Crítica – Homem-Aranha: Longe de Casa (Sem Spoilers)

O Legado de Tony Stark!

Homem-Aranha Longe de Casa acontece após os eventos de Vingadores Ultimato e o plano dos Heróis para restaurar a vida de metade dos seres vivos dizimados pelo titã louco Thanos, que para muitos é considerado o melhor vilão de todos os tempos por ter um plano ousado e executado de forma única pegando os Vingadores  de surpresa,  não sendo capazes de salvar o dia, mas a história e o arco da Marvel depois de quase 11 anos e 22 filmes e tudo que vimos nos cinemas, praticamente fez com que a Marvel alcançasse um patamar seleto e entrasse de vez para o tapete vermelho de Hollywood e estamos aqui para falar de Homem-Aranha Longe de Casa para encerrar a fase 3 da Marvel Studios.

De acordo com os produtores o último filme da fase 3 trariam explicações sobre o desfecho do maior acontecimento do MCU Vingadores Ultimato, e isso acontece  de uma forma bem mais simples do que imaginamos, nós que saímos dos cinemas atônicos e de boca aberta por tantas perdas, claro a forma que  Tony Stark está inserido na vida do novo Homem-Aranha seria um norte e um fator de destaque, e isso é mais que justo já que tudo começou com ele, e  tudo indica que a fase 4 da Marvel será entorno do Homem-Aranha, a forma que  Tony veio preparando o Peter para ser um líder em Longe de Casa vemos uma semelhança com o primeiro filme Homem de Ferro.

O filme traz uma pegada diferente do primeiro Homem-Aranha e percebemos como os Vingadores são reconhecidos de uma forma exemplar pelo feito em salvar a humanidade, percebemos que o Homem de Ferro ganha um destaque maior por se sacrificar por todos, já de cara temos uma abertura diferente do habitual do filmes Marvel, vemos uma bela homenagem ao Tony Stark dos alunos da escola Midtown , os produtores da Marvel aprenderam a usar a forma imbatível de dar explicações, nisso eles acertam mais uma vez explicando o salto temporal de 5 anos, resolveram de uma simples, e conseguimos enxergar algumas consequências da luta entre Heróis e Vilões, podemos ver um pouco o lado das pessoas e como elas lidam com essas situações macros.
Mas o filme em seu primeiro ato fica um pouco sem ritmo, não sei se essa foi a intenção,  mas cai em um consenso geral que a forma que Peter se comporta nos passa a impressão que deveria ser um pouco mais maduro, depois de ter passado por uma batalha com a maior ameaça dos vingadores e se tornar um vingador, parece que ainda falta maturidade, mas podemos e temos que entender que ele ainda é só um adolescente, não podemos cobrar de um menino decisões de um homem. O vilão Mystério  (Jake Gyllenhaal) consegue entregar aquilo que foi proposto, tem seu plot bem apresentado, e suas razões para que seu plano possa ter emassamento, isso mostra que a Marvel tem melhorado com seus vilões, e usa muito bem o fator histórico dos filmes do universo para linkar e poder trazer passado ao vilão e dizer e mostrar que ele sempre existiu, e seus capatazes.
O segundo ato do filme já mostrado e apresentado e mostrado praticamente todos os personagens o filme melhora e dai pra frente só cresce, personagens como a MJ (Zendaya) é uma surpresa agradável, é mais do que aquela personagem do primeiro filme que só fazia tiradas e frases prontas, ela traz profundidade na personagem, percebemos que tivemos uma entrega de atuação devida para a personagem, e podemos dizer que o tempo de tela dela é  bem executado e é peça chave para o filme.

Caminhando para o final do filme praticamente enxergamos que esse Homem-Aranha será bem parecido com  fase dos quadrinhos da  NOVA MARVEL, um Peter que tem recursos para desenvolver seus trajes e lanças teias e muito mais, conseguimos ver que a tia May é mais atuante na vida de Peter e o que deu a entender é que estamos vendo uma corporação Aranha em funcionamento, mesmo assim a atuação e falas dela ( Marisa Tomei) são bem forçadas, mas nada que tira a beleza do filme. A trama do filme é aceitável conforme falei, o primeiro ato bem fraco e lento apesar de  ter seus momentos bons,  o segundo é nos apresentado as razões e a direção que o filme levaria ao  terceiro ato que  é surpreendente, é entregue cenas de ação bem feitas, Homem-Aranha usando e abusando do sentido aranha de uma forma jamais vista no personagem nos cinemas e segurem na poltrona que o final é eletrizante e com certeza vai fazer com que o cabeça de teia enfrente grandes problemas no futuro com as revelações que o  final de Longe de casa traz.

Nota: Fiquem até o fim dos créditos que Homem-Aranha: Longe de Casa tem duas cenas pós créditos.  

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here