitão Átomo e Metron conseguem corrigir a falha e deter a Entropia.

Quando a crise parecia ter acabado, surge o verdadeiro vilão por trás de tudo – Hal Jordan Parallax. Em sua obsessão em trazer Coast City de volta, Hal decide destruir toda a existência e recomeçar tudo. A Legião dos Super-Heróis no futuro foram suas primeiras vítimas. Jordan está usando energia cronal para recriar novos mundos, mas Tempus consegue salvar alguns heróis poucos segundos antes da destruição da existência. Com a ajuda do Espectro, esses heróis sobreviventes conseguem impedir Parallax, e num último ato de heroísmo, o Arqueiro Verde mata Hal Jordan, seu melhor amigo, a fim de salvar toda a existência.

Zero Hora serviu não somente para corrigir incongruências da Crise nas Infinitas Terras, mas também trouxe algumas mudanças no status de alguns heróis como a Legião dos Super-Heróis, Gavião Negro, SJA e Eléktron. Além disso, os acontecimentos em Batman: Ano Dois foram apagados, e até mesmo o passado de Selina Kyle contado em Batman: Ano Um de Frank Miller foi mudado.

Mais uma vez, Dan Jurgens mostra todo o seu vasto conhecimento sobre o Universo DC ajudando a aparar sua cronologia. Tanto é que, logo após o término de Zero Hora, todos os títulos foram lançados com a numeração “0” e servindo como um excelente ponto de partida para novos leitores. Uma luta pela sobrevivência da própria existência onde o altruísmo deve falar mais alto. Vale a leitura.

Por Roger 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here