Crítica | Mulher-Maravilha

A DC não teve o êxito esperado em seus 3 primeiros filmes (Homem de Aço, Batman v Superman e Esquadrão Suicida), por mais que suas bilheterias lhe rendessem um valor agregado consideravelmente alto, a DC parece não ter agradado tantos fãs como gostaria, trazendo uma grande nuvem de desconfiança para cima de sí mesma. 

A aposta em um filme solo da Mulher-Maravilha, também foi algo arriscado, já que nessa era de Super-heróis no cinema, ainda não teve nenhum longa que trazia uma heroína como protagonista. Graças aos deuses do olimpo, Diana Prince teve sua chance e DC saiu na frente no quesito Girl Power.

O longa conta a origem da Princesa Diana (Gal Gadot),  filha de Hipólita (Connie Nielsen) Rainha das amazonas, Diana cresce ouvindo histórias sobre os malefícios da guerra, em sua ilha chamada Themyscira, Diana tem plena noção que quer se tornar uma guerreira digna de uma amazona e se prepara para o dia em que terá que confrontar um dos maiores inimigos da humanidade.

Mesmo vivendo isolada em Themyscira, sem nunca ter tido contato com outros povos, é chegado o dia em que Diana finalmente faz contato com o mundo dos homens através do piloto Steve Trevor (Chris Pine) e descobre que a paz que reina em sua ilha, está longe de ser a paz do mundo exterior. Agora, Diana se vê como uma ferramenta necessária para acabar com a guerra e trazer paz também ao mundo dos homens.

Dotada de uma carga de ingenuidade e valores que os homens perderam a muito tempo, Diana não se conforma com o sofrimento do mundo, e deduz exatamente quem é o grande vilão que está por traz disso.


Destacarei alguns pontos negativos primeiros e depois os positivos:

MULHER MARAVILHAO filme tem a duração de 2h e 21min, não é algo muito longo se comparado aos filmes de hoje, mas tudo depende do ritmo da trama. Assim como aconteceu também em Batman v Superman, por ser uma história de origem, a DC parece não ser criativa suficiente e usa o mesmo formato de narrativa para seus filmes. Com isso compromete o ritmo da história, não mantendo um crescente, mas sim alternando entre momentos agitados e depois de longas calmarias.

Por mais que a história seja muito bem ambientada e fiel as origens da personagem, pouco surpreende ou melhor tenta surpreender mas não causa esse sentimento. Utilizaram de uma ferramenta já usada em outras toneladas de filmes por ai. 

Outro aspecto que incomoda, algumas vezes é o uso de computação gráfica para os movimentos da heroína, é algo tão complexo que deixa a impressão que um corpo humano não seria capaz de fazer. Nada que atrapalhe ao longo do filme, mas é perceptível.

Outra falha da DC foi em ter colocado o ator Russell Crowe em uma pequena participação no filme, nada contra o ator, mas parece que a DC que está construindo tudo em um mesmo universo, se esqueceu ou não deu importância de  que o ator já havia aparecido como Jor-El pai de Superman no filme Homem de Aço em 2013. Há quem diga que é mimimi, mas estamos atentos a tudo.

Na minha opinião temos tantos filmes de heróis ultimamente e parece que não estão preocupados em escrever grandes histórias, tramas que te deixam de boca aberta, acontecimentos inesperados. Hoje parece tudo muito plastificado, muito padrão, por isso filmes que saem dessa forma como Logan e Deadpool fizeram sucesso entre os fãs do gênero, inova sem descaracterizar os personagens.

Mas calma, calma que destacarei pontos importantes do filme e juro que eles são mais relevantes e perceptíveis.

A fotografia do filme também está de parabéns, logo de começo fica claro o cuidado com os cenários utilizados no filme, é algo muito lindo de se ver, as cores gravam bem o tom de cada ambiente e deixa claro a preocupação de passar sensações visuais. O filme em sí se rende a vários momentos dignos de posters. Em meio a guerra, as filmagens parecem filmadas a luz natural, o que te carrega fácil pra dentro das telas.

MULHER MARAVILHAO roteiro aparentemente não tem furos (pelo menos na história de Diana), é algo que não deixa duvida sobre nada, tudo é muito bem explicado e colocado de uma forma simples, mesmo para as pessoas que não tem nem ideia de quem eram os deuses do Olimpo.

Assim como nos filmes anteriores as trilhas utilizadas foram ótimas, traz sensações e empolga. A atuação de Gal Gadot está muito boa, ela representa bem a Mulher Maravilha, deixando claro que vai fixar a personagem a sua imagem. O ator Chris Pine que interpreta o piloto Steve Trevor está muito bem no papel também. Juntos protagonizaram cenas cômicas que a DC ainda não tinha conseguido. Em geral o elenco está de parabéns, atores de peso como: Chris Pine, Connie Nielsen, Danny Huston, David Thewlis, Elena Anaya, Gal Gadot, Lisa Loven Kongsli, Lucy Davis, Mayling Ng e Sem contar a participação da atriz Robin Wright, (House of Cards) que está muito bem. 

Não irei me alongar mais, acredito que falar que o filme é bom ou não é algo muito pessoal, na minha percepção eu gostei, não achei ótimo mas gostei!

Agora espero que você assista o quanto antes e depois deixe seu comentário aqui sobre o que achou do filme. Caso esteja curioso sobre as últimas notícias, Clique Aqui e veja informações uteis antes de assistir o filme.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet