Indicação | Livros com mães marcantes

Hoje é dia das mães, então nós aqui do Mundo Hype resolvemos relembrar algumas mães da literatura que foram marcantes para nós. Seja na vida real, seja no mundo literário, mães sempre estão presentes e exercem um papel fundamental, seja na trama ou na vida de um personagem.
A literatura com certeza tem muitos livros que falam sobre mães, mas os que vamos citar aqui, estas mães são protagonistas ou tem um papel essencial para a trama, sendo as vezes heroínas, as vezes vilãs e as vezes nos deixando na dúvida no que pensar sobre elas. Pensando nisso, trouxemos para vocês alguns livros com mães marcantes do mundo literário!

Quarto, de Emma Donogue

Quarto - Saraiva

A primeira mãe que me vem a cabeça e merece ser abraçada é a Mãe de Jack no livro Quarto de Emma Donoghue. Ela foi sequestrada pelo velho Nick e teve um filho dentro do cativeiro, e agora luta para que ele consiga ser feliz ali dentro, sem perceber que existe um mundo lá fora. É um dos livros mais tristes e especiais que já li na minha vida e é impossível esquecer o amor da mãe por Jack. Eu nem me lembro de ela tem nome, mas lembro que quando li este livro, não consegui parar enquanto ela não conseguiu tirar Jack de lá, mas ai percebemos que a vida deles lá fora era mais difícil ainda. Jack saiu daquele quarto, mas acho que até hoje não saiu de mim. Livro obrigatório para a vida. E obrigado Mãe, por sua coragem em criar um mundo bonito, mesmo vivendo no inferno.

Sinopse: Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la.
O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.

 

Pequenos incêndios por toda parte, de Celeste Ng

Pequenos Incêndios por Toda Parte - Livros na Amazon Brasil ...

Aqui temos duas mães. Elena Richardson, mãe de quatro filhos e que vive uma vida perfeita, com o marido perfeito, na casa perfeita, na cidade perfeita. E Mia Warrem, mãe solteira e artista, que vive mudando de cidade junto com sua filha. Duas vidas divergentes que se cruzam, ou melhor, que se colidem. E nos fazem pensar: Qual mãe é a mais correta? Existe sempre um lado certo e um lado errado? Uma ótima leitura para nos fazer refletir.

Sinopse: Em Shaker Heights tudo é planejado: da localização das escolas à cor usada na pintura das casas. E ninguém se identifica mais com esse espírito organizado do que Elena Richardson.Mia Warren, uma artista solteira e enigmática, chega nessa bolha idílica com a filha adolescente e aluga uma casa que pertence aos Richardson. Em pouco tempo, as duas se tornam mais do que meras inquilinas: todos os quatro filhos da família Richardson se encantam com as novas moradoras de Shaker. Porém, Mia carrega um passado misterioso e um desprezo pelo status quo que ameaça desestruturar uma comunidade tão cuidadosamente ordenada.

 

A corrente, de Adrian McKinty

A Corrente - Saraiva

O que você faria se sua filha fosse sequestrada? Rachel Klein faz tudo para salvar sua filha. Ela é vitima, sobrevivente e vilã. Parece uma leoa. Para salvar sua filha, além de pagar um resgate, ela precisa sequestrar outra criança, e convencer os pais desta a sequestrarem outra. Até hoje a corrente não foi quebrada. Até chegar a vez de Raquel, que vai até as ultimas consequências para salvar sua filha.

Sinopse: Vítima. Sobrevivente. Sequestrador. Criminoso. Você vai se tornar cada um deles. O dia começa como qualquer outro. Rachel Klein deixa no ponto de ônibus a filha de 13 anos, Kylie, e segue sua rotina. Mas o telefonema de um número desconhecido muda tudo. Do outro lado, uma voz de mulher avisa que Kylie está no banco de trás de seu carro, e que Rachel só verá a filha de novo se pagar um resgate — e sequestrar outra criança. Assim como Rachel, a mulher no telefone é mãe, também teve o filho sequestrado e, se Rachel não fizer exatamente o que ela manda, o menino morre, e Kylie também. Agora Rachel faz parte da Corrente, um esquema aterrorizante que transforma os pais das vítimas em criminosos — e, ao mesmo tempo, deixa alguém muito rico. A Corrente é implacável, apavorante e totalmente anônima. As regras são simples: entregar o valor exigido, escolher outra vítima e cometer um ato abominável do qual, apenas vinte e quatro horas antes, você se julgaria incapaz. Rachel é uma mulher comum, mas, nos dias que se seguem, será levada a extremos que ultrapassam todos os limites do aceitável. Ela será obrigada a fazer escolhas morais inconcebíveis e executar ordens terríveis. Os cérebros por trás da Corrente sabem que os pais farão qualquer coisa pelos filhos. Mas o que eles não sabem é que talvez tenham se deparado com uma oponente à altura. Rachel é inteligente, determinada e… uma sobrevivente.

 

Caixa de Pássaros, de Josh Malerman

Caixa de Pássaros: Não abra os olhos - 9788580576528 - Livros na ...

Existe algo no mundo que quando visto mata as pessoas. Mallory conseguiu sobreviver com seus dois filhos até agora. Desde pequeno ela os criou para conseguirem viver como se não enxergassem. Mas não existem mais mantimentos e ela descobriu que existe um lugar com outras pessoas, mas para chegar até lá eles precisam descer um rio, e de olhos vendados. Personagem excepcional da literatura de suspense contemporânea, sofremos juntos com Mallory em busca da sobrevivência.

Sinopse: Quatro anos depois de as mortes terem começado, há poucos sobreviventes em Michigan. Malorie e seus dois filhos pequenos estão entre eles. O trio faz parte do grupo que tenta resistir em um mundo no qual abrir os olhos pode ser fatal. Vivendo em uma casa abandonada, Malorie e os filhos não sabem o que se passa do lado de fora. Sempre com as janelas e portas cobertas e sem comunicação com o exterior, o local é uma área isolada no meio do caos. Até o momento em que uma misteriosa neblina atinge a região e Malorie toma uma decisão que adiou por muito tempo. Após quatro anos trancados, Malorie e as crianças fogem da casa em um barco a remo na esperança de encontrar um lugar distante do surto que matou todos ao seu redor. De olhos tapados, os três encaram uma viagem assustadora rumo ao desconhecido.

 

Ratos, de Gordon Reece

Ratos por [Gordon Reece]

Neste livro temos Elisabeth e Shelley. Mãe e filha. Duas mulheres submissas, que vivem como ratos se escondendo. Até que os gatos invadem a toca dos ratos, e ai vemos o que nossa rata mãe é capaz de fazer para proteger sua cria. Um livro rápido e tenso. Quem é o vilão e quem é o mocinho?

Sinopse: Shelley e a mãe foram maltratadas a vida inteira. Elas têm consciência disso, mas não sabem reagir — são como ratos, estão sempre entocadas e coagidas. Shelley, vítima de um longo período de bullying que culminou em um violento atentado, não frequenta a escola. Esteve perto da morte, e as cicatrizes em seu rosto a lembram disso.Ainda se refazendo do ataque e se recuperando do humilhante divórcio dos pais, ela e a mãe vivem refugiadas em um chalé afastado da cidade. Confiantes de que o pesadelo acabou, elas enfim se sentem confortáveis, entre livros, instrumentos musicais e canecas de chocolate quente junto à lareira. Mas, na noite em que Shelley completa dezesseis anos, um estranho invade a tranquilidade das duas e um sentimento é despertado na menina. Os acontecimentos que se seguem instauram o caos em tudo o que pensam e sentem em relação a elas mesmas e ao mundo que sempre as castigou. Até mesmo os ratos têm um limite.Um romance pronto para ser um clássico. 

 

A Guardiã da Minha Irmã,de Jodi PicoultViagem Literária: A guardiã da minha irmã - Jodi Picoult

O que dizer de uma mãe que decide ter uma nova filha para poder salvar sua filha? Vale qualquer coisa para salvar um filho? Até mesmo magoar outro filho? Este livro é cheio de dilemas éticos, que nos fazem refletir o tempo todo, tentando encontrar um lado para apoiar. Um livro sem vilões. Somente seres humanos. E que pena que eu senti desta mãe.

