Perfil: Han Solo

NOME: Han Solo AFILIAÇÕES: Aliança Rebelde ESPÉCIES: Humano ARMAS: Pistola Blaster VEÍCULOS: Millennium Falcon LOCALIZAÇÕES: Mos Eisley Spaceport, Corellia, Numidian Prime GÊNERO: Masculino

História

Qualquer coisa é melhor do que ficar aqui, dando sopa para ser preso.―Han Solo para Luke Skywalker, desobedecendo ordens de Obi-Wan em ficar com R2-D2 e C-3PO

Está em cartaz nos cinemas Han Solo: Uma História Star Wars (Solo – A Star Wars Story, 2018), filme de Ron Howard, spin-off que explora o passado do contrabandista mais famoso da galáxia, que tal conhecer mais sobre o personagem icônico da franquia criada por George Lucas. Trataremos sobre a concepção do personagem, os esboços originais, como também alguns dados biográficos dentro do Cânone oficial e de expanções literárias do segmento Legends do Universo Star Wars, lembrando que não poderemos demonstrar todas as aventuras deste personagem.

Quem imaginaria que um contrabandista sarcástico de uma space opera desconhecida acabaria se tornando um dos personagens mais amados do cinema de todos os tempos?Interpretado por Harrison Ford, o personagem se tornou um símbolo da cultura popular e foi, sem dúvida, o catalisador que levou a Ford ao status de superstar e além, em Hollywood.

Mas antes de sua primeira aparição em Guerra nas Estrelas: Uma Nova Esperança (1977), a figura de Han Solo era bastante distinta, em The Star Wars: Rough Draft, um roteiro de 132 páginas de 1974, Solo era um Urealliano, raça alienígena de pele verde, sem nariz e com grandes guelras, além disso ele também era um guerreiro Jedi musculoso, amigo do idoso General Luke Skywalker. A editora Panini trouxe a versão que a Dark Horse Comics adaptou com essa arte conceitual em dois volumes, abaixo vemos uma página mostrando algumas destas versões:

George Lucas fez muitas mudanças em seus personagens antes da produção de A New Hope.  Até chegar no tipo estilo James Dean (nas palavras de Lucas) Han ainda passou por um corpulento pirata barbudo, bastante briguento. O diretor queria que o personagem fosse um alienígena com um aspecto diferente, mas decidiu que seria um humano para desenvolver melhor a relação entre o trio de protagonistas. Em vez disso, colocou Chewbacca, que seria o extraterrestre na trama. A versão que chegaria ao cinema, portanto, seria a terceira que Lucas definiu como um cowboy piloto de uma espaçonave simples, temperamental e seguro de si mesmo.

Após os seis filmes as aventuras do personagem mais carismático de Star Wars continuam em um grande número de histórias em quadrinhos, romances e adaptações de todos os tipos. Porém, com as mudanças que a Disney estabeleceu antes da estreia do filme Star Wars: O Despertar da Força, diversas narrativas ficaram fora do cânone oficial. Iremos tentar resumir o que encontramos dentro e fora do cânone sobre a biografia fictícia de Han Solo, lembrando que algumas informações aqui apresentadas poderão está no filme.

Han nasceu em Corellia, um planeta do Núcleo Interior. Órfão muito cedo, foi encontrado em um espaçoporto por Garris Shrike, um ex-caçador de recompensas, que se virou para o crime, formando um bando com órfãos que usava para numerosas fraudes e atividades ilegais, como pedir esmolas e cometer furtos. Durante esse tempo a bordo da Sorte do Mercador, uma nave desmantelada em órbita que servia de base para Garris e sua gangue, Solo conheceu Dewlanna, uma cozinheira wookiee que trabalhava a bordo da nave, que se tornou uma figura materna para o menino, ajudando em adquirir algum conhecimento em línguas, matemática, física e história.

Segundo Legends, Han era de uma célebre família do planeta, vendido para Garris por um parente ambicioso. Shrike manteve qualquer informação longe de Han para mantê-lo melhor sob seu controle, em especial, sobre seus pais. Durante anos, ele nem sabia seu sobrenome. Foi Dewlanna que contou sobre sua família, quando atingiu a idade adulta, descobrindo que eram seus pais, Jonash e Jaina Solo.

Durante o período que serviu a Shrike, Han visitou vários planetas, fazendo uma variedade de trabalhos desagradáveis. Entre os quais destacamos quando serviu junto a um clã de piratas assassinos; correndo em repulsorlift profissionalmente e no circuito independente; ou fraudando cartões em diversos planetas, que o levou a prisão e a lutar pela vida, literalmente na Colônia Penal de Jubilar. Após escapar da prisão, com o seu passado, decide iniciar sua própria carreira, seguindo em um cargueiro para candidatar-se a uma vaga de emprego em Ylesia. Quando estava prestes a sair, Shrike e alguns de seus companheiros o capturaram, mas Dewlanna se sacrificou para que Solo pudesse escapar, o que levou a ficar em dívida com qualquer um de sua raça.

