Review I HELLBLAZER – “NA CADEIA”

Review I HELLBLAZER – “NA CADEIA”

Boa tarde amigos da Mundo Hype !!!

Eu sou o Paulo Cruz e estou voltando à partir de hoje, com uma nova coluna sem data fixa de postagem (pintou a ideia, vai para o site).

Minha proposta é falar de tudo relacionado a “Cultura Nerd” mas de um jeito diferente; como se estivéssemos em uma roda de amigos, jogando conversa fora (sem regras e sem pesquisas mirabolantes).

Trazer conhecimento, curiosidades e abrir um espaço para trocarmos opiniões, nos divertindo falando do que realmente gostamos.

Vamos falar do arco “Na Cadeia” de Brian Azzarello (roteiro) e Richard Corben (arte), estrelando o bruxo da DC Comics, John Constantine.

Não sou um grande fã do personagem, mas respeito a bagagem que ele carrega consigo, por estar a todo instante em contato com os grandes ícones da editora.

Este arco tem uma temática mais adulta e assustadora, e acontece em um presídio; um cenário ultra violento e sufocante e com diálogos de linguagem chula e carregadas de palavrões, e abrigando a escória da humanidade.

Em um caldeirão de raças, credos e etnias, acompanhamos a chegada de um novo prisioneiro: Constantine.

A natureza sarcástica, esnobe e prepotente de Constantine divide o presídio, onde a grande maioria quer matá-lo.

Mas após algum tempo e de acontecimentos assustadores, os detentos começam a ficar apavorados e com a certeza de que estão realmente no inferno….só que agora, o próprio Diabo está com eles!!

Mas por que Constantine está em um presídio de segurança máxima e a mercê de assassinos e estupradores por sua livre e espontânea vontade?

Somos lançados em um redemoinho de violência, horror, loucura e morte, em uma narrativa sem limites e acompanhada pela arte forte e agressiva de Corben (que chega a lembrança da arte de Robert Crumb), nos dando a noção exata do cenário violento e infernal que predomina neste arco.

Um marco dos quadrinhos, pois se trata da estreia de Azzarello em Hellblazer.

Fica aqui também registrada, a qualidade das capas a cargo de Tim Bradstreet (que fez muitas capas do Justiceiro), que dão o tom sombrio e aterrorizante das edições.

Bem vindo ao horror…..bem vindo ao universo de John Constantine…bem vindo a Hellblazer !!!!

E aí?….gostaram?

Deixem seus comentários, críticas e sugestões….e com base nas suas opiniões, vou postar assuntos de seu interesse e que agradem….para que continuemos nos divertindo e celebrando a amizade….conto com vocês….fuiiii !!!

Sobre o autor

Leia mais Reviews

Review | O dia em que te toquei, de Paula Toyneti Benalia

Olá leitores do Mundo Hype! Hoje trouxe para vocês a resenha de uma série de época de uma autora brasileira que tem me encantado...

Review | “VINGADORES PRIMORDIAIS”

Boa noite amigos da Mundo Hype !!! Eu sou o Paulo Cruz e esta é uma coluna sem data fixa de postagem (pintou a ideia, vai...

Review | A Paixão Segundo G.H., de Clarice Lispector

Ainda que a canção não tenha sido escrita para a escritora, toda vez que escuto a canção de Caetano Veloso e José Carlos Capinam...

Review | Neurocomic, de Matteo Farinella e Hana Ros

Eu amo livros de divulgação científica, isso é um fato. E quando é possível aliar divulgação científica com quadrinhos e uma edição incrível da...

Com Sangue, de Stephen King

Há uma máquina criadora de histórias, com alto índice de produtividade e criatividade que finge se passar por humano chamado S.T.E.P.H.E.N. K.I.N.G. - Hoje...

Review | O dia em que te toquei, de Paula Toyneti Benalia

Olá leitores do Mundo Hype! Hoje trouxe para vocês a resenha de uma série de época de uma autora brasileira que tem me encantado...

Review | “VINGADORES PRIMORDIAIS”

Boa noite amigos da Mundo Hype !!! Eu sou o Paulo Cruz e esta é uma coluna sem data fixa de postagem (pintou a ideia, vai...

Review | A Paixão Segundo G.H., de Clarice Lispector

Ainda que a canção não tenha sido escrita para a escritora, toda vez que escuto a canção de Caetano Veloso e José Carlos Capinam...

Review | Neurocomic, de Matteo Farinella e Hana Ros

Eu amo livros de divulgação científica, isso é um fato. E quando é possível aliar divulgação científica com quadrinhos e uma edição incrível da...