Sinopse: É certo fazer o que for preciso para salvar a vida de um filho… mesmo que isso signifique desrespeitar os direitos de outro? Anna não está doente, mas parece estar. Aos treze anos, já passou por inúmeras cirurgias, transfusões de sangue e internações, para que sua irmã mais velha, Kate, possa combater a agressiva leucemia que a castiga desde pequena. Concebida por fertilização in vitro para ser uma doadora de medula óssea perfeitamente compatível com a irmã, Anna nunca questionou seu papel… até agora. Como a maioria dos adolescentes, ela está começando a buscar sua verdadeira identidade. Mas, ao contrário da maioria dos adolescentes, ela sempre foi definida em função de sua irmã. Até o dia em que Anna toma uma decisão que para grande parte das pessoas seria inconcebível, que vai destroçar sua família e trazer consequências fatais para a irmã que ela tanto ama. A guardiã da minha irmã é um livro provocativo que retrata as difíceis escolhas de uma família dilacerada por uma doença – mas, acima de tudo, é a história de pessoas que lutam com todas as forças por aqueles que amam.

 

Precisamos Falar Sobre Kevin, de Lionel Shriver

Precisamos falar sobre o Kevin por [Lionel Shriver]

Eva e o marido tinham tudo na vida. Mas ela acha que seria legal ter um filho. O marido ficaria contente, todo mundo tem filho, se o marido morrer ela não envelhecerá sozinha, é exótico. Mas durante a gravidez ela já começa a mudar de ideia, sente que aquele ser dentro de sua barriga é um parasita. E ai chega Kevin. E sua vida realmente muda. Um dos livros mais fortes sobre maternidade já escrito. Mais um livro que nunca saiu de mim. Eva não chora. Mas choramos por ela.

Sinopse: Aos 15 anos, o personagem Kevin mata 11 pessoas, entre colegas no colégio e familiares. Enquanto ele cumpre pena, a mãe Eva amarga a monstruosidade do filho. Entre culpa e solidão, ela apenas sobrevive. A vida normal se esvai no escândalo, no pagamento dos advogados, nos olhares sociais tortos.

Transposto o primeiro estágio da perplexidade, um ano e oito meses depois, ela dá início a uma correspondência com o marido, único interlocutor capaz de entender a tragédia, apesar de ausente. Cada carta é uma ode e uma desconstrução do amor. Não sobra uma só emoção inaudita no relato da mulher de ascendência armênia, até então uma bem-sucedida autora de guias de viagem.

Cada interstício do histórico familiar é flagrado: o casal se apaixona; ele quer filhos, ela não. Kevin é um menino entediado e cruel empenhado em aterrorizar babás e vizinhos. Eva tenta cumprir mecanicamente os ritos maternos, até que nasce uma filha realmente querida. A essa altura, as relações familiares já estão viciadas. Contudo, é à mãe que resta a tarefa de visitar o “sociopata inatingível” que ela gerou, numa casa de correção para menores. Orgulhoso da fama de bandido notório, ele não a recebe bem de início, mas ela insiste nos encontros quinzenais. Por meio de Eva, Lionel Shriver quebra o silêncio que costuma se impor após esse tipo de drama e expõe o indizível sobre as frágeis nuances das relações entre pais e filhos num romance irretocável.

 

Meu Amor, de Victoria Redel

Livro pouco conhecido que conta a estória de uma obsessão. A mãe que planejou um filho com a única intenção de ter uma companhia, porém esqueceu que este ser algum dia teria livre arbítrio e vontades, e quando isso começa a acontecer, é que sua maior fobia vai crescendo: o medo de perder este filho, ou mesmo de dividi-lo com o mundo. Livro tenso

Sinopse: O que acontece quando se ama demais? Filha de pais que suicidaram por meio de um pacto de amor. a protagonista deste memorável romance de Victoria Redel passou a vida sendo deixada em segundo plano. Depois da morte dos pais. restou-lhe uma pequena fortuna e o desejo obsessivo de ter um filho. preenchendo assim o lugar de um grande amor. Eleito melhor livro do ano pelo Los Angeles Times. Meu Amor nos leva a uma viagem pela mente de uma mãe obsessivamente apaixonada. Com o título de Obsessão. a obra ganhou as telas com Kevin Bacon. Sandra Bullock e Matt Dillon.