Em Ylesia, sob um nome falso consegue o emprego de piloto de uma nave, cuja missão era de trazer peregrinos em nome dos Altos Sacerdotes do planeta. Todavia, aquilo era um embuste concebido para atrair desafortunados para se tornarem escravos, ao descobrir foge com a nave com uma peregrina Bia Tharen e um casal de togorianos Muuurgh e Mrrov, sem antes roubarem os sacerdotes e matarem indiretamente o administrador Hutt do planeta, o que leva à recompensa colocada por sua cabeça.

Segue para Coruscant com Tharen para os exames da academia. Lá, Han teve sua identidade completamente alterada, incluindo novos padrões da retina, pois era procurado pelo que ocorreu em Ylesia. Bia segue seu caminho, sentindo que atrapalharia a carreira de Solo Tendo passado nos exames, foi ameaçado por Garris, sobre a verdade que Vyyk Draygo e Han Solo eram a mesma pessoa, mas um outro caçador de recompensas mata Shrike e embarca para Carida.

Solo ficou arrasado com a partida de Tharen, mas ele seguiu seus sonhos e foi aprimorar suas habilidades como piloto na Academia Imperial. Seus instrutores ficaram impressionados com sua inteligência e determinação, mas não o consideram muito adequado para a carreira militar. Logo se forma como tenente, mas algo acontece que abala a consciência do jovem: o encontro com Chewbacca .

Designado para um a o comandante Nyklas, que tem a tarefa de supervisionar a construção de edifícios através do uso de escravos. E foi ali que encontrou o wookie que se tornaria seu parceiro, Chewbacca, ferido e indefeso. Solo o salvou da morte e com a ajuda da Aliança Rebelde fogem com muitos outros escravizados. Chewbacca, grato pela intervenção de Solo, proclamou um débito de vida com o contrabandista.

E inicia sua carreira de contrabandista, com a ajuda de Mako Spince ficam famosos no mercado negro. Solo e Chewbacca também trabalhavam para os Lordes Hutt Jiliac e Jabba, pilotando muitas de suas naves, incluindo os iates pessoais. Solo também fez amizade com Lando Calrissian, um jogador que o salvou do famoso caçador de recompensas Boba Fett, que o ensinou Lando a pilotar uma nave que seria sua paixão, a Millennium Falcon.

Nesse período participou de esquemas destinados a prejudicar o Império, o que acarretou num ataque a Lua dos Contrabandistas. Han e seus amigos reuniram uma força de contrabandistas e piratas para a vitória na Batalha de Nar Shaddaa. Depois da batalha, Han participa de um Torneio de Sabacc, que surpreendentemente consegue chegar à final e derrotar seu amigo Lando, ganhando assim o Millennium Falcon.

Também neste período, Han e Chewie permanecem a serviço de Jabba, se envolvendo em diversas aventuras que poderemos tratar em outro artigo, em especial o período que fez carreira como mercenário. Entretanto, cometem um erro grave que terá consequências durante os eventos da trilogia clássica: a perda de toda uma carga de especiarias.  Durante um controle imperial, Han e Chewie descarregam uma carga contrabandeada pertencente a Jabba no espaço. Deixando Jabba num prejuízo enorme, que não será apaziguado até o Episódio VI e a captura de Solo.

Solo também teve alguns desentendimentos com a Aliança Rebelde. Senadores Mon Mothma e Leia Organa tornaram-se consciente de Solo quando ele começou a liderar os esforços para libertar escravos Wookiee de Kashyyyk, como um favor a Chewbacca, que havia começado a perder amigos e familiares para a escravidão. Solo permitiu relutantemente que a Aliança o ajudasse nesse esforço, apesar de seu desprezo por causas políticas, e a Aliança logo se tornou um de seus empregadores frequentes.

Até o dia em que encontra Luke SkywalkerObi-Wan Kenobi na Cantina de Mos Eisley em Tatooine. Sendo cobrado de forma bastante violenta por capangas de Jabba, Solo conseguiu convencê-lo a lhe dar mais tempo, prometendo retribuir-lhe o que devia, mais 15 por cento depois do vôo fretado de rotina que ele e Chewbacca tinham recentemente arranjado na cantina, com um velho e um jovem fazendeiro. Daí inicia a Trilogia Clássica, que conhecemos muito bem o que acontece nos episódios IV, V e VI.

