Relembrando Animes – InuYasha

InuYasha, é uma série de mangá shōnen escrita e ilustrada por Rumiko Takahashi. Foi publicada na revista Weekly Shōnen Sunday entre 13 de novembro de 1996 e 18 de junho de 2008, totalizando 56 volumes.  No Brasil, o mangá foi publicado pela Editora JBC em 2002 e foi finalizado em julho de 2009. É até hoje o mangá mais longo publicado no nosso país

A adaptação em anime foi produzida pela Sunrise e foi exibida pela Yomiuri TV no Japão entre 16 de outubro de 2000 a 13 de setembro de 2004 totalizando 167 episódios. A segunda temporada, chamada InuYasha: The Final Act, foi transmitida entre 3 de outubro de 2009 e 29 de março de 2010 e só teve 26 episódios. A série ainda possui quatro filmes e cinco OVAs, além de ter video games e uma light novel.  Na nossa terrinha, o anime foi transmitdo pelo Cartoon Network a partir de 2 de dezembro de 2002. Também chegou a ser exibido pela Rede Globo, mas foi rapidamente tirado do ar devido a problemas com a classificação indicada.

A história se passa em duas eras totalmente diferentes: Japão Feudal e Japão moderno. No Japão da era feudal, vive Inuyasha um hanyou ou meio-youkai, por ser filho de um youkai (criaturas sobrenaturais do folclore japonês) e de uma humana.  Já Kagome Higurashi, é uma garota japonesa dos tempos atuais e ainda estudante colegial.

Tudo começa quando Kagome vai procurar seu gato no poço perto de sua casa e um monstro a puxa para dentro dele e a mesma acaba indo parar no período Feudal. Aparentemente, um Youkai tinha atacado uma aldeia perto do poço, com objetivo de roubar a Jóia de Quatro Almas e matar a sacerdotisa que a protegia. Por Kagome se parecer bastante com a mulher, acaba sendo atacada por ele. Desesperada, ela acaba libertando InuYasha, que estava lacrado por uma flecha sagrada em uma árvore. Embora facilmente salve Kagome, ele se revela um problema maior. InuYasha foi selado na árvore há 50 anos pela sacerdotisa Kikyou, que era a guardiã da Joia de Quatro Almas. Ela pediu que, quando morresse, a joia fosse queimada junto a ela, para que ninguém mais pudesse abusar do seu poder. No entanto, Kagome é a reencarnação de Kikyo e traz consigo a Jóia de Quatro Almas. Dessa forma, a joia acaba sendo quebrada em vários fragmentos que se dispersaram por todo o Japão. Cada fragmento é capaz de garantir um grande poder e por isso, acaba sendo procurado por seres humanos e Youkais. Agora cabe a InuYasha e Kagome se unirem para ir atrás de todos os fragmentos impedindo que o mundo acabe em um grande desastre.

Rumiko Takahashi escreveu InuYasha depois de terminar Ranma ½ (quer saber mais sobre Ranma? Clica aqui que eu já falei sobre ele). Diferente dos seus trabalhos anteriores, que eram focados na comédia romântica, Takahashi queria fazer uma história mais sombria. Com o objetivo de retratar temas violentos de maneira simples, ela utilizou o Período Sengoku (era Feudal Japonesa), pois as guerras eram comuns. Ela não fez nenhuma pesquisa para desenhar os samurais ou castelos, pois considerou que aquilo era um conhecimento universal.

InuYasha é um anime que eu adoro, fez parte da minha adolescência e vale a pena assistir. Além de tudo, a série foi eleita no Japão como o anime com a melhor trilha sonora de todos os tempos. Por isso mesmo, como de costume, deixo aqui a abertura do desenho pra vocês conferirem: