Rebobinando – O Poderoso Chefão (1972)

O Poderoso Chefão (1972)

Yooooooo godfathers espalhados pelo multiverso!

Vamos relembrar mais um grande sucesso de crítica que está em nossas mentes e corações por muito tempo e que sempre estará em qualquer Top10 de melhores filmes de todos os tempos. Na década de 70 tivemos excelentes filmes, não é verdade?  Então vamos relembrar o primeiro filme da franquia!

No verão de 1945, Don Vito Corleone ouve pedidos de favores durante o casamento da sua filha Connie, enquanto o seu consigliere e filho adotivo, Tom Hagen, apenas escuta. O cantor e “afilhado” do Don, Johnny Fontane, pede ajuda para estrelar um filme que vai ajudá-lo a reerguer sua carreira. Hagen vai a Califórnia para se encontrar com o chefe do estúdio Jack Woltz com o objetivo de adquirir o papel para Fontane. Depois de recusar-se a escalar Fontane, ele desperta na manhã seguinte com a cabeça decapitada do seu valioso e estimado cavalo Khartum na cama.

Quando ele retorna, os líderes da família encontram-se com Virgil “O Turco” Sollozzo, que solicita a Don Corleone a proteção dos negócios de heroína da família Tattaglia. Vito desaprova o negócio e considera que as suas conexões políticas poderão ser prejudicadas, assim recusando um acordo lucrativo. Ele manda o seu homem de confiança, Luca Brasi, para conhecer melhor a organização de Sollozzo; porém, os homens de Sollozzo identificam-no e Brasi é assassinado.

Don Corleone é baleado cinco vezes nas costas, mas consegue sobreviver. Sollozzo sequestra Hagen e convence-o a apresentar o negócio antes discutido ao filho mais velho do Don, Sonny. O filho mais jovem, Michael, que as outras famílias consideram como “civil”, sem negócios com a máfia, intercepta uma segunda tentativa de assassinato no local onde Vito está hospitalizado, porém a sua mandíbula é quebrada após receber um soco do Capitão McCluskey, um policial corrupto. Sonny retalia assassinando o filho de Don Philip Tattaglia, Bruno.

O Poderoso Chefão (1972)

Sollozzo e McCluskey encontram-se com Michael num restaurante italiano para acertar a disputa. Ele finge querer ir ao lavatório, seguindo o plano, para agarrar uma arma oculta lá. Ele retorna à mesa e mata Sollozzo e McCluskey. Ele deixa o país para se refugiar na Sicília, onde constitui matrimónio com uma italiana chamada Apollonia Vitelli. O terceiro irmão Corleone, Fredo, é mandado a Las Vegas onde é recebido pelos empresários financiados pela família. Uma guerra entre os Corleones e os outros membros das Cinco Famílias começa, enquanto a polícia tenta impedir as atividades da máfia. Vito fica preocupado quando descobre o envolvimento de Michael na situação, já que ele quer que Michael não se envolva com os negócios da família.

Mas isso é apenas a ponta do iceberg, avaliando a superfície, vemos muito mais sobre as brigas de gangues e o relacionamento da Familia Corleone entre eles e com seus amigos. Dirigido pelo excelente Francis Ford Coppola, baseado no livro homônimo escrito por Mario Puzo. O filme é estrelado por Marlon Brando, Al Pacino, James Caan, Richard Castellano, Robert Duvall, Sterling Hayden, John Marley, Richard Conte e Diane Keaton. Todos em excelentes atuações, elevando junto com a trilha sonora característica as histórias de mafiosos que virariam moda logo depois.

O Poderoso Chefão (1972)

Ás vezes me pego pensando sobre o motivo que fez este tipo de filme, sobre vilões enfrentando outros vilões fazem tanto sucesso até hoje. Esta certa humanização dos caras maus, trazem uma certa identificação? Acredito que sim. Outro ponto interessante do filme é como eles tratam a violência doméstica, racismo e outras questões de uma New York dominada pela criminalidade.

Não é a toa que o filme foi indicado a dez Óscars e venceu nas categorias de Melhor Filme, Melhor Roteiro Adaptado (Coppola e Puzo) e Melhor Ator (Marlon Brando). Também é considerado “culturalmente, historicamente e esteticamente significante” e selecionado pela Biblioteca do Congresso para ser preservado no National Film Registry. O American Film Institute apontou-o como o melhor filme de gângster de todos os tempos e o segundo melhor filme da história na Lista dos melhores filmes estadunidenses. É pouco?

Qual a cena mais icônica do filme? Quais suas grandes lembranças sobre esta obra? Nos diga nos comentários!