Crítica | 365 days (365 dni – 365 dias)

Olá leitores do Mundo Hype! O artigo sobre a adaptação de 365 dni foi um dos artigos mais visualizados do site nos últimos dias. Sabendo da curiosidade de alguns dos nossos leitores sobre esse livro, hoje  trago para vocês a crítica do filme 365 dias (365 days). Lembrando que o filme é uma adaptação do livro de mesmo nome da autora Blanka Lipińska.

Vem saber tudo sobre 365 dni da Blanka Lipinska

Sinopse: Laura, junto com o namorado Martin e dois amigos, saem de férias na Sicília. No segundo dia de sua estadia – em seu vigésimo nono aniversário, a garota é sequestrada. O sequestrador acaba por ser o chefe da máfia da Sicília, extremamente bonito e jovem, chamado Don – Massimo Toricelli.

Ele teve uma experiência de quase morte – e quando seu coração parou de bater, ele viu uma garota na frente de seus olhos, exatamente igual a Laure Biel. Quando ele voltou à vida, prometeu a si mesmo que encontraria a mulher que ele viu.

Massimo dá à menina 365 dias para fazê-la amá-lo e ficar com ele. Do mesmo gênero de Cinquenta Tons de Cinza.

 

Com essa sinopse e toda a polêmica envolvida antes da estreia gerou um burburinho bem grande sobre esse filme. Mas será que vale isso tudo mesmo? Vamos descobrir! Vou separar em tópicos para facilitar minha análise do filme

  • Roteiro

Eu não posso criticar muito o roteiro que é basicamente romantização de Síndrome de Estocolmo, já que, nossa mocinha Laura se apaixona pelo cara que a sequestrou, a obriga a usar as roupas que ele quer (inclusive roupas íntimas) e ir aonde ele quer. Mas por que não posso? Basicamente romantizar sequestradores não é algo assim muito novo, já que já vimos isso desde nossa romântica história de A Bela e a Fera, passando por todas as adaptações que já vimos por aí, seja em Não me Esqueças,  ou mesmo um simples sequestro como Amor nas Highlands

Uma coisa que achei bem interessante foi eles explicarem no início do filme como Massimo ficou obcecado por Laura. não sei se isso é falado nos livros, mas isso fechou de uma forma bem bacana no filme, não sendo apenas uma informação jogada no meio daquela bagunça.

Ainda assim, a mídia tem vendido Massimo como um novo Christian Grey. Vamos deixar claro: Christian é uma criança no playground enquanto Massimo está na faculdade da loucura. Mas seguiremos. 

  • Elenco

10 mejores imágenes de 365 DNI en 2020 | Sombras de grey, 50 ...
Michele Morrone

Uma coisa que achei muito legal dos produtores foi convidar um ator italiano para fazer o papel do personagem principal, que também é italiano. Michele Morrone entrega para nós um Massimo plausível, perigoso, bonito e que faz a gente babar um pouquinho por ele. Michele se entregou ao papel e nos deu um personagem plausível com o que o roteiro permitiu que ele fosse. 

Anna Maria Sieklucka não me convenceu muito como Laura. Nem sempre ela deixava claro suas emoções, e não dava para saber se Laura estava feliz, excitada ou com medo. 

Já os atores secundários conseguiram convencer com seus personagens, que foram pouco aprofundados e não tinham muito para que os atores fossem além. Deixo um destaque para Natasza Urbanska, que interpreta a melhor amiga de Laura e deu um frescor ao filme nas cenas que apareceu.

NEWS] '365 DNI' de Blanka Lipińska, la nueva película Polaca ...
Elenco de 365 dni

  • Direção e Edição

Sabe aquele meme  do cavalo onde dizem: cada um faz a sua parte e depois a gente junta tudo? Foi isso que senti nos primeiros quinze minutos de filme. Os editores não sabiam o que fazer, cortando cena atrás de cena sem nenhum balanço de sentido, de fluidez e que só serviu para me deixar com dor de cabeça. 

Outra coisa que me irritou bastante foi a falta de criatividade da edição. Para mudanças de situações, em diversas partes do filme Laura estava acordando para indicar alguma mudança de cenário, de situação que não fazia sentido. As coisas começavam a acontecer… e Laura acordava em um lugar diferente. Tive a impressão que os dois diretores Barbara Bialowas e Tomasz Mandes não sabiam como dar continuidade e usavam o recurso de Laura acordar apenas para conseguirem dar andamento ao filme. 

