Crítica | Mad Max: A Estrada da Fúria

What a day, What a lovely day!!!!

Após ser capturado por Immortan Joe, um guerreiro das estradas chamado Max (Tom Hardy) se vê no meio de uma guerra mortal, iniciada pela Imperatriz Furiosa (Charlize Theron) na tentativa se salvar um grupo de garotas. Também tentanto fugir, Max aceita ajudar Furiosa em sua luta contra Joe e se vê dividido entre mais uma vez seguir sozinho seu caminho ou ficar com o grupo.

E com essa frase que eu começo a review de um dos melhores filmes de ação de todos os tempos e ouso dizer o melhor de 2015, Mad Max Fury Road!!!

Depois de Mad Max 3 Beyond Thunderdome ser lançado em 1985, os fãs da franquia tiveram que esperar 30 anos por outro filme, bom mais a espera valeu a pena e como valeu. O diretor original da trilogia, George Miller, volta para trazer mais um filme de um dos maiores clássicos da cultura pop.

O Filme começa mostrando a terra pós apocalíptica em que Max Rockatansky (Tom Hardy) é sequestrado e levado até a cidadela domínio de Immortan Joe (Hugh Keays-Byrne) para servir como bolsa de sangue ao seus garotos de guerra. Logo em seguida Immortan manda sua imperatriz Furiosa (Charlize Theron) em uma missão de buscar combustível, o que ele não esperava era que sua imperatriz o traísse e fugi-se da cidadela, levando consigo as esposas de Immortan Joe para que fugissem do fardo de serem usadas como parideiras, tomado pela raiva o lorde da guerra parte com seu exercito em busca de Furiosa, Max acaba sendo levado nessa perseguição como a bolsa de sangue.

Muitas pessoas andaram perguntando se é preciso ver os outros 3 Mad Max para ver esse ultimo, e já lhes digo que não, você pode ver tranquilamente sem ter visto seus antecessores, porque a historia que se passa nesse filme é só mais uma das historias que acontecem no universo de Mad Max, ela não envolve diretamente os outros acontecimentos, a unica coisa se tem são citações ou easter eggs durante o longa em relação a trilogia.

Falando do filme em si ele é simplesmente fantástico, já fazia muito tempo em que eu, particularmente, não vibrava tanto com um filme de ação, os efeitos especiais são um colírio para os olhos, apenas uns 20% do filme são CG (Computação Gráfica), todos os carros e explosões são de verdade e feitos graças a excelente produção do filme. George Miller fez um filme para adultos, não ficou enchendo ele com romances, personagens estereotipados ou clichês, longe disso, o filme é recheado de loucura, extravagancia e por incrível que pareca personagem femininas com importância e relevância, fazia tempo que não víamos um filme desse.

Uma crítica que eu vi muita pessoas fazendo ao filme é que não o entenderam direito ou não faz sentido, digo a vocês, que estão acostumados com esse filmes novos de hollywood onde tudo tem que ser explicadinho detalhe por detalhe, que Mad Max não é ruim simplesmente porque você não entende, ao contrário, como disse muito bem o pessoal do Jovem Nerd, ele não te trata como um idiota como os outros filmes fazem, toda a mitologia, toda a logica dele é passada durante o filme, ele não precisa te explicar o porque deles picharem a boca antes de morrer, ou que religião é essa de valhala, etc… Basta prestar atenção no filme que você pega toda a mitologia que aquele futuro pós apocalíptico de George Miller traz, alias com muitas referencias a cultura pop.

Sem contar o visual de tudo no filme é muito bem montado, desde os carros que são um mecânica nova montada para aquele universo, porque não existe mais produtos eletrônicos, até o visual dos personagem, o Immortan Joe está de parabéns, aquela mascara é muito legal. Tanto a direção do filmes quanto a fotografia estão impecáveis, você pode observar toda a panorâmica do deserto e cenas incríveis gravadas de dentro dos carros, sem contar as cenas de ação que não param um segundo, são de tirar o folego e melhor de tudo você entende as cenas, não são simplesmente luta com cortes de edição ou cenas com a câmera tremendo, chegando a deixar filmes como velozes e furiosos no chinelo, além de um carro que um trio elétrico do inferno com tambores de guerra atras e um guitarrista marionete, com um guitarra que cospe fogo, na frente que não para de tocar, se isso não é foda eu não sei mais o que é.

Outro ponto forte do filme é sua trilha sonora, ela é ao mesmo tempo que maluca, como o filme, é empolgante, parece até que o som é um personagem a parte que te acompanha durante todas as cenas, minha recomendação é que você veja esse filme não maior tela que você puder, um IMAX de preferencia, e com o maior som que você conseguir.

Fica ai minha recomendação de um dos melhores filmes de ação dos últimos tempos e com certeza um dos melhores de 2015.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here