Rebobinando – Punch-Drunk Love (Embriagado de Amor)

Estranheza, talvez esta seja a melhor palavra que define o ato de se apaixonar, sentimentos que tomam conta do nosso ser aos poucos como ansiedade, nervosismo, medo, paixão, alegria, indecisão, etc… Ainda mais se é a primeira vez e, dependendo da intenção, não sabemos como lidar com isso. Agora adicione essa sensação louca à visão única do diretor e roteirista Paul Thomas Anderson com um protagonista – nada mais, nada menos – interpretado por Adam Sandler. O que será que pode sair disso? Só de ouvir ou ler o nome do ator, talvez você já queira remeter tal história a outra “comédia romântica sem graça”. Porém, assistindo ao filme, somos surpreendidos do início ao fim.
O filme começa com Barry Egan (Adam Sandler), um eterno solteirão com problemas de interação social e constantes ataques de fúria – que ele próprio tenta reprimir por querer evitar conflitos -, governado pelas suas sete irmãs e que ainda não encontrou o amor. Até que uma misteriosa mulher, Lena (Emily Watson), entra em sua vida, fazendo com que suas emoções se confundam, hesitando entre uma raiva incontrolável, desejo e dúvida.
Uma dica importante para você que pretende assistir ao filme, ele é totalmente baseado na visão de Anderson sobre as coisas (como vários outros filmes do diretor). Portanto, não se surpreenda caso o filme não esteja fazendo sentido ou se os personagens forem estranhos demais. A trama é bem cadenciada e interligada durante sua decorrência, tendo um significado no final de tudo. Além de que o longa brinca com diversos clichês da comédia romântica em si, como, por exemplo, o encontro de Barry e Lena no Hawai. Outra ideia brilhante do diretor, ao meu ver, foi adicionar paralelamente à trama uma chantagem que Barry sofre ao longo da história por uma atendente de Telesex. Na ocasião, como nosso protagonista sempre tenta evitar os conflitos, ele simplesmente resolve ceder à tal chantagem, enquanto tenta ficar com a mulher que ama.
Nunca achei que fosse gostar da atuação de Adam Sandler de tal maneira, pois quem está acostumado com as suas atuações em filmes de comédia pode esquecer de tudo isso nesse longa, já que Sandler interpreta um homem em constante conflito emocional que, de vez em quando, tem surtos de raiva contida. No começo, ele aparece como uma pessoa solitária que é extramente “manipulado” pelas irmãs, nunca respondendo a elas. O ator realmente incorporou o personagem em todos os sentidos, tanto em relação à postura do mesmo como ao modo de falar, dando vida ao protagonista e nos permitindo entender sua maneira de agir ao longo da trama.
O ápice do personagem é o momento em que ele se apaixona, colocando em evidência a confusão sentimental do protagonista. O homem que sempre evitou conflitos começa a enfrenta-los, o homem que sempre tinha medo de tomar decisões se vê obrigado a escolher. Logo, uma nova experiência é proporcionada ao espectador, principalmente pra quem desconhecia a atuação de Sandler.
Outra marca registrada de Anderson na obra são suas longas cenas sem corte. Em Boogie Nights, por exemplo, a cena de abertura tem três minutos de duração, dando mais realismo à história, destacando também os diálogos que são bem originais e imprevisíveis. Logo, a palavra “estranheza” aparece novamente na cena da ligação de Barry para a moça do Telesex, pois aquele diálogo retrata uma pessoa extremamente complexa e confusa. O personagem não sabe o que quer e, como é a primeira vez que ele se vê precisando desse tipo de serviço, ele logo fica sem saber como reagir, criando ao mesmo tempo uma situação cômica e improvável.
Em suma, Punch-Drunk Love (ou Embriagado de Amor) é uma grata surpresa – não só para quem acompanha o trabalho de Sandler e Paul Thomas Anderson, mas também pela originalidade e ousadia do diretor. Aproveito então para ressaltar novamente que, se esse filme parecer confuso ou estranho, é importante lembrar de que há uma visão mais intimista de Anderson sobre a história. Em outras palavras, não deixe de dar uma chance a ele, pois vale muito a pena, já que se trata de uma história de paixão bem original com personagens pra lá de intrigantes.