Crítica | Cidade de Gelo

Em uma semana em que descobrimos que o termo mais procurado no Google foi a palavra Cringe, a Netflix lança em seu catalogo um filme chamado Cidade de Gelo.

Mas o que uma coisa tem a ver com a outra??

Me desculpem os puristas, mas eu não sou nem millenials, nem geração Z, mas para mim o significado da palavra Cringe é o bom e velho brega, que nos acompanha há muitos anos, e que ao mesmo tempo que nos assusta, também nos diverte muito.

Mas porque lembrei disso ao ver o filme novo da Netflix??

Cidade de Gelo é brega? Cidade de Gelo é ruim?

Talvez os mais metidos a intelectuais digam que  sim, mas para mim, Cidade de Gelo foi a surpresa mais cringe que me aconteceu neste ano de 2021. E digo isso com orgulho.

Cidade de Gelo já começa sendo um título curioso do catálogo na Netflix por ser um filme russo.  É engraçado como temos filmes indianos, coreanos, islandeses, espanhóis, turcos, mas até agora eu não tinha visto nenhum russo.

E os russos não chegaram de maneira tímida não. Cidade de Gelo é um filme de encher os olhos, como há tempos não víamos nem no cinema de Hollywood, e toda esta grandiosidade me trouxe uma deliciosa nostalgia, fazendo com que eu passasse longas 2:17 minutos me deliciando com este belo conto de fadas.

Cidade de Gelo, que em russo se chama Patins de Prata, passa-se em São Petersburgo, na Rússia da virada do século XIX para o século XX.

A belissima São Petesburgo é a Cidade de Gelo
A belissima São Petesburgo é a Cidade de Gelo

O filme é uma revisão de muitas histórias que você já viu / leu, e lembra desde Titanic até Romeu e Julieta, mas deixe-se levar que com certeza a experiencia vai sem muito agradável.

Fedor Fedotov
Fedor Fedotov

Em Cidade de Gelo, conhecemos o jovem Matvey (Fedor Fedotov , a versão russa do Homem Aranha Tom Holland). Ele é um menino pobre que trabalha como entregador de comida em São Petersburgo. O I-Food da época, ao invés de moto, usava patins de gelo, já que o inverno na cidade é extremamente frio.  Um dia, ele atrasa sua entrega porque as ruas da cidade são fechadas para a passagem de um aristocrata em sua carruagem, e por isso perde seu emprego.

Matvey precisa de dinheiro, pois seu pai que trabalha acendendo os lampiões a gás da cidade toda noite, está muito doente e precisa de dinheiro para tentar fazer um tratamento num sanatório na Alemanha.

Assim, ele conhece um rapaz chamado Alex na Feira do Gelo (São Petersburgo é famosa por seus canais, e neste filme a feira acontece em cima de um destes canais congelados).

Alex é o líder de uma gangue de jovens rapazes batedores de carteiras, e ao perceber a agilidade de Matvey nos patins, convida-o a fazer parte do grupo.

A gangue de Batedores de Carteira
A gangue de Batedores de Carteira

Sem talento para roubo, mas precisando de dinheiro, ele aceita se juntar aos rapazes, onde realiza um treinamento para aprender a arte de roubar, ao participar de uma aposta com o grupo,  acaba conhecendo a bela Alice, filha de um grande, rico e poderoso aristocrata da cidade.

E como estamos em um conto de fadas o menino pobre e a moça rica se apaixonam.

E continuando os clichês de todo bom conto de fadas, Alice já está prometida em casamento com um Duque que trabalha na “polícia” da cidade e está tentando acabar com a gangue de batedores da Feira do Gelo.

Mas para apimentar e modernizar um pouco mais a história, Alice ainda quer estudar e formar-se em química, como uma predecessora de Marie Curie, porém na Russia daquela virada de século, uma mulher só poderia estudar com a permissão de seu pai ou marido, portanto a vida da mocinha não é nada simples.

E assim, temos ai nossos problemas clássicos de contos de fadas.

Matvey e Alice. O belo casal de Cidade de Gelo
Matvey e Alice. O belo casal de Cidade de Gelo

E lá vamos nós lutar com os personagens para que eles cheguem no tão almejado final “ e viveram felizes para sempre…”

Com uma produção excepcional, em cenários suntuosos, figurinos maravilhosos e um CGI que nos confunde entre o que é real e o que foi criado em computador, somos tragados para a Russia de 1900 e isso é uma delícia.

Tudo exagerado? Sim… mas porque não??

Uma das festas nos palacetes russos de Cidade de Gelo
Uma das festas nos palacetes russos de Cidade de Gelo

Muitas vezes durante o filme eu me perguntei o que levou alguém a fazer um filme assim em pleno 2021, mas ai pensei:

Ainda bem que alguém quis fazer um filme assim em pleno 2021.

Para mim o único defeito foi que o filme é um pouco longo demais, mas como tudo é tão bem encaixado no roteiro, atuações e produção, até este tempo da exibição valeu a pena.

A belissima Sonya Priss, de um desenho da Disney de princesas.
A belissima Sonya Priss, de um desenho da Disney de princesas.

O filme ainda traz bastante críticas sociais, mostrando bem a diferença de classes existentes na época e tendo o grupo de Alex se colocando como verdadeiros Robin Hoods, que não estão roubando, mas sim “redistribuindo a renda de maneira igualitária”.

Preciso frisar ainda as divertidíssimas, bem filmadas e coreografadas cenas de perseguição de patins pelo canal congelado e a beleza de filme de época da atriz russa Sonya Priss, que faz o papel de Alice e cuja beleza parece que saiu de um desenho da Disney de princesas.

Não tem o que fazer no próximo domingão??

Faça uns baldões de pipocas, ligue sua TV e bora lá patinar pelos maravilhosos canais russos e acompanhar esta bela história de amor.

Será que eles vão conseguir ficar juntos?

Bora lá descobrir!

Te garanto que vai terminar seu fim de semana rejuvenescido!

Cringe, ou não!

E você, já assistiu Cidade de Gelo?  O que achou deste filme?

Converse com a gente nos comentários.

E se você curtiu esta resenha, temos muitas outras clicando aqui.

Fique com a gente e nos indique para seus amigos que curtem cultura hype!

 

Leia mais Críticas