The Flash é uma série da origem de um dos heróis mais carismáticos do universo da DC, o Flash. A ideia da série é contar as primeiras aventuras e desafios que o herói teve quando recebeu seus poderes e sua trajetória até se tornar o The Flash que todos conhecemos e amamos.
E nos mostrar como o personagem evolui em relação aos seus poderes, e de como ele combate os vilões em sua cidade Central City, e introduz o conceito de multiversos e a força da aceleração,e sem mais delongas vamos ao que interessa.

O QUE GOSTAMOS:
Essa teoria que eles expandiram profundamente na segunda temporada de viagens no tempo e multiversos, trouxe uma nova pegada e um novo jeito de contar a trama para as séries da The CW, sendo considerado uma espécie de ” reboot “, e Flash foi o responsável por isso!
A idéia de existir uma Terra – 2 serviu muito bem para criar o vilão, do tipo ” será que ele é o Barry da outra Terra? “, estes pequenos mistérios que eles criam expandindo esse universo foi muito favorecido para se criar aquele apego do público pelos episódios e a cada semana deixar aquela vontade de quero mais, e por se tratar de uma serie longa é sempre bom deixar o público que assisti empolgado para próximo episódio!
A série por enquanto tem liderado em questões de ter o vilão mais surpreendentemente f*d# de outras séries, tendo o Flash Reverso como um inimigo terrivelmente bom e Zoom diabolicamente melhor, superando planos e expectativas de qualquer outro. E não digo isso no aspecto de ter um CGI legal, mas na elaboração nos dois vilões principais que tivemos até agora.
A iniciativa do romance entre Barry e Iris foi algo positivo, acredito que os fãs já se cansaram de ver tantos outros romances fora de contexto com personagens diferentes dos originais das HQ’s, como em Smallville (Clark e Lana Lang) e agora o fã service em Arrow (Oliver e Felicity ). Tudo bem que antes disso Barry teve um curto caso com a detetive Spivot, mas o sentimento entre ele e Iris se mostrou ser algo inegável, dando a entender que eles poderão ficar juntos mais próximo do que esperamos. (Não que a Patty não deixe saudades, que por sinal em alguns momentos foi bem mais elaborada, e com mais atitudes do a Iris)
Não podemos deixar de falar que a serie teve um tom bem eclético em momentos tensos, cômicos, sérios e tristes, isso é um ponto positivo principalmente para nós que assistimos, dá uma quebrada e não torna o seriado maçante.

O QUE NÃO GOSTAMOS:
Como já mencionei, o jogo que eles criaram em utilizar viagens no tempo e universos paralelos foi bom, mas para aqueles assistiram com muita atenção! Quem simplesmente se distraiu por um segundo, acabava perdendo uma explicação muito importante, o que o levaria a não entender porque tal fato aconteceu ou estava acontecendo, como por exemplo quando Zoom explica a Barry como se cria um ” remanescente do tempo “. Isto muitas vezes acaba frustrando o telespectador, por ter que pausar e voltar à cena ou simplesmente não entender o que acabou de ver.

CGI:
Por ser uma série, não se é esperado ter efeitos visuais de altas qualidades, como que cobramos em filmes, mas a equipe de The Flash tem se mostrado muito competente para realizar diversas tarefas com tantos poucos recursos e equipamentos, principalmente para a criação do vilão Tubarão – Rei, onde o filme Esquadrão Suicida descartou o personagem por se dizer ter muito trabalho em cria-lo e ainda assim não sairia numa qualidade esperada. Obviamente não é um CGI das mil e uma maravilhas, mas como já disse, por ter recursos mais limitados do que em produções de filmes, conseguiram resultados mais do que positivos e dignos pelo esforço de seus suores.

ATUAÇÃO:
Uma atuação deslumbrante se mostra necessário sempre, principalmente para personagens que possuem uma constante evolução.
A atriz Candice Patton, que interpreta Iris West, na primeira temporada não tem tido toda aquela emoção de sua personagem, talvez isto tenha sido escolha da produção, por deixa-la mais afastada para que tempos fosse mais bem trabalhada e explorada, mas nesta temporada notamos que ela se mostra mais entregue ao seu personagem, sente uma conexão maior entre ambas, principalmente em cenas onde ela se mostra firmemente ou quando fala palavras que demonstram seus sentimentos, seu jogo de postura e expressões deixa nítido a personalidade de Iris, o que acabou convencendo e agradando mais aos que antes não tinham aprovado a escolha da atriz.
Jesse L. Martin, que interpreta Joe West, ao meu ver é o grande destaque na série. Claro que Grant Justin faz seu papel perfeitamente, mas as emoções, as falas e entonações que Jesse sabe usar em cada momento, em cada fala, transparece realmente o personagem, o pai que ele é. Não é fácil dar conselhos, mas saber dar conselhos, onde a forma que você fala, do jeito que seu rosto expressa causar um impacto forte é difícil tanto para quem você esta contracenando tanto para quem esta assistindo.

TRAMA PRINCIPAL:
A trama principal muitas vezes se mostrou clichê, mas o que incentivava a continuar assistindo a cada episódio de fato foi o vilão Zoom.
A história teve seus altos e baixos, muitas vezes previsíveis como muitas vezes surpreendendo, mas que no fim conseguiu atingir a expectativa dos fãs.

TRAMA SECUNDÁRIA:
A trama secundária é uma ferramenta importante, ainda mais para uma série que tem 23 episódios. Se fosse tudo focado apenas no Zoom, pode se dizer que teríamos mais da metade dos episódios só de enrolação, o que já é normal acontecer quando utilizam outros vilões para quebrar o foco do vilão principal e não o torna-lo enjoado de tanto ver.
Se torna fundamental também porque Flash possui vários inimigos, claro que são meia dúzia os que mais o atormentam, mas é muito bom explorar os outros, mostrar suas origens, seus primeiros conflitos e o surgimento desta rivalidade.

EXPECTATIVAS PARA 3 TEMPORADA:
Zoom retornará como Flash Negro, já foi deixado claro isto no último episódio. Como será que a alteração do passado que Barry fez ao salvar a sua mãe no último ato da 2º temporada.
Será que veremos um Barry Allen casado, e com sua vida feliz como ele queria que fosse. O que nos resta é aguardar até outubro quando teremos o primeiro episódio da 3° temporada, para tirar essa nossa ansiedade e vazio que The Flash nos deixa.
As apostas para que a terceira temporada seja uma adaptação de Flashpoint, onde após salvar sua mãe, todo o futuro que Barry conhece muda drasticamente, será que termos mais uma adaptação desse famoso arco das HQ’s?
Bom pessoal e ficamos por aqui, esperamos que tenham gostado dessa análise/crítica, e até a próxima temporada!

Post em conjunto João Medina e Raul Barbosa.

REVER GERAL
Nota
8.5
Fundador - CEO - Designer - Desenvolvedor Web, Designer e Fotógrafo nas horas vagas. Apaixonado por cinema, viciado em séries e colecionador de HQs.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here