Relembrando Animes – Shurato

S-H-U-R-A-T-O… Soletrava o Narrador, quando começava a abertura do anime que vamos relembrar, hoje.

Criado por Hiroshi Kawamoto, teve seu mangá lançado em janeiro de1987 e em 1989, ganhou sua versão para as telinhas com 38 episódios, mas seu final só foi contado em um ova, lançado em 1991. Aqui no Brasil, o
anime chegou em 1996, pela extinta TV Manchete. Com a Explosão de Cavaleiros dos Zodíacos, vários animes/mangás que saíram na mesma época, queriam pegar carona nesse sucesso. E se a gente for analisar, Shurato não fugiu muito disso. Com uma história que envolvia armaduras e mitologia, não demorou muito pra ser considerado uma mera cópia de CDZ. Mas quem assistiu o anime, sabe que é mais que isso.

A história começa quando Shurato Hidaka e seu melhor amigo Gai Kukori, lutavam entre si pelo pelo Título Nacional, em um torneio de artes marciais, quando uma luz aparece e a forma de uma misteriosa mulher recita algumas palavras que faz com que os dois sejam transportados para um outro mundo. Lá Shurato descobre que é a reencarnação do Rei Shura (coincidência?) e um dos Hachibushu, um grupo de oito guardiões lendários com uma grande
quantidade de Souma (que nada mais é, do que o poder, ou uma força espiritual presente em qualquer pessoa), sendo trazido para aquele mundo com Gai para lutar
contra os deuses de Asura, uma legião de guerreiros destrutivos.

Shurato logo encontra seu amigo, mas para sua surpresa, Gai está muito diferente, usando uma armadura e com um enorme poder, ele agora é Rei Yasha e tenta matar Shurato, que consegue escapar por pouco, graças ao Rei Kakura. E assim Shurato inicia sua aventura para tentar Salvar o Mundo Espiritual e também seu próprio mundo.

Shurato se baseia nas mitologias budista e hinduísta. Seguindo quase que a risca a última. Nela, o universo divide-se em seis mundos, dos quais fazem parte o Mundo dos Ashuras, o Mundo dos Homens e o Mundo dos deuses, que seria o mundo celestial que conhecemos no anime.

Apesar de não ter feito tanto sucesso aqui no Brasil, como outros animes, Shurato teve bastante notoriedade. Segurou a audiência da TV manchete durante o tempo em que esteve no ar e ganhou uma linha de produtos licenciados, como bonecos e jogos de tabuleiros, que foram muito bem sucedidos nas vendas. Com certeza, um anime que vale a pena assistir e que deixa saudade em quem acompanhou o desenho na década de 90.