Após a saga “Crise nas Infinitas Terras”, A DC decidiu reformular seus três principais heróis – Superman, Batman e Mulher-Maravilha. Coube a George Pérez (a principio somente nos desenhos, mas a partir da edição #2 nos roteiros também) a tarefa de recontar a história da Mulher-Maravilha, a guerreira amazona.

tumblr_nlzv9uk2xw1tmzl4oo1_1280

Durante uma batalha contra a Antimonitor na saga “Crise nas Infinitas Terras”, a Mulher-Maravilha é atingida por um raio e dada como morta. Porém, o que realmente aconteceu foi que ela acabou retornando no tempo e renasceu do barro pelas mãos de sua mãe Hipólita. Ainda durante a Crise, as amazonas – achando que Diana estava morta – pediram para os deuses apagarem sua existência e sua ilha da história. Portanto, Pérez pôde realmente começar tudo do zero.

Em sua nova versão, as amazonas foram criadas pelos deuses gregos, Steve Trevor nunca caiu em Temyscira antes do nascimento da Mulher-Maravilha e Diana nasceu com um propósito bem definido – ao se tornar adulta, ela deveria se aventurar pelo mundo e enfrentar Ares, o Deus da Guerra. Além disso, ela nunca fez parte da Liga da Justiça. O único problema desse reinício foi explicar a origem da Moça-Maravilha, mas isso é outra história.

Pérez retratou muito bem as intrigas dos deuses gregos, o relacionamento fraternal entre as amazonas, e uma Mulher-Maravilha ainda ganhando experiência, contando com a ajuda dos deuses, mas determinada. O primeiro arco mostra a jovem guerreira enfrentando desafios quase que impossíveis, repletos de muita ação e emoção.

Além disso, os personagens coadjuvantes como Steve Trevor, Ten. Candy, Professora Kapatelis, etc, foram muito bem explorados. Os desenhos de Pérez estavam no seu auge e ele desenvolveu muito bem o lado mitológico. A primeira edição inteira mostra os deuses, as amazonas e toda as subtramas que se desenvolveriam no decorrer da série. O lado “humano” também foi muito bem desenvolvido – a reação das pessoas à presença da “Embaixadora de Temyscira” e os laços de amizade entre Diana e Kapatelis.

“Mulher-Maravilha”, de George Pérez, é uma obra obrigatória para todos aqueles que gostam de uma boa história em quadrinhos contendo uma temática adulta e relevante, pois além de explorar o rico universo da amazona, ainda mostra a determinação e coragem, ambas necessárias para fazer o que é certo (mesmo que isso signifique, em algumas ocasiões, ficar contra sua própria natureza e sua criação).

Por Roger

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here