Deadpool é um filme onde conheceremos a origem do nosso personagem tagarela. Wade Wilson é um mercenário cuja reputação de ser falastrão o perseguia. Depois de conhecer Vanessa e viver altos romances e uma vida perfeita, Wade descobre estar com câncer e isto destrói todas as expectativas dele de viver. Nisso, um cara misterioso oferece a ele uma chance de se curar, onde passaria por diversos experimentos. Quando tudo parecia perdido, Wade se vê solto daquele laboratório experimental, curado do câncer, mas deformado. Querendo vingança pelo o que fizeram a ele, Wade parte em busca do cientista e responsável chamado Ajax (ou seria Francis?) para além de recuperar sua forma física, resgatar sua ex-namorada.
Partindo desta premissa, o filme passa então a ser uma grande zoeira aos filmes de super-herois lançados anteriormente, encontrando assim uma razão de existir. Em momentos em que este mercado parece cada vez mais se supersaturando, é interessante ver que os estúdios estão tentando trazer produtos diferentes, como a Marvel fez ao transformar Homem-Formiga em um filme de assalto no ano passado.
O filme conta com personagens coadjuvantes bastantes carismáticos e nunca tão bem explorados como Colossus e a Missil Adolescente Megasonico. Obviamente o foco ainda era o Deadpool, mas estes dois tiveram seus momentos de se vangloriar.
O desenvolvimento do Colossus, usando captura de imagens, deu um novo aspecto ao personagem, mostrando um físico mais parecido com as HQ’s e explorando mais profundo seu psicológico comportamental em determinadas situações.
Por não possuir suas múltiplas personalidades, a opção da produção foi trabalhar arduamente em cima das piadas, referencias e quebrar a 4º parede, onde o tagarela falava com o publico que o assistia.
A história do filme é simples e clichê: O protagonista principal passa por experimentos, se revolta contra seu criador e ainda tem que salvar sua amada sequestrada. Se o personagem Deadpool não fosse interessante, cômico, fazendo piadas e referencias a varias outras coisas, o filme seria apenas mais um!
Particularmente sentimos falta de uma possível menção aos X-Men sobre como conhecemos a história de sua criação a partir das HQ’s, Wade se voluntaria para o experimento Arma X e o poder de ser auto curar foi copiado do DNA do Wolverine e nisto, o filme não fala e nem mostra nenhuma relação, tendo um novo surgimento em um novo experimento. Mesmo sabendo que os produtores realmente quiseram distanciar a origem do anti-herói com o universo mutante em geral.
O baixo orçamento também dificultou um pouco, tendo em vista que os efeitos visuais, muito competentes em algumas cenas, se mostram falsos em outras, principalmente em cenas de colisões, onde as partes quebradas de carros, por exemplo, parecem voar sem peso, tirando um pouco da dramaticidade e verossimilhança da cena de ação, algo que poderia ter sido bem explorado até por causa da censura do filme, que permitiu usar de violência gráfica de maneira bem explícita. Um exemplo disso é justamente o clímax do filme, de uma megalomania talvez desnecessária, mesmo sabendo que com aqueles poderes da Míssil Megassônica, uma explosão daquele nível seria inevitável.
Apesar dos problemas citados, o filme é muito bom, sendo fiel as características do Deadpool dos quadrinhos de um modo que nenhum personagem foi adaptado para as outras mídias ainda e é um dos filmes mais engraçados dos últimos anos. Sim, a Fox acertou no alvo desta vez.
REVER GERAL
Nota
9.5
COMPARTILHAR
Fundador - CEO - Designer - Líder da casa Mundo Hype! Desenvolvedor Front End, Designer e Fotógrafo. Apaixonado por cinema, viciado em séries e colecionador de HQs. Super-Heróis favoritos: Iron Man e Spider-Man.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here