Roteiristas de Capitão América: Guerra Civil comenta sobre o problema dos vilões da Marvel!

Os Roteiristas de Capitão América: Guerra Civil e Vingadores: Guerra Infinita, Stephen McFeely e Christopher Markus discutem as questões percebidas pelos fãs sobre o tratamento de seus vilões na Marvel.

É difícil encontrar falhas com o Marvel Cinematic Universe, mas se o rolo compressor esmagador de bilheterias pode ter alguma fraqueza, poderia ser a falta de vilões memoráveis (Exceto o Loki, é claro). Caveira Vermelha, Ronan O Acusador, Malekith, Mandarim e toda uma série de outros vilões fracos deixaram os fãs de quadrinhos querendo um pouco mais no cinema. Os roteiristas de Capitão América: Guerra Civil, Stephen McFeely e Christopher Markus discutem essa questão com JoBlo e conta como eles esperam evitar isso ao abordar Thanos em Vingadores: Guerra Infinita Parte 1.

“Se você pensar sobre isso, fico com a crítica, mas as fases iniciais eram todas histórias de origem. Isso tende a criar um vilão similar. Quando ela não é mais uma história de origem, eu acho que você pode ter um pouco mais de liberdade para criar diferentes vilões. Estou sensível ao problema que eu tenho. Mas não era a história de Robert Redford, em Capitão América: Soldado Invernal e não era a jornada do Caveira Vermelha [Em Primeiro Vingador], foi a jornada de um cara que vai de um cara pobre a um herói americano e, em seguida, vai para o gelo. Isso, em um filme de 120 minutos é difícil, e Thanos possivelmente irá mudar isso, mas você quer o tempo gasto. Desculpe-me por ir em uma tangente, mas eu amo a Marvel & Netflix por mostrar porque você precisa ter muito mais tempo para passar com seus vilões. É, literalmente, minutos e horas gastas. Temos 120 minutos e Jessica Jones teve como sempre muito tempo que as outras séries tinha.”

Muitos fãs provavelmente concordam com McFeely e Markus, o único lugar que a Netflix mostra um trunfo contra os filmes está no departamento dos vilões. Rei do Crime, Tentáculo, Killgrave – todos eles foram mais memoráveis do que 95% dos vilões do MCU. Mas a questão do tempo de execução é um argumento válido. A maioria de quaisquer filmes da Marvel tem que ser dedicado à viagem e evolução do herói, com um foco secundário na construção do mundo e estabelece as faixas para o próximo filme dos Vingadores. Muitas vezes, não há tempo suficiente para se deixar desenvolver o vilão do filme.

Você tem alguma sugestão sobre como a Marvel deve lidar com seu problema nos vilões (claro, se você ainda acredita que este é um problema)? Dê-nos a sua opinião na seção de comentários abaixo e deixe-nos saber o que você pensa.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

+ Lidas da Semana

11 séries de época para se apaixonar

Todo mundo tem uma preferência de narrativa quando procura uma série para ver. Existem séries para os amantes de ficção científica, séries de fantasia, policial,...

E3 2018: As novidades da Microsoft

A companhia de Redmond vem passando vários anos encadeando apresentações extremamente poderosas que, sim, giram em sua grande maioria em torno de anúncios de...

Review: O Dragão Negro de Chris Claremont

Quando os anos 1980 começavam, a Marvel começou a estender seu universo para outros rincões. O selo Epic, Illustrated foi uma destas iniciativas, um...

Crítica | Hereditário

Quando nascemos trazemos uma bagagem para o mundo, em uma mala muito pequena chamada célula, características hereditárias nos acompanham em cada traço de DNA,...

3 motivos para assistir The Marvelous Mrs. Maisel

O que você pode esperar de uma comédia ambientada nos anos 50 e sobre comédia? Dá pra desconfiar e muito de uma história assim....

Mais Notícias