Crítica | Power Rangers

Hora de Morfar!

Um dos grandes acertos da Lionsgate foi fazer a produção de Power Rangers. Os detalhes novos, a atualização do traje, Zordon com uma história diferente e finalmente revelada. Tudo isso são os detalhes que mais prendem a atenção do telespectador.

A aprofundação dos personagens é um elemento a se observar. Não são os jovens legais da série clássica dos anos 90. Não! São os adolescentes mais problemáticos que você verá. Um autista, o atleta, a homossexual, a deslocada e o bad boy, todos na detenção da escola em que estudam, uma referência ao Clube dos Cinco.

O filme contém diversas alusões a série dos anos 90, porém, não só à ela. Vemos alguns referências as outras temporadas, quem for fã vai saber onde elas estão escondidas.

A trilha sonora é magnifica, desde uma versão mais recente de “Stand By Me” até a música clássica de “Go Go, Power Rangers!”, tudo isso para trazer aquela nostalgia ao fã antigo. O roteiro se encaixa em uma coisa mais direta. Se você já viu um episódio de alguma temporada antiga, saberá que o filme segue esse mesmo plano. Uma hora sendo extremamente tocante, outrora sendo esdrúxulo demais.

No começo do 3° ato, nota-se um pequena falha no roteiro. Zack, Jason, Billy, Kimberly e Trini ficam um pouco fora do contexto em que o filme seguia, mas não é nada que comprometa a narrativa.

O filme conta com diversos alívios cômicos, as vezes até forçados demais. Isso pode ser dar ao fato da atuação de todos os protagonistas ser um pouco fraca, mas deve ser relevado pelo entendimento de Power Rangers ser o primeiro filme de todos eles.

Rita Repulsa está bem produzida, os detalhes de sua armadura, de seu lado sombrio e desejo por vingança, são os pontos altos da personagem. Claro, nem tudo é perfeito e vemos algumas falhas genéricas.

Em determinados momentos do filme, se pode notar o fundo de chroma key, e o efeito usado no Goldar é extremamente amador. Mas, a nostalgia está presente e quem for realmente fã de tudo isso, não ligará ou talvez até não notará essas pequenas falhas.

Um pequeno erro da produção, foi infelizmente, cortar as cenas expostas no trailer. O motivo talvez nunca saberemos, mas sentimos falta do beijo entre Jason e Kimberly, e a cena do trem, que provavelmente seja a primeira aparição de Tommy Oliver.

Sim! Tommy estará no próximo filme. Não sera o ator da série clássica, com certeza será um novo ator, um mais jovem. Mas, podemos esperar um personagem bem pesado e mal.

ANÚNCIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet