CRÍTICA – A Garota no Trem

A garota no Trem foi lançada no Brasil no dia 4 de novembro, pouco se sabia que íamos ter uma adaptação do livro que é bem desenvolvido e tem uma narrativa bem empolgante com um suspense, mistério e drama bem encaixado, e quando vi o primeiro trailer a expectativa aumentou, por ter sido um trailer bem pé no chão e apresentando o filme de uma forma bem chamativa com um elenco de peso Emily Blunt, Rebecca Ferguson, Luke Evans e outros atores que conseguem entregar uma atuação de alto nível!


A trama se desenvolve em torno de Rachel interpretada por Emily Blunt, que é uma mulher divorciada, que vive para se lembrar de seus traumas do passado como o fim de um casamento que seguindo ela era um casamento feliz, mas que começou a ter as expectativas frustradas nesse relacionamento quando ela decide que está na hora de ter filho, mas não consegue, e a partir daí a sua vida começa a tomar um rumo de amargura e se entrega para o alcoolismo, gerando todas essas consequências em sua vida. Tudo isso bem resolvido em uma ou duas cenas para que nos se situemos nesse drama pessoal de Rachel.

A Garota no Trem tem um início lento que já era de se esperar, por tudo que descrevi acima de apresentar a personagem principal, e fazer com que chegue no momento que a trama começa a se desenrolar com a inserção de outros personagens como Megan (Haley Bennett) que por sua vez consegue trazer uma personagem com um background muito pesado e uma atuação impecável, variando as cenas entre pensamentos de fatos que levaram a ser essa personagem tão instável que se deixar ser tão isolada e deslocada do mundo em que ela vive, dilemas com seu atual marido Scott (Luke Evans), e que é apresentado com uma personalidade forte e tão seguro, que só confirmamos o trabalho que o ator vem fazendo em sua carreira, como o Bard seu personagem na trilogia  O Hobit, Owen Shaw em Velozes e Furiosos 6  e outros, um ator mostrando que merece um destaque no momento atual, expressões fortes e diálogos bem encaixados entre Scott e Rachel. O elenco de A garota no Trem também conta com Rebecca Ferguson interpretando Anna, Justin Theroux no papel de Tom, Édgar Ramírez como Kamal Abidic e outros atores que fazem sua ponta no filme, mas esses são os que fazem a trama se desenrolar!

O formato do filme é bem desenvolvido como falei acima, contando uma boa história e trazendo flashbacks dos personagens, mas não para dar explicações escrachadas para o público, são cenas que são necessárias, e isso é interessante por que o filme é uma história contada que gira em torno de 3 personagens, sendo cada uma delas tendo sua importância no enredo do filme.

Garota no Trem é uma boa pedida para quem quer sair da mesmice que estamos vivendo ultimamente nos cinemas, com uma pegada mais adulta, um fato relevante e até curioso, na sala que fui ver não era tarde da noite nem nada, era uma sessão das 16 horas da tarde, e uma sala completamente adulta, sem nenhum barulho, isso mostra que o público consumidor de cinema está carente de filmes mais adulto, com roteiro e tramas bem elaborados, é isso pessoal, uma boa pedida, sem mencionar a trilha sonora suave feita nada menos que Danny Elfman,  que em 2017 venha mais filmes bons!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você não está conectado à internet