Se você conseguir passar dos primeiros quinzes minutos, as coisas melhoram. Pelo menos, a edição se controla mais e o filme transcorre de maneira mais fluida. Tenta passar deles. Melhora, eu juro. 

Os diretores também desperdiçaram a classificação indicativa do filme para focar demais no sexo e esqueceram que o personagem principal é um mafioso, então poderiam mostrar muito mais sangue, perseguição e muito mais da cena da boate onde há consumo de drogas. 

  • Cena do barco

Essa cena do barco é a cena mais marcante e longa para se ver ao lado de familiares. Além de ser a cena onde o nosso casal Laura e Massimo enfim se entregam para a paixão tórrida que existe entre eles, a cena é longa, cheia de planos abertos e fechados e que muitas pessoas me perguntaram e eu também tenho essa dúvida: as coisas ali foram reais? Se não foram, parabéns ao atores por atuarem tão bem ao deixar essa dúvida no ar. 

365 DAYS MOVIE- YACHT SCENES

Outro ponto, no barco, no inicio da passagem do filme, haviam três pessoas: Massimo, Laura que novamente acordava, e Mario (Bronisław Wrocławski). Massimo e Mario conversavam no inicio até Laura aparecer, brigar com Massimo e eles se reconciliarem na cama. Normal e nada de novo sob o sol aqui. Porém, essa reconciliação vai além da cama do quarto, onde eles decidem marcar o território com seus fluídos corporais em TODO o barco, isso até nos rendendo uma ótima visão de drone que os diretores souberam usar. Nisso, eu me perguntei, cadê o Mario? Ele seria obrigado a assistir o povo se pegando no barco sem nada mais para fazer? Nesse momento, eu esperei que ele estivesse em sua cabine com o Candy Crush naquele momento de vidas ilimitadas para não ter que se preocupar em sair da cabine nem para procurar sinal de celular. 

  • Trilha Sonora

A melhor coisa de 365 dni é a trilha sonora. Poderia baixar a playlist completa e ouviria o dia inteiro tranquilamente. Souberam combinar as músicas com os momentos certos, e as músicas deram um tom mais sensual para o filme. 

Melhor coisa do filme. É isso.

  • Cena da prostituta

    Adaptação de 365 dni na Netflix • Mundo Hype
    Massimo e Laura na cena que não entendo

Já tentaram me explicar mas ainda não entendi essa cena. Só fiz esse tópico para pedir para que algum fã me explique ela. Sei que está no livro mas ela ainda não faz sentido para mim, nem narrativo, nem de fluidez da história. Quem puder me explicar, agradeço de coração. 

  • Final

É a melhor parte do filme, e nem vou ser sacana falando que é porque acaba. No final do filme vemos a edição, a direção e os atores entregando o máximo de si para fechar todo o meu sofrimento com chave de ouro. Se o filme inteiro tivesse essa qualidade, minha nota seria completamente diferente. 

A cena é bonita e intrigante, já que a câmera vai afastando, abrindo a imagem de um lugar paradisíaco com alguns carros de polícia e uns barcos no fundo. Você fica sem saber direito o que aconteceu, deixando um gancho sensacional para um próximo filme. 

  • Apanhado geral

Por fim, não achei o filme tão bom como os fãs falam por aí. Eu dei a nota 2,55/5 e a nota do IMDb hoje dia 18/05 quando esse crítica está sendo reescrita é de 3,6/10.

Muitas pessoas tem comparado 365 dni com a trilogia Cinquenta tons, mas a comparação não é cabível, pois Cinquenta tons é um filme bem mais sensual e a história tem maior fluidez, é mais completa. Você consegue perceber bem a passagem de tempo com o desenvolvimento do relacionamento dos personagens. 365 dni não é fluido assim, as passagens de tempo não são claras e parecem que algumas coisas são instantâneas demais, além de que esse filme é bem mais sexual (isso não é uma crítica). 365 dni tem sexo, muito sexo e bastante cenas de sexo, então, quem não quer ver sexo, melhor buscar outro filme para assistir. O filme é vendido assim. Não faz sentido buscarem críticas que vão reclamar das cenas de sexo. 

Assista por sua conta e risco e digam se concordam comigo ou não. Lembrando que o filme é para maiores de 18 anos. 

Comentem aqui se concordam ou não comigo e quais foram as suas impressões sobre o filme.

