Crítica | The Voyeurs (Observadores)

The Voyeurs foi um suspense que chegou de maneira discreta na plataforma do Prime Video, e que só chamou minha atenção depois da recomendação de amigos (uma recomendação um tanto quanto estranha do Christian). E, depois que sentei para assistir, entendi porque esse filme foi tão bem recomendado.

Sinopse: Depois de se mudarem para um lindo apartamento no centro de Montreal, um jovem casal começa a se interessar cada vez mais pela vida sexual de seus vizinhos excêntricos do outro lado da rua. O que começa como uma curiosidade inocente aos poucos se transforma em uma obsessão doentia, depois que descobrem que um dos vizinhos está traindo o outro. A tentação e o desejo fazem com que suas vidas se enredem de maneiras inesperadas, levando a consequências mortais.

Dirigido e roteirizado por Michael Moham, The Voyeurs conta a história de um casal que acabou de se mudar para um novo apartamento, Pippa (Sidney Sweeney) e Thomas (Justice Smith). Os dois, no meio de um jantar, percebem que conseguem ver de forma clara a vida do casal em frente, e acabam ficando obcecados em observar e acompanhar a vida de seus vizinhos. Porém, essa obsessão vai tomando proporções que nós não esperamos. A história que começa com um romance de um casal feliz e curioso se torna um suspense que prende a atenção de quem assiste, pois nunca sabemos o que pode acontecer a seguir.

Prime Video: Observadores
Pippa e Thomas

Até onde somos capazes de ir para saber da vida dos nossos vizinhos? Por mais que o filme nos apresente janelas completamente escancaradas, essa é uma das primeiras perguntas levantadas na narrativa. Pippa e Thomas quebram uma barreira importante, da privacidade alheia, mas, extrapolando para a vida real, quantos de nós já não fez isso alguma vez na vida? Ou já teve sua privacidade invadida?

Pippa, ainda mais do que Thomas, começa a se envolver mais e mais na vida que assiste de seus vizinhos, e acaba se perdendo na história deles, esquecendo-se de viver sua própria história. E, por esse envolvimento, as coisas começam a se desenrolar de uma forma completamente imprevista – plot twists à la M. Night Shyamalan

Não quero me aprofundar muito mais nos acontecimentos do filme para não atrapalhar a imersão de vocês, mas garanto que, nos 30 minutos finais, a história vai tomando proporções maiores e mais impactantes do que imaginamos. E, ao terminar The Voyeurs, precisei de alguns minutos para me recuperar e raciocinar tudo o que aconteceu. E dois personagens importantes tiveram seu merecido (e surpreendente) final.

Observadores

A pergunta que fica é: até onde temos privacidade? E até onde podemos invadir a privacidade do outro, mesmo que por uma janela, por uma câmera, ou algo do tipo? São questionamentos necessários, ainda mais vivendo em uma sociedade que, anualmente, se reúne em frente à TV para espiar a vida de pessoas aleatórias.

Recomendo muito assistir ao filme, e já deixo de aviso que a classificação é 16 anos, então atenção a cenas de nudez que são bem presentes. Se já tiverem a idade da classificação indicativa, The Voyeurs é um filme que vale a pena ser assistido, refletido e discutido com amigos.

 

Leia mais Críticas