Veja a análise do Planeta sobre Convergência – Superboy e Aço, lançado pela Panini.

convergencia-superboy-e-aco-600x917

Sinopse:

Superboy tem mesmo o direito de ser o novo Homem de Aço? A resposta depende do resultado de sua batalha contra o Superman de Reino do Amanhã! Em outra versão de Metrópolis, Aço enfrenta alguns dos integrantes do GEN 13 em uma luta avassaladora.

(Convergence: Superboy 1-2; Convergence: Superman – Man of Steel 1-2 )

Análise:

Superboy por Fabian Nicieza.

“Será que eu honrarei a lenda?”.

Kon-El, o Superboy que substituiu temporariamente o Superman, logo após a história A Morte do Superman recupera seus poderes após a queda do domo. Seus adversários são versões de Superman, Robin Vermelho e Flash de uma Terra alternativa. Basicamente a história se resumiria a isso, se o escritor Fabian Nicieza não focasse o desenvolvimento da trama em cima do que significa ser o Superman. Tanto a versão alternativa do Homem de Aço, quanto o jovem clone provaram por meio de suas ações que honram o nome que carregam (ou que desejam carregar, no caso do Superboy). Uma leitura recomendada principalmente para os fãs da mitologia do Superman.

Aço por Louise Simonson.

John Henry Irons e seus sobrinhos ficaram presos no domo em Metrópolis. Como não tinha poderes, John continuou a ajudar a cidade apenas contando com sua armadura e suas habilidades como o herói Aço. Porém, com a queda do domo, é hora de enfrentar o jovem grupo Gen-13. Em desvantagem numérica, Aço acaba tendo uma ajuda inusitada do vilão Parasita. Loiuse Simonson é a criadora do herói com armadura de aço e certamente conhece bem o personagem e seu universo. A história em si é bem simples, assim como muitas outras dessa saga Convergência, mas o que eu não gostei foi a narrativa datada e algumas soluções mal explicadas. Leitura não recomendada.

Por Roger

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here