Festival Varilux de Cinema Francês 2017 apresenta “Perdidos em Paris”

O filme “Perdidos em Paris”, de Fiona Gordon e Dominique Abel, poderá ser visto no Festival Varilux de Cinema Francês, em 55 cidades, a partir de 7 de junho – quando os diretores, que também protagonizaram e roteirizaram o longa, estarão no Brasil para os eventos de abertura, em São Paulo e Rio de Janeiro. O longa traz a última atuação de Emmanuelle Riva, falecida em janeiro deste ano e eternizada por seus papeis em “Hiroshima Meu Amor”, de Alain Resnais, e “Amor”, de Michael Haneke. Após a participação no Festival,“Perdidos em Paris” entra em cartaz nos cinemas do país no dia 6 de julho, pela Pandora Filmes.

“Não tínhamos pensado em Emmanuelle Riva para o filme, porque na nossa opinião, ela havia feito muitos papéis dramáticos. Até que alguém nos mostrou um vídeo que ela fez para o The New York Times, na ocasião em que concorria ao Oscar. Nesse vídeo, gravado em seu apartamento, ela dançava e imitava Chaplin. Foi quando imediatamente decidimos que seria ela”, conta Dominique Abel.

A comédia conta a história de Fiona, bibliotecária de uma pequena cidade canadense que recebe uma aflita e angustiada carta de sua tia Martha, uma senhora de 93 anos. Martha vive sozinha em Paris. Sem pestanejar, Fiona embarca no primeiro avião rumo à capital francesa apenas para descobrir que Martha desapareceu. Em uma verdadeira avalanche de desastres inexplicáveis, Fiona conhece Dom, um sem-teto egoísta e sedutor, que não vai deixá-la seguir sozinha em sua busca. Um conto divertido e cativante sobre três pessoas peculiares perdidas em Paris.

“Nadamos firmemente contra a maré: austeridade e cinismo não são coisas que queremos explorar. Preferimos nos concentrar em um pouco de inocência e espontaneidade, algo feliz”, ressalta Fiona.

Dominique Abel e Fiona Gordon colaboram dentro e fora das telas em filmes e espetáculos, buscando dar forma a um universo teatral atípico, em geral centrado no assunto predileto da dupla: a falta de jeito dos seres humanos. Desenvolvem para isso um visual cômico e burlesco muito corporal, no estilo de palhaços e atores do cinema mudo como Buster Keaton, Max Linder, Charlie Chaplin, ou ainda Jacques Tati e os Deschiens.

Nos anos 1980, o casal se instalou numa antiga usina adaptada em Bruxelas para montar sua companhia, Courage mon amour, com a qual montaram quatro espetáculos. No cinema, deram seus primeiros passos em La Poupée, em 1992, de Bruno Romy, que depois se torna um colaborador próximo. Depois de muitos anos como comediantes de teatro e três curtas-metragens – Merci Cupidon, Rosita e Walking on the Wild Side -, Fiona e Dominique mantiveram suas raízes burlescas como fonte de inspiração para o primeiro longa-metragem da dupla, O Iceberg, de 2005, em colaboração com Romy. O filme participou de festivais de cinema em San Sebastian, Kiev, Zagreb. O segundo filme, Rumba, foi lançado em 2007 com grande êxito de público e crítica. Em 2011, foi lançado o terceiro longa de comédia burlesca da dupla, A Fada. Dominique Abel e Fiona Gordon chegam ao Festival Varilux de Cinema Francês 2017 com seu mais recente filme, Paris pieds nus. Além da participação de Emmanuelle Riva, o filme conta a atuação de Pierre Richard.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet