Crítica | Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa

 

Importante: Como sempre, essa crítica NÃO TEM SPOILERS!

Recentemente, ao falar dos filmes da Marvel, Martin Scorsese disse que eles não eram cinema e pareciam parques temáticos. Claro que a declaração gerou polêmica e, apesar de não concordar, temos que reconhecer que certas produções (não só da Marvel, é bom deixar claro) deixam de ser simples filmes e viram enormes eventos de escala global. E, se o CINEMA da Marvel é um parque temático, Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa é uma vertiginosa montanha-russa. E das boas.

Depois de ter sua identidade revelada, Peter Parker resolve apelar para a magia e pede ajuda para o Doutor Estranho. O feitiço não sai como o esperado e agora vilões que conhecem a identidade do Homem-Aranha de outras realidades invadem o universo.

Se a expectativa é a mãe da decepção, as chances desse filme decepcionar eram estratosféricas. O filme procura, de forma exemplar, tanto agradar os fervorosos fãs, como seguir evoluindo seu personagem e o colocando em um outro patamar na franquia da Marvel. É muito interessante ver a evolução do personagem nos três filmes dele dentro da franquia. Um garoto que, mesmo em meio a batalhas épicas, aos poucos vai ganhando responsabilidades mais reais.

Tudo isso é embalado pela ótima direção de Jon Watts que também vem demonstrando uma evolução filme a filme. As cenas de ação são vertiginosas, embora algumas ainda sejam um tanto escuras. O roteiro tem ritmo incrível, é tanta coisa acontecendo, um clima de tensão e ansiedade quase constante, que as 2 horas e meia de duração passam voando.

Vale ressaltar os personagens: tanto os principais quanto os coadjuvantes, heróis ou vilões, todos são muito bem trabalhados. A dinâmica entre eles flui muito naturalmente. A química entre o trio Peter, MJ e Ned é deliciosa e funciona tanto no humor, quanto na ação, como na emoção. Tom Holland, Zendaya e Jacob Batalon esbanjam carisma. As atuações estão no ponto certo, até medalhões como Alfred Molina e Willem Dafoe estão bem à vontade nos seus papéis. Inclusive, a emoção é um ponto forte do filme e, em vários sentidos, é uma verdadeira montanha-russa (de novo) de sentimentos.

No entanto, esse tipo de filme requer que o espectador tenha o conhecimento prévio de vários filmes anteriores, extrapolando a própria franquia do MCU, o que passa a impressão de que essa é uma história que vem sendo construída há 20 anos. Isso pode afetar a experiência de desavisados.

Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa é divertido, tenso, colorido, engraçado, tem seus momentos tristes, nostálgicos e se você for assistir nos cinemas, deve enfrentar umas boas filas. No final das contas, estou até tendencioso a concordar com Scorsese e quer saber? Isso não é problema algum!

Leia mais Críticas