 

Carrie, A Estranha, de Stephen King

Carrie foi criada por uma mãe completamente fanática. Sempre tratada como esquisita na escola isso só piora conforme ela cresce. Até o dia que tem sua primeira menstruação. Durante muito tempo tive medo de ler este livro achando que Carrie era alguma personagem demoníaca. Mas se existe algum demônio neste livro é Margaret White, sua mãe. As cenas cruéis em que ela castiga a menina estão entre as melhores e mais odiáveis coisas já escritas por Stephen King. Impossível não odiar esta mulher.

Sinopse: Carrie é uma adolescente tímida e solitária. Aos 16 anos, é completamente dominada pela mãe, uma fanática religiosa que reprime todas as vontades e descobertas normais aos jovens de sua idade. Para Carrie, tudo é pecado. Viver é enfrentar todo dia o terrível peso da culpa. Para os colegas de escola, e até para os professores, Carrie é uma garota estranha, incapaz de conviver com os outros. Cada vez mais isolada, ela sofre com o sarcasmo e o deboche dos colegas. No entanto, há um segredo por trás de sua aparência frágil: Carrie tem poderes sobrenaturais, é capaz de mover objetos com a mente. No dia de sua formatura, Carrie é surpreendida pelo convite de Tommy para a festa – algo que lhe dá a chance de se enxergar de outra forma pela primeira vez. O ato de crueldade que acontece naquele salão, porém, dá início a uma reviravolta cheia de terror e destruição. Chegou a hora do acerto de contas. Carrie, a estranha é um dos maiores clássicos de terror da literatura contemporânea e um dos livros mais aclamados de Stephen King.

Objetos Cortantes, de Gillian Flynn

Objetos Cortantes: O elenco perfeito — HeadcanonsCamille precisa voltar a sua cidade natal para fazer uma reportagem. No passado uma garota tinha desaparecido, e agora isso aconteceu de novo. Um dos motivos de Camille ter ido embora e ter todos os seus principais problemas que dão nome ao livro foi sua mãe, uma mulher neurótica e egoísta. Um livro com personagens femininos horríveis, que causam mal estar até o final cruel. Difícil imaginar que existam mães como a deste livro.

Sinopse: Série inspirada no primeiro romance de Gillian Flynn estreia em 8 de julho na HBO Depois do sucesso de Garota exemplar, primeiro best-seller de Gillian Flynn adaptado para o cinema, chega a vez de Sharp Objects: Objetos cortantes — livro de estreia da autora —, inspirar a nova série da HBO. Protagonizada por Amy Adams, Sharp Objects terá oito episódios e direção de Jean-Marc Vallée, que também dirigiu a premiada série da HBO Big Little Lies, com Nicole Kidman e Reese Witherspoon. Com reviravoltas surpreendentes, Sharp Objects: Objetos cortantes narra o retorno da repórter Camille Preaker, recém-saída de um hospital psiquiátrico, à sua cidade natal para investigar o brutal assassinato de uma menina e o desaparecimento de outra. Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã que praticamente não conhece. Hospedada na casa da família, a jornalista precisa lidar com as memórias difíceis de sua infância e adolescência. E à medida que as investigações para elaborar sua matéria avançam, Camille passa a desvendar segredos perturbadores, tão macabros quanto os problemas que ela própria enfrenta.

 

Gostaram? Esse artigo foi feito com a contribuição de Helder Gatti!

Vocês acham que faltou alguma mãe? Se sim, qual? Comentem aqui!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia Também

Emulando | Streets of Rage 4

As ruas estão novamente cheias de fúria. A lendária série 'briga de rua' (beat 'em up) Street of Rage retorna em um novo jogo...

Perfil HQ | Quem é o Monstro do Pântano?

Os monstros vendem. Sua natureza trágica inspira leitores e inflama a empatia por personagens que se afastam do arquétipo do herói. Exemplos como os filmes...

Castlevania | Dos clássicos Games a Netflix: passado, presente e o futuro da saga de Drácula

Castlevania não é somente a enésima tentativa de produzir um anime fora do Japão. Adi Shankar, seu produtor, dá a série da Netflix um apreço como homenagem aos...

Perfil HQ | Quem é a Capitã Marvel?

A visibilidade de personagens femininos na Casa das Ideias é um acontecimento que reflete uma inquietude cada vez mais presente em nossa sociedade. E...