AVEC lança Vera Cruz que combina o folclore nacional com Santos Drummont

Este mês chega, o livro “Vera-Cruz: Sonhos e Pesadelos”.

Criado pelo escritor e ilustrador Gabriel Billy (“Na Fronteira da realidade” Ed. Torre; “Madame Cosmópolis” Ed. Cutia), a obra traz a seguinte premissa: Imagine se a história do Brasil fosse um universo mágico, repleto de nações e povoado por figuras do folclore nacional, nossos inventores esquecidos, personalidades da família imperial, bandeirantes, revolucionários, artistas, e mais alguns nomes que você irá reconhecer (e outros de quem talvez nunca tenha ouvido falar).

Imagine um mundo fervilhante, onde as incríveis tecnologias que nasceram no Brasil – aviões, dirigíveis, rádio – convivem com a mágica do axé e das pajelanças, e nossos mitos de raiz abrem as portas para a glória ou a danação desse mundo-Brasil chamado Vera Cruz.

É nesse mundo que o ladrão Pedro Malazarte se lança à busca de Ivi Marã Ei, a Terra Sem Males, para encontrar o mais poderoso objeto que existe, a Borduna de Jurupari. A essa jornada repleta de desafios se unirão as figuras mais diversas, como a princesa quilombola Zaila, o índio amaldiçoado Urutau, o inventor frustrado Júlio César Ribeiro, a princesa destronada Isabel de Bragança, o curupira Oiti, e muitos outros personagens apaixonantes.

(Des)Construindo o Brasil Fantástico

Gabriel conta que teve três grandes objetivos interconectados ao escrever seu romance: “O primeiro era criar uma história divertida e interessante. O segundo era criar um universo fantástico bem atraente, onde eu pudesse criar outras boas histórias para ele. O terceiro grande objetivo era a reafirmação de uma identidade nacional tentando na medida do possível ser o mais plural que eu conseguisse”. É por esse motivo que o universo criado por Gabriel mistura o gênero steampunk (utilizando tecnologias de inventores brasileiros como Santos Dumont), com elementos de fantasia vindos do Folclore brasileiro. E os personagens seguem essas características e objetivos. “Que consigam ser personagens interessantes e divertidos, mas que possam demonstrar também algo da nossa cultura”, explica o autor. Ele também admite sentir falta de um cenário fantástico com característica peculiares brasileiras: “Existem iniciativas nesse sentido (de criar-se coisas com brasilidades), mas acredito que esse tipo de cenário ainda deva ganhar mais espaço”.

Quem é o autor   

Gabriel “Billy” Castilho é formado em Belas Artes pela UFRRJ. É escritor (“Na Fronteira da realidade” Ed. Torre; “Madame Cosmópolis” Ed. Cutia.), Ilustrador (NOÉ, Edur). Foi editor na editora Devaneio e Orago. É músico, tocando em bandas como “Gaiatos em Gaia”, “Projeto Isopor” e “The Morrigan’s Experiences”, além de ter composto junto com o grupo LIRA, trilhas sonoras para filmes argentinos (“Cara de Angel” e Backstage do longa “No morrire sola”

Vera Cruz nasceu da união do steampunk com personagens e elementos típicos das cultura tupiniquim. É, segundo o autor, uma grande homenagem ao Brasil com uma grande reunião de momentos históricos nacionais, tecnologias de inventores brasileiros, e elementos fantásticos do nosso folclore.

“Vera Cruz: Sonhos e Pesadelos” está à venda nas principais livrarias de Vera Cruz, digo, do Brasil e pode ser adquirido também na loja física da AVEC Editora através deste link.

Dependemos do apoio de leitores como você para ajudar a manter nossa redação sem fins lucrativos forte e independente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet