Stephen Amell admite que flashbacks em Arrow não foram planejados antecipadamente

Quando Arrow estreou pela primeira vez na CW em 2012, o show montou uma estrutura cronológica no enredo que contou a história de Oliver Queen no presente enquanto em alguns momentos retornava ao seu tempo na ilha de Lian-Yu. À medida que as temporadas avançavam, revelava-se que a narrativa de “cinco anos numa ilha” era um pouco enganosa, já que Oliver tinha estado em Hong Kong, Rússia e até em sua casa em Starling City nesse período de tempo. Enquanto a atual temporada do programa planeja concluir os flashbacks e mostrar como Oliver voltou para a ilha, muitos fãs ficaram cansados ​​dessa estratégia que perdeu o rumo à muito tempo.

Em uma entrevista com o Entertainment Weekly, a estrela Stephen Amell abordou as possibilidades de como Arrow pode tentar atacar ou revigorar os “flashes” em épocas futuras, especialmente porque não haverá mais flashbacks:

“Estou aberto e animado sobre qualquer ideia possível, se é uma simples narrativa flash-forward que realizamos durante a temporada, o que eu acho que fizemos com vários graus de sucesso na quarta temporada. Se isso significa que simplesmente os flashbacks não existem, isso nos permite expandir o universo em termos de se concentrar mais nas histórias passadas de outras pessoas, não necessariamente em flashbacks da vida de cada, apenas mostrando sua vida fora do esconderijo e das missões, eu acho que é interessante. Temos mais tempo, temos mais páginas, temos mais chance de diálogo.”

Amell também admitiu que a equipe por trás de Arrow nunca planejou coerentemente a história de cinco anos de Oliver na ilha, levando a equipe a criar e improvisar conforme os episódios avançavam:

“Eu acho que a chave para uma história como essa é a forma que é contada suas origens, o Arqueiro Verde foi obviamente lançado com uma história de origem de cinco anos, mas estamos quebrando a história em flashbacks. Sempre há um plano secundário, mas geralmente tem que ser contada de época em época. Mas eu acho que, como não sabíamos no início da temporada que no final da segunda temporada Oliver iria acabar em Hong Kong, essas coisas simplesmente aconteceram. Esse tipo de coisa faz parte da natureza da televisão.”

Amell concluiu que se um flash-forward (ao invés de mostrar o passado, mostrará o futuro) fosse usado, ele teria que ser devidamente planejado para evitar as questões que encontraram com os flashbacks:

“Eu acho que o elemento crítico, se alguma vez fizemos algo como um flash-forward, seria para se certificar de que entendemos precisamente o ponto inicial e o ponto final da história e todas as coisas que entrarão nela, porque eu acho que se tentarmos fragmentá-lo em conjunto, especialmente porque é um flash-forward, simplesmente não iria funcionar.”

Você quer ver flashforwards em Arrow, ou prefere que o show abandone completamente estes conceitos? Comentem!!!

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet