Li Esquadrão Suicida #1-8, do encadernado Suicide Squad: Rogues.

es-17-25

Esquadrão Suicida #17, 18 por John Ostrander e desenhos de Luke McDonnel.

O jihad está de volta em busca de vingança e empreendem um ataque extremamente brutal à Nova York, provocando uma chacina de inocentes. Eles exigem que o governo americano entregue os responsáveis por terem atacado Qurac no passado. Porém, o Esquadrão precisa deter o Jihad agindo em secreto. Enquanto isso, Amanda Waller tenta se livrar da chantagem de Derek Tolliver que está obrigando a líder da Força Tarefa X a ajudar a eleger o senador Cray, caso contrário, a existência do Esquadrão Suicida corre o risco de acabar por serem expostos ao público. Para deter o Jihad, cada membro recebe ordens específicas e somente Sombra da Noite resolve ir por conta própria, já que ela estava de repouso devido à última missão na Dimensão das Sombras, o que prova ser uma boa ideia, já que ela acaba salvando Víxen. O Capitão Bumerangue é o único que falha em sua missão, mas Rick Flag vem em seu auxílio.

As ações do Esquadrão Suicida no passado não ficaram impunes, e o grupo terrorista Jihad, em busca de vingança acaba deixando um rastro de corpos. Uma história eletrizante e com muita ação, com bons momentos entre os personagens, uma marca registrada dos roteiros de John Ostrander no título.

Esquadrão Suicida #19 por John Ostrander e desenhos de Luke McDonnel.

Nêmesis consegue retornar à Belle Reve. Dentro da prisão, as coisas andam em seu ritmo normal, com Amanda Waller até mesmo precisando apartar uma briga entre seus funcionários. Além disso, ela pede ajuda ao Xeque-Mate para investigar o passado de Tolliver, e ela própria tenta descobrir quem é realmente a Duquesa – Waller desconfia que a Duquesa, que alega amnésia, é uma das guerreiras de Apokolips. Rick Flag ouve uma conversa entre Tolliver e Waller e descobre sobre a chantagem.

A história toda é narrada pela própria Amanda Waller e é mais humorístico até agora. Mostrando toda a versatilidade de Ostrander em mesclar momentos tensos e de suspense, com boa doses de diversão.

Esquadrão Suicida #20 por John Ostrander e desenhos de Luke McDonnel.

Capitão Bumerangue continua agindo disfarçado como Mestre dos Espelhos para efetuar seus roubos, mas é capturado pelo Caçador. Em Belle Reve, Amanda decide recrutar o “Mestre dos Espelhos” para uma missão em que eles devem deter uma organização chamada Loa que uso de vodu para cometer seus crimes. O problema é que o Capitão Bumerangue também é designado para ir junto. Durante a missão, o Esquadrão é dividido em dois grupos, e o Capitão Bumerangue e o “Mestre dos Espelhos” são enviados cada um em um grupo. A confusão está armada, e no final, descobrimos que foi tudo um plano de Waller para desmascarar Bumerangue, já que ela desconfiava das atividades paralelas do vilão.

Uma história muito bem elaborada, onde só ficamos sabendo das verdadeiras intenções e objetivos no final. Porém, mesmo assim, quando parecia que estava tudo resolvido, ainda resta uma surpresa nos últimos quadros. Uma ótima trama.

Esquadrão Suicida #21, 22 e 23 por John Ostrander e desenhos de Luke McDonnel.

Depois de um tempo sob pressão, Waller, por meio do Xeque-Mate, descobre uma sujeira no passado de Tolliver e consegue acabar com a chantagem. O problema é que Flag não sabe disso, e cada vez mais introvertido e temendo o fim do Esquadrão, vai resolver a situação ao seu modo, ou seja, matar Tolliver e Cray. Ele viaja escondido até Washington e mata Tolliver. Waller descobre o que está acontecendo e envia um grupo para deter Flag. Rock se encontra com Cray, e quando estava para atirar no senador, surge o Pistoleiro que resolve as coisas da única forma que ele sabe. A polícia começa a investigar sobre a morte de Tolliver e se apodera de um dossiê que conta tudo sobre a existência do Esquadrão Suicida. O grupo é exposto.

Na edição #23, temos um interlúdio onde o grupo se envolve na saga Invasão. A trama intrincada envolvendo a chantagem sobre Amanda Waller tem um desfecho surpreendente, com o Pistoleiro resolvendo a situação de uma maneira inesperada. Várias subtramas ficaram indefinidas, principalmente com relação ao futuro de Waller e seu grupo secreto.

Esquadrão Suicida #24 e 25 por John Ostrander e desenhos de Luke McDonnel.

Amanda vai à Washington para prestar contas diante de uma comissão do Congresso Nacional. Ela aproveita a oportunidade para enviar o Esquadrão em uma missão para resgatar uma freira na África Oriental para tentar melhorar a imagem do grupo perante o público e a imprensa. O grupo consegue resgatar a freira, mesmo enfrentando até mesmo a traição de alguns vilões que desejavam fugir. Em Washington, o senador que lidera a comissão estranhamente recomenda que o Esquadrão seja sancionado oficialmente e patrocinado como uma agência do governo. Amanda deveria deixar o comando à cargo de um tal de Danfield Kale. Na verdade, tudo não passou de um plano de Waller, para continuar no poder – ela revelou ao senador que sua filha é a Sombra da Noite e está trabalhando secretamente.

Com isso, chega ao fim a fase de John Ostrander e Luke McDonnel. As histórias seguintes teriam um novo desenhista, embora Ostrander continue à frente dos roteiros. Foram dois anos de excelentes histórias recheadas de ação, espionagem e um ótimo desenvolvimento dos personagens.

Por Roger

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here