Após os eventos da Batalha de Endor, Han e Leia se casaram, e sua cerimônia foi assistida apenas por pessoas em quem confiavam. Como a Aliança não podia parar, após uma lua de mel na Millenium, Han e Leia partem para missões diversas entre as quais, se destaca, o término da Operação Cinzas, uma ordem póstuma de Palpatine para devastar uma série de mundos, incluindo Naboo ou honrou a dívida com os wookies, libertando o seu planeta.

Veio então a Batalha de Jakku que encerrou o conflito e a Rendição Imperial. O casal Solo esperava seu filho, Ben Solo, que nasceria no planeta Chandrila.  Sendo sua esposa uma política importante para a Nova República, Han passou o tempo como um piloto de corridas de sucesso. Nos anos seguintes, Solo tornou-se o proprietário de uma empresa de naves e desenvolveu uma reputação como um proprietário atento e responsável. Fora do trabalho, Han frequentemente competia por caridade e patrocinava várias carreiras. Devido ao seu trabalho, Solo viajava regularmente através de vários sistemas solares, trabalhando em navios. Han e sua família tiveram as vidas separadas, mantendo contanto através de hologramas, o que acarretou os sentimentos de abandono que Ben sentiu ao entrar no treinamento Jedi de seu tio, Luke.

As revelações sobre o relacionamento da senadora Leia com Darth Vader ao público, levam o filho do casal, Ben Solo, ao lado negro, matando os jedi que Luke estava treinando. Levando a culpa pela queda do sobrinho, Luke se exila. Incapazes de lidar com a perda de seu filho, Han e Leia se separaram.

Han e Chewbacca voltaram a ser contrabandistas novamente, enquanto Leia torna-se líder da Resistência, uma organização paramilitar destinada a combater a Primeira Ordem, que havia começado a representar uma ameaça para a Nova República. Han então se endividou com vários credores, perdendo a Millennium Falcon para um pistoleiro e o velho cargueiro muda de mãos algumas vezes até acabar nas mãos de um comprador de sucata em Jakku.

A dupla conseguiram “comprar” um cargueiro pesado, o Eravana, que serviu para suas operações de contrabando, e no tempo livre, tentava encontrar a Falcon. Até encontrarem a velha nave em órbita em Jakku, na mão de duas pessoas que iriam levar a dupla ao centro do conflito: uma moça de nome Rey e o ex- stormtrooper da Primeira Ordem Finn, que queriam levar um um dróide chamado BB-8 para a Resistência, pois ele tinha um mapa que serviria para a localização do velho amigo de Solo, Luke.

Daí em diante, a jornada é vista no episódio VII da saga, O Despertar da Força, que não iremos relatar. A cena da sua morte, sendo empalado pelo sabre de Ren, enquanto Rey, Finn e Chewbacca olhavam com horror, acariciando o rosto do filho pela última vez antes de morrer e seu cadáver caindo é uma das cenas mais marcantes da história.

O impacto do personagem pode ser analisado em alguns dados: o American Film Institute, em 2005, o considerou 14º na lista dos maiores heróis de filmes, pela inspiração para artistas e audiências contemporâneos; a Empire considerou Solo o quarto maior personagem do cinema de todos os tempos, graças a Harrison Ford; a Entertainment Weekly classificou-o em 7º lugar em sua lista de heróis de todos os tempos da cultura pop; e o site Fandomania.com colocou-o na 15ª posição em sua lista dos 100 maiores personagens fictícios. Algo que esse spin-off que estreou e o ator Alden Ehrenreich com o papel do icônico personagem, a frente do público e da crítica, terão que demonstrar.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Viúva Negra

Nem Capitã Marvel, nem Feiticeira Escarlate, e muito menos a nossa minúscula e primeira vingadora, a Vespa. A primeira heroína a estampar nossas telonas e mostrar a...

Han Solo

"Qualquer coisa é melhor do que ficar aqui, dando sopa para ser preso."―Han Solo para Luke Skywalker, desobedecendo ordens de Obi-Wan em ficar com...

Manto e Adaga

Duas crianças perdidas, duas vidas cheia de esperança interrompidas pelo tráfico de drogas, mas do fim o novo começo... Das trevas ela é a...

Capitã Marvel

A visibilidade de personagens femininos na Casa das Ideias é um acontecimento que reflete uma inquietude cada vez mais presente em nossa sociedade. E...

Filhas do Dragão

Elas fecharam uma parceria desde os anos 70 e apesar da força feminina estar tão em evidência nos quadrinhos atualmente, não é de hoje...

Duas-Caras I

Foi na Detective Comics #66, datada de agosto de 1942, que o Duas Caras (Two Face) deu às caras. Um trocadilho para apresentar um pouco deste...

Relacionados