A Serie The Flash desenvolvida pela The CW, está no ar desde a sua estreia em 2014, com o ator Grant Gustin interpretando Barry Allen/Flash, como personagem principal. Desde a sua primeira temporada The Flash vinha sendo uma das series referências e de melhor adaptação de personagens de quadrinhos, a série é baseada nas HQs da DC Comics, e vinha trazendo várias referências das mesmas e isso é muito bom para os fãs do personagem The Flash.

Essa terceira temporada começou muito bem, apresentando o Flash Point, depois de uma tentativa desesperada de Barry salvar sua mãe, ele até conseguiu por um tempo, mas não durou muito, por que qualquer alteração no passado altera o presente e o futuro não só dele, mas de todos a sua volta e foi isso que aconteceu. Ocorreram sequências de mudanças que interferiram na vida do Cisco Ramon/Vibro (Carlos Valdés), Caitlin Snow/Nevasca (Danielle Panabaker), surgindo um novo personagem regular para serie o ator Tom Felton interpretando  Julian Dorn  e como Flash está ligado a outras serie como Arrow, Super Girl e Legends of Tomow ocorreu pequenas mudanças nessas series também, essa primeira parte da série foi mito bem introduzida e fez com que os telespectadores ficassem eufóricos com essa forma de unir series e de trabalhar fatos temporais.

A terceira temporada teve vinte e três episódios como a primeira e a segunda, com a mesma receita de bolo, começa com o gancho do final da temporada anterior, encerrando os problemas que foi detectado e os efeitos causados, após esse período Flash volta aos vilões semanais, e resolvendo assaltos a bancos, de vilões meta humanos sempre coma ajuda de seu meio irmão Wally West Kid Flash e sua equipe. O vilão Savitar é apresentado de uma forma tão espetacular dando uma aparência de um ser velocista imbatível, um deus da velocidade, de primeiro momento é uma imagem de personagem bem densa, com um propósito tão aceitável, que convence o telespectador de um ser tão grandioso que trará danos irreversíveis para Barry e sua equipe, atuando sempre um passo à frente dos heróis, se antecipando aos passos e deixando a equipe encurralada de primeiro momento,  mas no decorrer da temporada a trama principal tem que que durar até o final, e volta e meia, temos episódios perdidos e que não acrescentam nada a trama e nem ao Flash, fazendo com que a série se arraste do meio da temporada até o fim com melo dramas entre a Barry e íris, com a romantização forçando um terror que Savitar colocou e isso fez a série perder sua essência de ser uma coisa mais leve. As piadas do Cisco nessa temporada foram muito mal encaixadas, o Wally West não se encontra, uma hora sabe o quer outra hora não passa de um garoto perdido, HR que substitui Harrison Wells é um alivio cômico muito ruim. E chegamos a mais uma season finale onde as sequências são bem previsíveis, Savitar se mostra um vilão bem raso e com um propósito bem “mixuruca” se posso assim dizer, mesmo com essa queda de rendimento da série, vale o que foi proposto nessa temporada, os fãs não terão uma temporada tão empolgante. O que acontece na terceira temporada é mais do que já vimos na primeira e na segunda, o que mudou só foi o nome do velocista e isso também é uma coisa que faz a serie perder sua criatividade, sempre tendo um velocista como vilão.

Fica aqui nossa crítica sobre The Flash – 3º temporada, assistam a série e tirem suas próprias conclusões, mas até quando teremos um vilão mais rápido que Barry? Será que podemos usar aí a frase de abertura: Meu nome é Barry Allen e eu sou o homem mais rápido vivo.  E até a próxima.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here