Crítica – Agents of S.H.I.E.L.D. – 2° Temporada

Semana passada começamos um Levando a Série sobre Agentes da Shield, hoje dando continuidade, trago pra vocês um pouco sobre a segunda temporada.

Tendo sua estreia no dia 23 de setembro de 2014, essa temporada da série, também teve um total de 22 episódios, sendo finalizada no dia 12 de maio de 2015. Durante o hiatus dessa temporada, fomos apresentados a nova série da Marvel, Agente Carter, que como eu falei aqui, passa durante essa pausa que Shield tem no começo de todo ano.

Depois de uma primeira temporada bastante conturbada e cheio da altos e baixo, Agentes da Shield parece finalmente ter se encontrado. Tivemos uma temporada bem consistente, com pouquíssimos episódios soltos, se mantendo centrado no tema principal, que dessa vez tratou dos Imnumanos, abrindo caminho para eles nas telonas.

Com a Shield destruida pela Hydra, Ward mostrando que era um traidor e causando um grave acidente com Jemma e Fitz e com a descoberta sobre o pai da Skye, terminava a primeira temporada. O que levou a um começo da segunda temporada em que Coulson agora é diretor da organização ao mesmo tempo em que trabalha para reconstruir a Shield secretamente.

Os episódios seguiram um ritmo frenético, apresentando sempre novos
elementos – o artefato misterioso capturado pela Agente Carter, o mapa para a cidade alienígena, novos vilões como o Homem-Absorvente e o nazista e uma das cabeças da Hydra, Daniel Whitehall e novos heróis, como Bobbi Morse e Lance Hunter. A introdução de elementos alienígenas deu personalidade à série. Um mistério que ajudou no desenvolvimento de todo o elenco. A Hydra demonstrou também que continua sendo uma das principais ameaças
aos agentes, criando uma bela ponte com o filme Vingadores: Era de Ultron.

Essa temporada com certeza foi uma luz no fim do túnel para os fãs de Agents of Shield, demonstrando o tamanho da importância da série
no Universo Marvel e introduzindo novos conceitos que veremos
futuramente nos cinemas.