Crítica | Me tira daqui

Me tira daqui!So Not Worth It) foi uma série coreana da Netflix que veio com uma proposta diferente do que estava acostumada nas série coreanas: um sitcom com personagens de várias nacionalidades que precisam conviver em um dormitório para alunos imigrantes em uma universidade na Coreia do Sul.

Sinopse: Na sitcom Me Tira Daqui, destinos diferentes se cruzam pelos corredores de uma residência estudantil em Seul, na Coreia do Sul, que é habitada por jovens de todo o mundo e das mais diversas origens culturais. Entre eles está Se-wan (Park Se-wan), uma assistente de ensino encarregada de administrar o dormitório. Jamie (Shin Hyun-seung), por sua vez, é um estudante americano que acaba de desembarcar no local. Já Sam (Choi Young-jae) é filho do presidente de uma cadeia alimentar global e morou um tempo na Austrália. A tailandesa Minnie (Minnie) sonha em ser atriz e costuma ter muitas fantasias quando assiste a dramas coreanos. Carson (Carson Allen) uma americana que se mudou para a Coréia para viver com seu namorado. Terris (Terris Brown) um jovem do Trindade e Tobago e mestrando em administração, e Hans (Joakim Sorensen) um jovem sueco apaixonado pela cultura coreana. Por fim, Hyun Min (Han Hyun-min) é um garoto de ascendência africana que precisa se deslocar cinco horas por dia para chegar à escola e que vai fazer de tudo para arrumar um quarto na tão desejada residência. Novos amigos, novos amores e novas experiências surgem à medida que todos eles aprendem a conviver com suas diferenças e conseguem se entender.

Para quem gosta de uma mistura de culturas, Me tira daqui é a pedida certa! A série consegue trabalhar varias culturas sem cair na tentação de trabalhar os estereótipos das mesmas. Porém, a série não foge de estereótipos: Hans é o personagem certinho, que obedece a todas as regras, Minnie é a garota apaixonada por k-dramas e doramas e que sonha em encontrar um amor, Se-Wan é a valentona que precisa se esforçar para cuidar de tudo, mas que esconde um bom coração.

O destaque do protagonismo fica com os personagens Se-Wan e Jamie, que formam o clássico casal improvável, pois ela é uma garota que precisa trabalhar em vários empregos para se manter e ainda ajudar a mãe, enquanto Jamie já tem uma família favorecida, mas que acaba trabalhando junto com Se-Wan. Por mais que a personagem de Se-Wan seja um estereótipo comum de comédias românticas, eu consegui me identificar muito com ela, e achei a construção da personagem incrível, pois aos poucos vamos entendendo a história dela e porque ela tem essa personalidade. Jamie é aquele personagem meio bobo, mas que tem um passado secreto e que precisa lidar com seu passado e seu presente no novo país.

A interação entre os personagens principais é bem divertida de se acompanhar, e, com delicadeza e comédia, a série consegue falar de vários assuntos sem se perder muito, de forma sutil, mas clara. Temos relacionamentos, ciúme, esforço, pertencimento, sexualidade, amizade, términos, e tudo sendo trabalhado nas tramas secundárias sem perder o tema original da série.

Me Tira Daqui: conheça o drama coreano de comédia da Netflix - Elfo Livre

Uma coisa que achei forçada na série foi inserirem as risadas típicas de sitcom. Em muitos momentos, as risadas aparecem deslocadas, forçando a graça em situações sem comédia alguma, e, em outra situações que realmente são engraçadas, as risadas estão ausentes.

Algumas situações são forçadas demais para conduzir a trama, tornando alguns momentos bem superficiais, que podem incomodar algumas pessoas como me incomodou.

No geral, Me tira daqui é uma série para assistir para passar o tempo, sem grandes aprofundamentos, mas com algumas reflexões que podem tirar a gente um pouco da zona de conforto. E com muitas, mas muitas referências ao catalogo da Netflix!

Confira o trailer clicando aqui

Koreapost » Me Tira Daqui [Drama]

Leia mais Críticas