Crítica | It, Uma Obra Prima do Medo (1990)

Começando a contagem regressiva para a estréia do remake de It: A Coisa chegar nas telonas no dia 7 de setembro (se ainda não viu o trailer, confira aqui) vamos falar um pouco de sua primeira adaptação, dos anos 90 e direto para TV como uma minissérie de dois episódios, logo depois foi convertido em um VHS (fita de vídeo para os fãs mais novos) duplo totalizando suas três horas de duração, afinal a obra literária de Stephen King possui monstruosas mais de 1000 páginas.

Somos apresentados à pequena cidade de Derry, no Maine, e logo na primeira cena nos é revelado o palhaço Pennywise, interpretado assustadoramente por Tim Curry, atraindo sua primeira vítima amigavelmente e matando-a logo em seguida, no momento que a polícia chega ao local, um dos personagens centrais da trama é revelado, Mike Hanlon (Tim Reid) um bibliotecário morador da cidade que mostra saber o que pode estar acontecendo e entra em contato com seis amigos que faziam parte do mesmo grupo quando mais jovens e lembrá-los de uma promessa que fizeram.

A partir de cada ligação de Mike, a infância de cada um é mostrada em detalhes, o que gera o aprofundamento necessário aos personagens, devido às assustadoras lembranças de cada criança vamos nos apegando e nos identificando com cada um deles, primeiro com Bill (Richard Thomas) que é um famoso escritor, com obras cujos títulos lembram os nomes dos livros do próprio Stephen King, como The Glowing, uma clara referência à The Shining (O Iluminado).

O bem-sucedido arquiteto Ben (John Ritter), a única garota do grupo Beverly (Anette O’ Toole) uma empresária com um marido abusivo, Eddie (Dennis Christopher) que ainda vive com sua controladora mãe, Richie (Harry Anderson) um requisitado comediante, e Stan (Richard Masur) um pacato homem de família.

A ligação entre cada personagem ainda criança mostra a união que o grupo passa a ter, pelo medo individual que Pennywise transmite para cada um deles, não aparecendo somente como um palhaço, aí é que está a genialidade, ele se transforma e se adapta ao medo de cada criança, aparecendo como um lobisomem, como uma caveira revestida de musgo e no final de cada aparição, como o sinistro palhaço devorador.

Toda essa primeira parte do filme, mais ou menos a primeira uma hora e meia é dedicada a esse confronto com Pennywise pelo grupo de crianças, aqui vividos pelos atores mirins na época, Johnathan Bradis (Bill), Seth Green (Richie), Emily Perkins (Bev), Adam Faraizi (Eddie), Marlon Taylor (Mike), Brandon Crane (Ben) e Ben Heller (Stan), que conseguem derrotá-lo. O grupo tem uma ótima química nas cenas, parecendo realmente amigos.

A segunda parte, já com eles adultos, passa a ser narrada com o retorno dos amigos para a cidade para novamente tentar conter a nova ameaça de Pennywise. Os melhores momentos dessa segunda parte realmente são como o palhaço afeta cada um deles nessa volta, e aqui Tim Curry brilha em atuações com maldade e comédia na medida certa, como na cena do cemitério ou na estrada, o problema fica realmente com as interações entre os atores, que não demonstram a mesma cumplicidade que as crianças tinham.

Mesmo sendo um filme de quase 30 anos atrás a aura de suspense e terror está lá, claro que a tecnologia dos efeitos e de alguns recursos deve ser perdoada, e deve ser vista com os olhos de outra época, pois a mesma evoluiu e torcemos que melhorem alguns aspectos estéticos nesse novo remake, mas que mantenham essa ambientação amedrontadora e claustrofóbica que temos aqui, como a aranha em stop-motion do final do filme, a técnica em stop-motion evoluiu magistralmente, e é utilizada em animações até hoje.

E justamente um dos pontos baixos do filme é esse embate final, utilizaram o mesmo artifício de quando eram crianças e do mesmo modo, ficou sem sentido todos já adultos não terem pensado em uma melhor maneira de enfrentar o monstro.

Uma curiosidade, no filme, Pennywise reaparece a cada 30 anos e estamos bem próximos de comemorar 30 anos do lançamento do primeiro filme de 1990. E o ator Tim Curry chegou a ser cotado para fazer o Coringa em Batman, porém como todos sabemos quem ficou com o papel foi Jack Nicholson.

Qual a expectativa de vocês para esse remake? Pelos trailers Pennywise parece que continuará aterrorizante, até a próxima!

ANÚNCIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet