Crítica | O Recepcionista

Estreou há pouco tempo na Netflix um filme chamado O Recepcionista , com um elenco de estrelas que me chamou atenção, já que nunca tinha ouvido falar sobre esse filme.

O Recepcionista
O Recepcionista

Com certeza é mais um exemplo de filme que iria para festivais e exibição em cinema, porém devido a pandemia acabou sendo comprado pela Netflix.

E posso dizer que a produção do filme deu sorte em ter fechado com a na Netflix, que tem diversos filmes somente para preencher catalogo algo que ao meu ver, infelizmente acabou casando com este titulo.

O Recepcionista tinha tudo para ser bom, mas atira para muitos lados e acaba ficando sem foco.

Pela sinopse é um thriller. Para mim, funcionou melhor como um drama, mas é impossível não perceber que o filme tem um roteiro mais furado do que queijo suíço, então haja descrença para comprar este filme como um thriller.

Tye Sheridan é O Recepcionista
Tye Sheridan é O Recepcionista

Tye Sheridan (Jogador No 1) é Bart. Um rapaz de vinte e poucos anos com um nível de Asperger, que lhe permite conviver em sociedade e trabalhar de recepcionista em um hotel.

Porém ele tem um vício: Observar pessoas. E para isso ele coloca câmeras escondidas em alguns quartos do hotel, e com isso grava as pessoas e depois passa o dia re-assistindo estas pessoas e repetindo seus diálogos em uma sala cheia de televisores em sua casa, que é no porão da casa de sua mãe ( A sumida Helen Hunt, de Melhor É Impossível, aqui assustadoramente magra e envelhecida)

Em outros casos, diríamos que ele é um voyeur, mas o roteiro do filme tenta nos convencer que ele faz isso para aprender a se socializar. Aqueles vídeos são treinamentos para ele aprender a se comunicar em sociedade.

Socialização ou Invasão de Privacidade?
Socialização ou Invasão de Privacidade?

Porém num destes vídeos ele presencia uma briga entre um casal e tenta correr até o hotel, porém quando chega lá, a ocupante do quarto está morta e logo ele passa a ser suspeito do assassinato.

Como o dono do hotel gosta muito do rapaz, decide que seria melhor transferi-lo para um outro hotel da rede.

Na sua 1ª noite no novo hotel, ele atende uma bela moça (Ana de Armas , de Entre Facas e Segredos) que tem uma reserva para um quarto, e logo ele a designa para um novo quarto já “preparado” neste novo hotel, e começa a observa-la.

Ana de Armas é a misteriosa Andrea em O Recepcionista
Ana de Armas é a misteriosa Andrea em O Recepcionista

Acontece que a moça é legal, e como teve um irmão com autismo, acaba se apegando ao rapaz, que em seu mundo complicado logo se vê  apaixonado pela moça.

Tye Sheridan está muito bem no papel de autista, principalmente quando desembesta a falar coisas. Ana de Armas também está bem no papel da misteriosa Andrea, e ambos possuem boas cenas juntas.

Porém, infelizmente a intenção do diretor era fazer um thriller e não um drama, então ele vem com um plot twist que parece ser legal, mas para mim foi um desrespeito, pois nada do filme tinha levado e pensar que aquilo podia estar acontecendo.

Juro que fui rever algumas partes do filme para ver se aquilo tinha sentido, mas não tem mesmo.

Acho legal quando um filme me engana, mas não quando ele tira algo da cartola.

E você, já viu este filme? O que achou?

Se você ainda não viu, pare por aqui, e volte após assistir, pois a partir de agora eu vou fazer um trecho com spoilers nesta resenha, para mostrar o que considerei furos de roteiro. Volte depois para conversarmos e ver se você concorda ou não com a minha opinião

FUROS DE ROTEIRO – COM SPOILERS

Eu nao tenho costume de contar spoilers de filmes, mas eu acho que nesta resenha isto faz-se necessário, para eu explicar o porque de não ter gostado do filme.

1º – Furo: a mulher que chega no quarto do hotel.

Bart saia do trabalho às 04:00 hrs. Seu amigo chegou mais cedo neste dia, mas não acho que seja tão cedo assim. A mulher tinha acabado de chegar ao hotel. Super normal uma mulher chegar sem bagagens a um hotel próximo das 04:00 da madrugada, certo!?

A mulher chega e diz que tem uma reserva no nome Perretti. Imagino que seja o nome do seu marido que tinha reservado um quarto para encontrar sua amante. Bart diz que o quarto é X, mas ele muda de ideia e manda a mulher para o quarto Y, que é onde ele tem câmeras.  Ai de repente o homem aparece na janela. Como ele sabia que sua amante estaria naquele quarto se ninguém o informou? Bola de Cristal?

2º – Câmeras no Hotel

O homem chegou pelo jardim e foi direto ao quarto da moça. Não havia nenhuma câmera no hotel. Ainda bem que Bart era voyeur e colocava câmera nos quartos, né?

Trabalho fraquissimo de John Leguizano como detetive. Só faltou bater o ponto para sair às 17:00 e pegar a condução.

3º – A chegada de Andrea no novo hotel

Bart e Andrea - O Recepcionista
Bart e Andrea – O Recepcionista

Quando ela chega no novo hotel, seu namorado ainda não sabia que Bart tinha gravado coisas no quarto do antigo hotel. Somente depois é que o detetive conta para o cara que acharam um chip por lá e mostra aquele vídeo dos pés.

Sendo assim, nada a ver o final querer nos fazer acreditar que Andrea foi àquele hotel para seduzir Bart e conseguir as provas que incriminariam seu namorado.

E se ficara obvio que Bart tinha câmeras no quarto, porque o detetive panaca nunca falou abertamente com Bart e sua mãe pedindo ajuda?

Sem comentarios sobre este detetive, né?

4º – Mãe de filho voyeur.

Eu tenho um filho voyeur e tudo bem??

Bart colocava uma câmera no enorme espelho do quarto. Imagina quanta gente pelada ele não filmou. E mamãe achava tudo normal?

Na verdade parece que ela nem sabia que ele tinha aquele circuito de câmeras no quarto, pois ela nunca comenta nada sobre isso.

O importante é manter a independencia do rapaz. Será que algum psicologo disse isso para ela??

5º – O esquema final

Eu estava aceitando a cena se repetir, com o cara agora tentando bater em Andrea e Bart vendo pela câmera. Eu aceite a coincidência de Andrea ser a amante. Quase nem tinha me tocado do lance da tatuagem, pois a primeira vez que ela aparece é numa imagem muito ruim e o diretor nem deu a devida enfase a cena.

Mas quando percebi que a intenção do diretor era que a gente acreditasse que aquilo foi um plano de  Andrea e do amante para inocenta-lo, o filme perdeu todo o credito, pois como já disse aqui, nada no filme foi feito para isso. Ou seja, o diretor roteirista tirou um coelho enorme da cartola.

Sendo assim, para mim O Recepcionista é um filme 3 estrelas, pelo esforço dos atores.

Tinha tudo para ser bom. Se não quisesse ser tão esperto.

E você, o que achou? Concorda com os pontos citados ou acha que estou errado?

Me diga ai embaixo se concorda comigo ou me ajude a mudar de idéia.

Converse com a gente nos comentários.

E se você curtiu esta resenha, temos muitas outras clicando aqui.

Fique com a gente e nos indique para seus amigos que curtem cultura hype!

Leia mais Críticas