QUADRINHOS E HQS

Os 8 melhores livros lidos em 2016 já foi postado aqui (leia clicando aqui). Agora chegou a vez dos quadrinhos marcarem seu espaço no MN. Lembrando sempre que não necessariamente foram lançados esse ano, mas sim que eu finalmente consegui ler esse ano.

Esta matéria não serve apenas pra te mostrar os destaques do ano (na minha opinião) mas também pra servir de referência pra você leitor, caso tenha dúvida, caso queira pegar ou não algum quadrinho listado aqui, tenha alguns pontos a favor. Claro que essa lista dos 8 melhores quadrinhos lidos em 2016, não está no ranking de melhor e pior, mas, os 8 que foram destaques pra mim.

Obs. Algumas edições não foram possíveis destacar qual melhor, então nomeei a saga completa.


THOR – JASON AARON & ESAD RIBIC

OS 8 MELHORES QUADRINHOS LIDOS EM 2016Como não gostar dessa belezura que foi o Thor da Nova Marvel? Com uma carga um pouco mais tensa, JASON AARON trouxe a mitologia muito mais forte nessa fase, e a arte de  ESAD RIBIC está simplesmente sensacional. Eu sou fã do Deus do Trovão, mas confesso que algumas histórias da mitologia do deus nórdico em partes me parecia pouco inovadora, parecia que tudo girava sempre em torno das mesmas coisas, mas, não é o que acontece nessas edições. Tive apenas a oportunidade de ler essa fase já no encadernado da Panini, não acompanhava as mensais, então pra mim THOR – O CARNICEIRO DOS DEUSES e THOR –  BOMBA DIVINA, foi uma das melhores coisa que li nos últimos tempos. Gostei bastante também de THOR – O AMALDIÇOADO, e agora espero pela continuação ansiosamente.


HOMEM ANIMAL – GRANT MORRISON

OS 8 MELHORES QUADRINHOS LIDOS EM 2016No fim de 2015, houve uma grande comoção, por parte de alguns fãs, pois iria finalmente ser republicado a fase de HOMEM ANIMAL de Grant Morrison. Em meu antigo canal no Youtube cheguei a fazer um vídeo sobre a primeira edição HOMEM ANIMAL O EVANGELHO DO COIOTE, gostei muito e imaginei que a continuação pra mim, não seria tão boa, porque minha expectativa já havia subido a alturas catastróficas. Mas a fase de Morrison é ótima, a segunda edição A ORIGEM DAS ESPÉCIES, não deixa a desejar e aumenta ainda mais o problemas de Buddy, com tons discutíveis  sobre humanidade, sobre como tratamos os animais de modo geral e principalmente o amadurecimento do Homem Animal em várias dessas questões. Na terceira DEUS EX MACHIMA, é simplesmente emocionante, Morrison é conhecido por escrever histórias fora da caixinha, mas acho que nessa edição, tudo fez um sentido, e o posfácio é simplesmente fenomenal, não poderia não fazer parte do meu top do ano.


A SAGA DO MONSTRO DO PÂNTANO – ALAN MOORE

OS 8 MELHORES QUADRINHOS LIDOS EM 2016Óbvio, que ALAN MOORE não faltaria aqui. Na Saga do Monstro do Pântano, Alan começa de uma forma e eleva a um nível admirável o que se tornou o personagem. Já na época em que foi publicada pela primeira vez, essa saga garantiu o status que Alan tem hoje em dia, e abriu portas para outras grandes obras. Monstro do Pântano é o personagem central das edições, porém, os demais personagens tem espaço suficiente pra desenvolverem suas histórias e tornar tudo mais coeso. O terror constante, o medo, o amor e a esperança de um futuro de paz plena, faz com que nós nos identifiquemos com determinadas partes, a filosofia que se constrói ao longo das edições faz com que sejam levantados vários questionamentos sobre nossa própria humanidade. São edições que te prendem de uma forma que outras poucas conseguem.


LEX LUTHOR – BRIAN AZZARELLO E LEE BERMEJO

OS 8 MELHORES QUADRINHOS LIDOS EM 2016Talvez pelo momento em que eu estava lendo, essa edição conquistou um espaço legal nas minhas leituras do ano. Pra mim história marcante tem duas características: A trama é bem feita e a história desenvolve tão bem que você lamenta ter chegado ao fim ou a história leva a caminhos e no fim o plot twist estoura sua cabeça te surpreendendo e mudando toda sua visão em relação a tudo na história. Nesta edição acontece as duas coisas, LEX LUTHOR se mostra um filho da p*** de carteirinha desde o início, suas estratégias, seu ódio pelo Superman é algo que ansiamos pra saber os porquês, mas mesmo com uma trama ótima, Brian Azarello nos deixa um final que te surpreende. Sem contar que a arte de Lee Bermejo é mais do que sensacional, é linda em todos os sentidos e sua parceira colorista da o tom de luz e sombra como poucos conseguem.


