Review | Confissões, de Kanae Minato

Review | Confissões, de Kanae Minato

O ditado é clichê mas ele faz sentido: ”A vingança é um prato que se come frio”. No entanto não existe nada mais delicioso do que um livro com uma vingança bem executada e de forma bem calculada.

Ainda que as vezes possa demorar para que a vingança seja concluída, quando isso acontece o sentimento é tão prazeroso e o sorriso que nos floresce aos lábios combina muito bem com um vinho tinto e gelado.

Kanae Minato

Em Confissões de Kanae Minato temos um suspense bem escrito, o livro é cheio de reviravoltas e escrito de forma que fluí e nos deixa presos do inicio ao fim. Escrito em vozes alternadas temos nesse livro drama, violência e questões que nos fazem refletir sobre como temos criado nossos filhos.

Até qual ponto temos criado crianças mimadas que se tornam verdadeiros psicopatas? Essa pergunta me ficou por um bom tempo, não que eu acredite que os pais são responsáveis por tais condutas dos filhos quando eles crescem, porém, nesse livro eu achei interessante como os filhos são sem limite, outros são carentes e outros apenas consequências de todo o caso.

Sinopse: seus alunos mataram sua filha. Agora ela quer se vingar. O mundo da professora Yuko Moriguchi girava em torno da pequena Manami, uma garotinha de 4 anos apaixonada por coelhinhos. Agora, após um terrível acontecimento que tirou a vida de sua filha, Moriguchi decide pedir demissão.

Antes, porém, ela tem uma última lição para seus pupilos. A professora revela que sua filha não foi vítima de um acidente, como se pensava: dois alunos são os culpados. Sua aula derradeira irá desencadear uma trama diabólica de vingança.

Lançado pela editora Vestígio em 2017 o livro segue sendo um grande thriller, esse foi meu primeiro contato com a autora que se mostrou bastante firme em sua escrita fluída e bastante detalhista. Tudo aqui é bem construído e até a conclusão dos fatos o que temos é uma história que é conduzida como um jogo de xadrez.

A vingança ao mesmo tempo que é algo cruel ela é realizada de uma forma bastante que original, a autora trás o sentimento de que vingança é o que Yuko quer mas ao mesmo tempo ela cede algo que seria como uma oportunidade de redenção ao aluno que tanto mal lhe causou.

No fim o que coloca tudo a perder nem mesmo é a vingança mas sim a ambição e o desejo doentio por reconhecimento, a falta de empatia de um dos personagens. Mas do que um livro com trama de vingança e justiça o livro deixa questionamentos enormes no final.

Esse é um livro onde a autora nos mostra como priorizamos desgraças, como acolhemos com afeto a morte e não priorizamos conquistas leves da vida, a autora nos tenta abrir os olhos dizendo aquilo que a minha professora dizia: Desliguem suas televisões de jornais sensacionalistas e vão ler um livro, ouvir uma música e alimentar a alma com coisas que tenham significados realmente.

Em 2010 o livro ganhou uma adaptação pro cinema muito bem realizada e até bastante fiel ao livro. O filme foi adaptado pelo diretor Tetsuya Nakashima, com um elenco bem trabalhado temos a professora Yuko (Takako Matsu) numa entrega bastante incrível pela atriz, afinal ao mesmo tempo que ela carrega uma aparência de doçura temos uma mulher presa a dramas e o desejo por vingança.

O elenco jovem tem uma boa conexão e suas atuações são fortes e sinceras, Yoshiteru Terada (Masaki Okada) é um personagem que me deixou bastante assombrado tanto pelas revelações que temos na história, tanto quanto pela forma como a vingança o afeta.

Naoki Shimomura (Kaoru Fujiwara) é o personagem ambicioso, cruel, calculista e perturbado da história e ele é interpretado de uma forma tão grande que chega nos intimidar. O diretor do filme pegou a grande responsabilidade de adaptar um suspense tão avassalador e transformar ele em um filme muito bem realizado.

E você, já leu este livro? Viu o filme também? Qual a sua opinião?

Converse com a gente nos comentários.

E se você curtiu esta resenha, temos muitas outras clicando aqui.

Fique com a gente e nos indique para seus amigos que curtem cultura hype!

Sobre o autor

Leia mais Reviews

Review | O Mal Nosso de Cada Dia, de Donald Ray Pollock

Desta vez a Darkside não decepcionou: O Mal Nosso de Cada Dia de Donald Ray Pollock é um livrão e vale cada linha lida...

Review | Alma Sombria, de Tillie Cole

Alma Sombria, até o momento, é o melhor livro da série Hades Hangmen que já li até o momento. Tillie Cole sabe como construir...

Review | Ayra, de Andy Collins

Ayra, da autora Andy Collins (que é brasileira, por sinal), foi um livro bem aguardado por mim. Ayra foi publicado pela Editora The Gift...

Kimetsu No Yaiba (Lamina aniquiladora de demônios) – Demon Slayer – VOL 1 – Critica

O Kimetsu No Yaiba (Lamina aniquiladora de demônios) - Demon Slayer é um mangá do gênero Shonen que foi escrito e ilustrado...

Review | Daqui a Cinco Anos de Rebecca Serle

Daqui a Cinco Anos de Rebecca Serle é um lançamento da Editora Paralela e uma grande aposta para quem curte romances. Mas será que o...

Review | O Mal Nosso de Cada Dia, de Donald Ray Pollock

Desta vez a Darkside não decepcionou: O Mal Nosso de Cada Dia de Donald Ray Pollock é um livrão e vale cada linha lida...

Review | Alma Sombria, de Tillie Cole

Alma Sombria, até o momento, é o melhor livro da série Hades Hangmen que já li até o momento. Tillie Cole sabe como construir...

Review | Ayra, de Andy Collins

Ayra, da autora Andy Collins (que é brasileira, por sinal), foi um livro bem aguardado por mim. Ayra foi publicado pela Editora The Gift...

Kimetsu No Yaiba (Lamina aniquiladora de demônios) – Demon Slayer – VOL 1 – Critica

O Kimetsu No Yaiba (Lamina aniquiladora de demônios) - Demon Slayer é um mangá do gênero Shonen que foi escrito e ilustrado...