A volta da boa e velha Pixar!

Em muitas historias a mente humana é um assunto batido, já usada diversas vezes e em diversas formas por filmes, livros, quadrinhos… E dificilmente, se não bem trabalhado, conseguem extrair uma boa historia desse tema, mas Divertida Mente, ou Inside Out, consegue trabalhar muito bem essa temática balanceando muito um filme infantil e um filme mais serio, fazia tempo que não víamos aquela Pixar na tela, que nos emocionava com filme como Wall-E e UP.

Na minha opinião não vemos uma animação boa do estúdio desde Toy Story 3 (2010), onde o mesmo vinha por uma sequencia de continuações de seus outros filmes como carros 2 e Universidade Monstro. Em Divertida Mente temos a originalidade da Pixar de volta, em um roteiro muito bem construído que varia a comedia e o drama da obra, dosando cada parte do filme perfeitamente para que não fique naquela mesmice e empolgando o espectador fazendo com que ele torça para os personagens. Sim a maioria das animações são previsíveis, você sabe como tudo acaba, mas ai que temos o interessante do estúdio mesmo esperando o final feliz torcemos pra ele aconteça, se a historia for bem montada, mesmo você sendo adulto ou criança, o espectador se poe no lugar dos personagens e cativado por eles torce para que tudo acabe bem no final, foi meu caso.

O longa-metragem é sobre memórias e emoções, cujo as cinco principais emoções mostradas são Alegria, Tristeza, Medo, Nojinho e Raiva, que de forma muito divertida e criativa tem seu centro de comando na cabeça de Riley uma menina de 11 anos que vive em Minnesota, adora Roquei no gelo e é cheia de amigos. Até ai tudo bem, os problemas começam quando a família se muda para São Francisco por causa do emprego do pai da Riley.

O funcionamento do centro de comando comado pela Alegria é simplesmente muito bonito de se ver, tanto visualmente como pela criatividade, como por exemplo o uso das memorias ou os sonhos, Somos apresentados a vários conceitos da mente de forma bem criativa como amigos imaginários, o abstrato da mente, subconsciente, entre outros… E vemos o que acontece com a garotinha ao se mudar, como sua mente fica confuso e a dificuldade das emoções para tentar fazer Riley o mais feliz possível.

O Roteiro ao mesmo tempo que bem montado é sem pretensão, focando no corrida de Alegria e seu contraponto a Tristeza, as outras emoções tentando resolver o problema da Riley e a própria protagonista em si, podendo ser bem apreciado por qualquer tipo de publico. Alias de infantil mesmo, na minha opinião, só teria o visual dos personagens que são bem coloridos e a comedia, porque ao decorrer da obra temos temas bem subjetivos que não seriam de fácil entendimento para o publico mais jovem, como por exemplo a forte depressão que a Riley passa durante a mudança que foi muito bem abordada e de uma forma bem amena para não estragar o clima da animação.

Em suma Divertida Mente é volta da Pixar a suas ótimas animações, uma obra que irá te fazer rir, chorar, se emocionar e torcer, caso você tenha filhos, sobrinhos ou irmão mais novos assista junto com eles esse filme para entender o que se pode passar na cabeça de uma criança. Criativo e divertido o filme é altamente recomenda tanto para o publico mais velho como para o mais novo.

REVER GERAL
Nota
9

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here