[Retrospectiva 2015] Livros que não terminei esse ano

Voltei galera, como prometido. 

Originalmente, a Retrospectiva de hoje é para falar dos livros que não terminei. E para mim, os livros abandonados tem duas categorias, e vou explicar para vocês melhor isso…
1° CategoriaExiste os não terminados, mas que ainda pretendo voltar a ler. Gosto de dizer que esses são os livros que peguei em algum momento ruim para ele, e foram abandonados. Mas ainda tenho esperança de gostar deles. 
E esses foram: [email protected] porque os personagens dos protagonistas não me prenderam por eu ver muito exagero da parte de um deles, que não vou citar aqui. Mas como já disse, talvez seja apenas o momento errado. 
Já o Garota, Traduzida foi por perceber que é uma história tipo biografia, e infelizmente esse é um estilo que não me conquista ou me agrada. 
O Segredo de Ella & Micha me deixou irritada por ser aquele tipo de história que é cheia de mimimi, onde a protagonista é cheia de segredo (dã) e eu fiquei triste de não gostar tanto. 
Com a leitura nacional de Claro que te amo! fiquei bem triste porque amo a autora e eu REALMENTE queria ter gostado, mas a protagonista não me conquistou, e muito pelo contrário, ela me irritou MUITO porque ela é reclamona (e eu ODEIO pessoas assim!).
E com O Clube do Filme foi mais livro no tempo errado mesmo, eu não estava a fim de ficar lendo sobre um pai que tentar consertar seu filho “problemático”.
2° CategoriaSão aqueles livros que não consegui terminar porque eles eram realmente muito ruim. Com histórias ruins, protagonistas ruins e nem o enredo salva. Eu os classifico como DNF (Did Not Finished), porque não terminei e nem vou em nenhum momento da minha vida. Foram descartados completamente.

E foram apenas dois livros, graças à Deus! O primeiro que tive o desprazer foi A Rainha Vermelha, que na verdade não passa de um apanhado de tudo que um leitor que está acostumado com distopia poderia encontrar. Uma história que eu já tinha visto em algum lugar, intrigas que já li ou vi em outros livros/filmes, e nada que me fizesse ficar amarrada a ele. Uma protagonista que além de não saber quem é, não sabe também o que quer, senti apenas que a autora estava indo com a maré como se fosse uma história sem enredo definido. E com tudo isso, o abandonei quando faltava uns quatro capítulos para finalizar, porque não aguentava mais como o enredo estava parado e maçante.
E a outra decepção do ano foi A Dama de Papel, que está incluso no gênero que eu mais gosto – dos romances históricos – que além disso também é um livro nacional. E esse livro me irritou de uma tal forma que não consegui chegar nem na metade dele; a protagonista desde o começo estava tomando decisões das quais eu não concordava, e tinha uma cabeça estranha para decidir qual caminho queria tomar na vida. Nunca tinha visto uma mulher com atitudes tão repugnantes como a dela. E o mocinho também não ficava atrás. 
E vocês, como foi o ano, alguma decepção?
Até amanhã

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

+ Lidas da Semana

11 séries de época para se apaixonar

Todo mundo tem uma preferência de narrativa quando procura uma série para ver. Existem séries para os amantes de ficção científica, séries de fantasia, policial,...

E3 2018: As novidades da Microsoft

A companhia de Redmond vem passando vários anos encadeando apresentações extremamente poderosas que, sim, giram em sua grande maioria em torno de anúncios de...

Review: O Dragão Negro de Chris Claremont

Quando os anos 1980 começavam, a Marvel começou a estender seu universo para outros rincões. O selo Epic, Illustrated foi uma destas iniciativas, um...

Crítica | Hereditário

Quando nascemos trazemos uma bagagem para o mundo, em uma mala muito pequena chamada célula, características hereditárias nos acompanham em cada traço de DNA,...

3 motivos para assistir The Marvelous Mrs. Maisel

O que você pode esperar de uma comédia ambientada nos anos 50 e sobre comédia? Dá pra desconfiar e muito de uma história assim....

Mais Notícias