Crítica | Postais Mortíferos

Boa tarde aos amigos do Mundo Hype.

Hoje vou falar da estreia de ontem no Telecine Premium: o filme “Postais Mortíferos“.

Um filme policial e que traz o ator Jeffrey Dean Morgan (“Supernatural” e “The Walking Dead“) como protagonista principal no elenco.

Vem comigo na resenha !!!

De início vamos à parte técnica:

Sinopse: Um jovem casal norte-americano é brutalmente assassinado durante a lua-de-mel em Londres. Destroçado, o detetive Jacob Kanon (Jeffrey Dean Morgan), pai da jovem assassinada, deixa Nova Iorque e viaja para a Europa, decidido a investigar e capturar o culpado. Ao descobrir que casos similares também aconteceram na França, Alemanha, Dinamarca e Suécia, ele percebe que está diante de um assassino em série.

Elenco: Jeffrey Dean Morgan  (Jacob Kanon), Famke Janssen (Valerie Kanon), Cush Jumbo (Dessie Lombard)….entre outros.

Como visto acima na sinopse, no início do filme nos é mostrado que o Detetive Jacob Kanon (Jeffrey Dean Morgan) está em um necrotério fazendo o reconhecimento dos corpos de sua filha e genro, que foram brutalmente assassinados em Londres.

Destruído pela dor da perda, ele resolve por conta própria viajar para a Europa, assim que recebe informações que outro assassinato com o mesmo “modus operandi” de sua filha aconteceu em outro país.

Conforme a investigação vai se aprofundando, é formada uma elite de policiais para caçar os assassinos, que matam casais e os deixam da mesma forma que as imagens dos cartões postais, que são enviadas para a impressa.

Nos postais são encontradas as mensagens que falam de dor, perda e principalmente de amor (mas que amor é este que provém das mortes violentas?).

 

Jeffrey Dean Morgan está à vontade neste filme, e sabe como dosar em seu personagem a dor da perda de um pai e sua vingança, com a determinação e inteligência de um detetive em uma investigação difícil de solucionar.

Os cenários e locais de filmagem são um caso à parte e trazem um pouco de beleza, a este cenário de violência e terror.

A curiosidade é o resultado negativo de uma “harmonização facial” feita pela atriz Famken Jansen (de X-Men e Perseguição Implacável), que está quase que totalmente irreconhecível.

Espero que gostem de mais uma pequena e rara “intrusão” nas críticas de cinema e séries, mas quando acertam a mão como neste filme, devemos compartilhar a experiência positiva como formadores de opiniões que somos.

Leia mais Críticas