Editora Noir traz Mondo Sama, uma HQ sem auto-censura

20 histórias densamente elaboradas nas quais encontraremos a vivência do cotidiano, pensamentos inconformistas e uma espécie de filosofia adquirida vida afora – das decepções, frustrações, tristezas, alegrias, prazeres e orgasmos. É assim que a Noir apresenta Mondo Sama quereúne quadrinhos autorais e confessionais sem qualquer tipo de auto-censura escritos peloartista plástico e quadrinhista Eduardo Filipe ‘Sama’.

Nesta obra há o que se pode chamar de arte da militância, onde nada é gratuito ou descartável. Sama vive em Portugal há anos, onde, aliás, milita por esse país mais que muitos de seus compatriotas. Ele não esconde referências a autores hoje cultuados, vindos do underground e do submundo de uma cultura genuína, porém rotulada de maldita, condenada e combatida. Do brasileiro Carlos Zéfiro aos filmes de pornochanchada da Boca do Lixo paulistana, do americano Robert Crumb ao italiano Guido Grepax.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet