A recente surpresa do mercado editorial de Livros e HQ’s em 2017 com certeza foi o surgimento da editora Pipoca & Nanquim, o que nasceu como um canal do YouTube de informações do mundo das Graphic Novels e Cinema, se tornou uma editora de respeito com títulos que dificilmente poderíamos ver lançados por outra concorrente.

Os fundadores do canal, Alexandre Callari, Bruno Zago e Daniel Lopes selecionam obras que não estão no radar e nem nas prioridades das editoras e nem por isso são de menor qualidade, mas que com certeza estão no coração dos fãs mais desbravadores e agora podem fazer parte de nossas amadas coleções.

Vide o catálogo já composto por 12 títulos, incluindo aí um e-book (O Guia Definitivo de Espada e Feitiçaria), um livro (o primeiro volume dos contos originais de Conan de Robert E. Howard e que serão lançados mais três volumes) e 10 HQ’s, todas com um acabamento gráfico de luxo.

Os títulos são clássicos que todo bom colecionador deve ter, Espadas e Bruxas do espanhol Esteban Maroto, que lançou a editora no mercado, Canon de Wallace Wood, Moby Dick de Chabouté, Beasts of Burden de Jill Thompson, Um Pequeno Assassinato do Sr. Alan Moore, Marada: A Mulher – Lobo de Chris Claremont e John Bolton, Conto de Areia de Jim Henson, Guardiões do Louvre de Jiro Taniguchi e o recente Um Pedaço De Madeira e Aço também de Chabouté. E finalmente descobrimos qual será o próximo “petardo” que teremos, A Arte de Charlie Chan Hock Chye do autor Sonny Liew.

Sonny Liew com a premiação do Eisner de 2017

Sonny é um escritor nascido na Malásia mas que viveu, e ainda vive, em Cingapura, trabalhou como capista em alguns títulos IDW como Transformers e G.I. Joe e alguns trabalhos com Mike Carey em algumas séries da Vertigo, também trabalhou com super heróis pela Marvel em 2009 com o roteirista Roger Landridge em uma edição do Homem Aranha.

Mas o lançamento que teremos é completamente fora de qualquer contexto já visto antes, A Arte de Charlie Chan Hock Chye já foi indicada a seis prêmios Eisner em 2017 e levou 3, Melhor Roteirista, Melhor Desgin de Publicação e Melhor Edição Americana de Trabalho Internacional e irá contar a história de Cingapura através da visão do cartunista Charlie Chan, prisões, violações de direitos humanos, e flagrantes que marcam a história do país, a Graphic Novel que começou com um subsídio do governo, logo depois foi retirado por comprometer a “verdadeira” história e o partido popular que governa o país desde 1959.

Sonny Liew usa das situações passadas pelo protagonista Charlie para contar sua própria biografia e mostra a dificuldade de criar arte em um país com problemas de censura e liberdade de expressão que passou durante os anos. Sem dúvidas uma obra que merece estar em todas as estantes!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here