DEMOLIDOR – BRIAN M. BENDIS & ALEX MALEEV

OS 8 MELHORES QUADRINHOS LIDOS EM 2016Lí essa fase pelas Deluxe Marvel e vejo que essas edições tem tudo que é preciso pra agradar os fãs. História muito bem escrita, trama tensa e bem amarrada, arte sensacional de Alex Maleev e edição linda Deluxe da Panini que da destaque na prateleira. Ostentação pura. Matt Murdock, acredito eu, é um dos personagens com mais apelo aos fãs adultos da Marvel. Nessas edições, temos espaço tanto para o Demolidor quanto Matt Murdock, tudo parece que está a um fio de estourar, tudo em partes parece perdido e de repente tudo se resolve. A máfia, os inimigos de Matt parecem muito mais preparados pra lidar com ele. A arte de Maleev deixa linhas mais pesadas e mais sujas, nada muito clean, a paleta de cores bem escura, pra passar um pouco mais do sentimento obscuro, corrupção e crime do bairro da Cozinha do Inferno. Eu li praticamente em uma tacada só, outros amigos que sei que leu também gostaram bastante e essa fase está entre as melhores do Demolidor, caso não conheça, ta aí uma ótima indicação.


O BOXEADOR – REINHARD KLEIST

OS 8 MELHORES QUADRINHOS LIDOS EM 2016Achei essa edição sem querer querendo. Em uma livraria, estava eu garimpando e encontrei essa única edição com 50% de desconto, escondido em meio a alguns livros. Quando lí essa edição ainda não fazia parte do time do MN então por esse motivo não tem review sobre aqui. Nesta edição acompanhamos a história de Hertzko Haft, um boxeador por necessidade. Essa é mais uma daquelas tristes histórias sobre mais uma das facetas da ditadura e o massacre de Auschwitz. Hertzko quis livrar seu irmão de ir para o campo de extermínio, e acabou sem querer indo em seu lugar, onde foi vítima de um jogo sádico dos soldados alemães. Basicamente um rinha de prisioneiros em troca de comida, onde matar e morrer são as únicas opções. Uma história triste, assim como Maus, conta as torturas da época e coisas inacreditáveis. A transformação de um filho que desejava salvar sua família em um homem carrancudo que perdeu a esperança na humanidade. Só você lendo pra entender o que estou falando. Com certeza vai rolar uma releitura sobre, e postarei aqui no MN mais detalhes. Essa edição está esgotada há um tempo, então se encontrar agarre-a sem pensar e desfrute dessa HQ baseada em fatos reais.


DAYTRIPPER – FÁBIO MOON & GABRIEL BÁ

OS 8 MELHORES QUADRINHOS LIDOS EM 2016Os dois irmãos fizeram essa belezinha aqui, que mudou meu modo de pensar na vida (pelo menos naquela semana). Várias situações aparentemente simples, temas do cotidiano, em partes temas banais. Mas a morte, retratada como um ponto final inesperado, assim como é na verdade. Deixa pra fazer algo depois, planejar tanto o futuro e esquecer de viver o agora.

Os personagens nos fazem repensar várias coisas em partes até fazer uma analogia a nossa própria vida. Recentemente os irmãos foram acusados de plagiar essa obra, mesmo assim, ainda continue gostando igual, seja verdade ou mentira o que eles fizeram aqui foi uma verdadeira obra de arte.


GOTHAM – ED BRUBAKER, GREG RUCKA e MICHAEL LARK

OS 8 MELHORES QUADRINHOS LIDOS EM 2016O nosso querido morcego de Gotham, tem uma enxurrada de boas história, e como sempre sua cidade possui também uma enxurrada de supervilões. Como um só homem pode ser responsável por pensar e agir contra tantos de uma só vez? A polícia de Gotham é sempre retratada em segundo plano, sempre falhos na missão, sempre corruptos ou incapazes. Essa edição nos faz acompanhar de perto o dia a dia dos policiais de Gotham contra supervilões e suas estratégias. Ed Brubaker sabe como escrever boas histórias de conspiração, como fazer algo sujo, corrupção intrínseca, mostra Gotham de um novo olhar. E o que mais gostei é que a história é ótima e o Batman quase não aparece, praticamente um figurante que tem um pequeno espaço pontualmente e some nas sombras da noite. Já estamos na segunda edição em capa dura republicada pela Panini e agora é aguardar pela continuação, que por sinal está demorando a sair.


Comente aqui quais foram os melhores quadrinhos que você leu em 2016. E que venha 2017 de muita história boa. Bem vindo ao Multiverso Comics.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here