No ano de 1940 ouve um acordo firmado entre os governos russo e brasileiro. Este acordo resultou em um projeto militar chamado de “o projeto ZERO”.

O projeto ZERO tinha como prioridade os uniformes (militares) inteligentes, porém devido a problemas com o governo brasileiro, os russos desistiram da “parceria”.

O que “sobrou” do projeto foi sendo reaproveitado por cientistas brasileiros, na tentativa de deixar o exercito mais poderoso.

Em 1981 o atual governo decide mudar o foco do que restava do projeto e iniciou uma pesquisa genética, para substituir os uniformes inteligentes por soldados geneticamente modificados.

Com o impeachment do presidente Fernando Collor de Mello em 1991, os investimentos foram cortados e o projeto foi brutalmente interrompido. Como conseqüência, o material geneticamente modificado precisou ser descartado.

No ano seguinte é descoberto que o cientista responsável pelo projeto, não havia obedecido a ordem do governo nacional (descartar todo o material geneticamente modificado) e teria espalhado esse material em clinicas particulares (que ajudavam casais com problemas para gerar filhos) e que, ainda no ano de 1982 o mesmo teria usado o material em barrigas de aluguel para dar a luz a crianças modificadas. Para não perder a sua tão amada pesquisa. O governo então prende o cientista e ‘abafa’ o acontecido.

Nos anos 2000 é iniciado (pelo governo) um novo projeto, o ‘CÉREBRO’ também com o objetivo de fortalecer o exercito brasileiro. Desta vez usando a tecnologia da robótica, criando ciborgues comandados por um sistema de computação.

O Cérebro começa a ganhar vida. São produzidos centenas de soldados robôs, que são utilizados na pacificação das favelas no Rio de Janeiro.

2014 – Os soldados são divididos em patentes. Patente 1, patente 2, 3, 4 e patente 5.

O que determina uma patente é o grau de inteligência e armamento do modelo.

Sendo assim: a patente 5 é a mais simples, a 4 é um pouco melhor e assim sucessivamente.

No ano de 2015 o sistema ‘Cérebro’ entrou em conflito e precisou ser reiniciado, porém o próprio sistema não aceitou a manobra e tomou o ato como uma ameaça. O governo agora temendo uma guerra, resolve chamar a inteligência nacional para tentar resolver o problema.

A inteligência Nacional por sua vez, convida o cientista (líder no projeto ZERO de 1940) para auxiliá-los contra esta possível ameaça.

Dias atuais: acompanhe a partir da série Prelúdios esquadrão terror.

Blue Comics – 28/04/2016
Lançamentos para o primeiro semestre:

Minissérie Prelúdios Esquadrão Terror

Dias atuais.

São pequenos acontecimentos que antecedem o inicio de um novo arco.

Serão 5 prelúdios, neles estarão os principais personagens do titulo “Esquadrão Terror” La Sombra, Billi Jones, Pesadelo, Plantei e Mascara de Ferro.

A Minissérie servirá para mostrar as características e personalidades de cada integrante do
Esquadrão.
Primeiro lançamento da Série:

La Sombra Ilustrado por Bruno Abdias e Criado por Micaías Ramos
Ilustrado por Bruno Abdias e Criado por Micaías Ramos
Arte por Rodrigo Lopes / Cores por Maurício Nascimento/ Edição e correção por Micaías Ramos Trash: Raízes do Horror
Arte por Rodrigo Lopes / Cores por Maurício Nascimento/ Edição e correção por Micaías Ramos

Lançamento:
Série Trash Raízes do Horror

Trash: Raízes do Horror Trata-se de encadernados com histórias completas (algumas inéditas)
Outras já bem conhecidas do grande publico, as famosas lendas urbanas.

No primeiro volume da série: ‘O ventríloquo’ traz à tona a origem sombria de um dos mais
temidos Vilões do Universo Blue Comics.

Com traços no estilo “terror trash”, esta obra traz ainda uma pequena homenagem ao mito do cinema nacional José Mojica Marins (O Zé do caixão).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here