6 COMENTÁRIOS

  1. Vim saber desse filme em um trailer no You tube e deu vontade de ver… Não terminei de assistir não pelas cenas de sexo e sim pela bobajada geral da história. Fácil apaixonar-se por um bonitão ,rico e disposto a tudo para “controlar” a parceira. Além vamos combinar os atores são péssimos. Michelle é lindo mas fora das cenas de sexo a atuação dele é bem fraca. A atriz que faz a Laura nem se fala. Sem expressão e a voz dela segue do início ao fim do mesmo jeito. Tirando as cenas de sexo e a trilha sonora o filme é péssimo.

    • Concordo kkkkkk a trilha sonora foi a melhor coisa do filme
      O Michele é bonito, mas não se destacou muito. A atriz que faz a Laura… parecia que não sabia atuar direito.

  2. Bom, eu digo que ainda bem que os produtores do filme não seguiram a risca o livro … apesar de concordar com a crítica, percebi que Massimo poderia ter se destacado mais, agora a Laura estava perdida, e sempre a inferior, msm no começo se mostrando uma profissional inteligente nas primeiras cena.
    Agora, eu já li tds os outros livros, inclusive parei de lê o 3 livro, pq eu percebi q escritora Blankca se perdeu já no final do 2 livro … a trilogia em si .. se for baseada no que a autora do livro escreveu, e melhor q nem tenha os outros filmes, pq vai ser um fracasso!
    O filme e baseado na visão de Massimo qdo está preste a morrer, tem umas visão de Laura, e ali ele luta pra achar a mulher dos seus sonhos, ele errou ao sequestra lá, mas enfim, foi o amor … e daí ele faz de td por ela … mas se seguir a linha a escritora, no final ela destaca Massimo como viciado, estrupador e td de ruim … já Laura uma inconsequente, vadia, q se apaixona por um outro sequestador, só pq ele tem tatuagens pelo corpo td, e acha q ele e gentil, sendo q esse sequestador a sequestrou para o cunhado matar lá … nossa que nojo eu tive desse terceiro livro ?
    Infelizmente no final do 2 livro a trilogia perde a essência, a escritora perdeu td o senso da história, e assim estragando a trilogia, q e óbvio q nunca será comparada a 50 Tons de Cinza.
    Fica aqui a minha indignação por essa tentativa de trilogia … queria mto q os produtores do filme até continuassem, mas não seguindo a linha da autora da trilogia !!

  3. Os atores principais são lindos, a trilha sonora muito boa e as cenas de sexo,. Ahh nem preciso nem dizer. Foram as melhores que já vi até hoje.
    Muito real e o entrosamento entre os dois não se explica.
    Mas tirando isso achei que ficou meio vazio.
    As cenas que tinham começo não tinham fim e as que tinham fim não tinham começo. Não soube bem descrever os sentimentos da Laura, pra se era medo, sedução, raiva,… Me deixou a desejar somente nesse ponto.
    Espero que os diretores caprichem mais no segundo.
    Pelo ao menos a minha expectativa é grande. Kkk

  4. Concordo plenamente, em 4 dias li a triologia e odiei o segundo livro após o natal em família, nada a ver ela ser sequestrada e se apaixonar pelo sequestrador que na minha visão apareceu um homem nada a ver com máximo digamos de aparência, no 1 ele se mostrava um homem lindo maravilhoso com desejos além do normal, mas mesmo assim romântico e demonstrandouito amor por ela. Já no 2 já comecei a detestar, no 3entao nem terminei direito pulei várias partes com raiva deste fim.
    Gostaria muito que tivesse o segundo filme ,mas com outra história. Pq ele pode simplesmente ser um mafioso cruel ,mas com muito amor. Caramba queria um final feliz pra eles ,com muitos tiros e amor

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Crítica | Green Book – O Guia

Green Book - O Guia chega aos cinemas pra mostrar o quanto a sociedade americana mudou desde a segregação que aconteceu lá no final...

Crítica | A Favorita

A Favorita chega talvez como o maior “favorito” do Oscar deste ano, concorrendo em dez categorias: melhor filme, direção, roteiro original, atriz (Olivia Colman),...

Crítica | Capitã Marvel

A Capitã Marvel chega ao universo da MCU com duas grandes responsabilidades nas mãos, que é apresentar uma personagem que teoricamente teria papel definitivo...

Crítica | Shazam

Shazam chega ao cinemas em uma boa época para a DC/Warner já que Aquaman foi sucesso absoluto de bilheteria, e baseado em materiais promocionais...

Crítica | Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa

Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa chega aos cinemas anos depois de Esquadrão Suicida (2016) onde a Arlequina ascendeu para o mundo...

Crítica | O Escândalo

O Escândalo chega aos cinemas pegando carona em fórmulas que foram bem sucedidas em filmes como Vice e A Grande Aposta (ambos de Adam...