A sétima temporada de The Walking Dead foi muito aguardada pelo público devido ao final eletrizante da sexta temporada, foram meses de espera e ansiedade para conhecermos melhor o Vilão Negan, interpretado por Jeffrey Dean Morgan, que enriqueceu o elenco da série em um nível altíssimo, tanto no figurino quanto na interpretação. Negan ganhou os fãs da série de primeira e passou a ser o vilão mais amado (ou odiado) de The Walking Dead.

Mas toda essa expectativa colocada em cima da série, acabou fazendo com que os roteiristas pisassem no freio em relação a alguns aspectos, essa temporada teve uma temática diferente, por ter mais de um núcleo ficou perceptível que se perderam em relação a enredo e sequencia da história que deveria ser contada, a abordagem em gravar episódios focados em determinados personagens é legal, mas da forma que fizeram nessa sétima temporada foi uma falta de respeito com os fãs, literalmente dormi em alguns episódios me obrigando a assistir de novo em velocidade avançada. A falta de ritmo dos episódios e falta de seguimento ao enredo, faz com essa temporada tenha a maior oscilação de audiência de público e pessoas que continuaram a acompanhar a série semana a pós semana.

Contrapondo a falta de ritmo e seguimento na história, temos belas atuações por parte do personagem principal Rick (Andrew Lincoln), consegui ver uma evolução do ator desde a primeira temporada até o atual momento da série, isso é incontestável e é fato consumado, ele pode estar em pleno desespero como no primeiro episódio ou demonstrar estar esperançoso que o ator consegue levar isso através da tela e transmitir ao telespectador a emoção que deve ser passada. Destaco que Rick, por uma razão bem simples – até quando os produtores tentaram se aprofundar em algum personagem eles escolheram personagens que não tem background para tal, então tudo fica muito superficial. Negan com suas risadas e sarcasmos na cara é um espetáculo à parte do que a série nos mostrou, ele consegue ser o vilão quando tem que ser, mas quando ele está com seu grupo Salvadores ele é um líder perfeito, em que sabe se impor diante dos seus subordinados, os salvadores em alguns momentos na série foram apresentados muito bem, como uma comunidade estabelecida e bem definida.

A série conseguiu fazer o mais difícil, ela se perdeu tentando estabelecer a Guerra entre as comunidades contra os salvadores, perdeu muito tempo rodando em círculos e não teve uma conclusão ao nível que The Walking Dead merece infelizmente, como falei anteriormente o que fez com que a série ficasse em um nível mediano, foram alguns episódios que davam alguma esperança que a temporada ia andar e voltar ao seu eixo. Fora isso a sétima temporada poderia até ser esquecida, TWD tem que de segurar história e mostrar o que tem que ser mostrado para continuar no ritmo e qualidade que nós espectadores gostamos de ver.

REVER GERAL
Roteiro
4'
Efeitos Visuais
8
Fotografia
7
Atuação
7
Direção
5
Trilha Sonora
10

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here