Editora Lorentz Anuncia Lançamento de Alvar Mayor

Em 2017, uma iniciante editora Lorentz do Rio Grande do Sul lançou uma edição de Dylan Dog que continha a história Retorno ao Crepúsculo, após a editora Mythos parar a publicação do personagem, o título ficou sem publicação desde 2006, e em 2017 completava 30 anos de publicação na Itália, para essa comemoração a Lorentz lançou três edições durante o ano citado, as histórias escolhidas foram, a supracitada Retorno ao Crepúsculo, Manchas Solares e Mater Morbi (vencedora do Ghastly Awards de 2016), porém, a editora Mythos recuperou os direitos de publicação do personagem e voltou a publicar o detetive do pesadelo.

Os três volumes lançados pela Editora Lorentz

Após um hiato de lançamentos em 2018, a editora retorna com um anúncio de um resgate histórico! Alvar Mayor foi o título anunciado, não se envergonhe de não se lembrar ou não conhecer o nome, afinal a última vez que a obra foi lançada por aqui foi em 1988, em uma publicação da editora Abril chamada “Aventura e Ficção”.

O personagem Alvar Mayor, foi um dos primeiros brancos nascidos na América, trabalha como guia através da América latina. Tem um senso de ética muito apurado, e, mesmo que não seja herói na acepção da palavra, se vê obrigado a intervir nos acontecimentos que atravessam seu caminho. Todas as histórias são auto conclusivas e podem ser lidas separadamente, apesar de terem uma leve ligação e um senso de continuidade.

O roteiro de Carlos Trillo evidencia a bestialidade e a crueldade dos colonizadores espanhóis, alternando entre o satírico e o sombrio em histórias extremamente concisas. Além disso, o roteirista se mune de lendas e relatos históricos para construir um quadrinho que surpreende de todas as maneiras.

A arte ficou a cargo de Enrique Breccia, filho do lendário Alberto Breccia, recentemente publicado por aqui em um belo exemplar pela editora Figura com a obra Mort Cinder e que começava a dar os primeiros passos da carreira longe do pai, já havia mostrado que tinha muita técnica. Agora, precisava mostrar que podia imprimir um estilo próprio e cativante em uma obra exclusivamente sua, seu traço em Alvar Mayor é elogiável: os desenhos são essencialmente expressionistas e realistas, trabalhando muito bem o uso do preto e branco puro na construção dos personagens e dos cenários. Por outro lado, Breccia consegue inserir no contexto da obra algumas feições exageradas que beiram o caricato – sem permitir que o leitor saia da atmosfera realista da história.

A nova edição terá capa dura, formato 20,3 x 27,6 e 224 páginas, compilando em ordem cronológica as 18 primeiras histórias da série. Confira abaixo algumas imagens da obra:

 

 

 

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet