Crítica | A Guerra do Amanhã

Boa noite aos amigos do Mundo Hype.

Hoje vou falar de uma ficção de qualidade que está presente no catálogo da Amazon Prime Vídeo: “A Guerra do Amanhã“.

Vem comigo na resenha !!!

De início vamos à parte técnica:

Sinopse: Em “A Guerra do Amanhã“, a humanidade está perdendo uma batalha global contra uma espécie mortal de alienígenas em 2051. Para garantir a sobrevivência dos humanos, soldados e civis do presente são transportados para o futuro e se juntam à luta, entre eles Dan Forester (Chris Pratt), um pai de família determinado a salvar o mundo.

Elenco: Chris Pratt  (Dan Forester), J.K. Simmons (James Forester)….entre outros.

Como visto acima na sinopse, no início do filme nos é mostrado que a população do planeta Terra recebe um aviso inusitado, trazido por uma força tarefa vinda do futuro para os nossos dias.

A mensagem é terrível: no futuro a população da Terra está sendo dizimada por uma invasão alienígena, e por estar em menor número é necessário que soldados do passado viajem ao futuro para combater esta ameaça (e isso é possível graças ao desenvolvimento da tecnologia de um portal de viagem no tempo).

Primeiro vão os soldados de todos os exércitos da Terra e por serem necessários, vão logo em seguida os civis. Dan Forester (um simples professor de ciências, mas com experiência militar) é convocado.

A viagem no tempo é turbulenta e imprecisa, provocando a perda de muitos soldados na chegada ao futuro. E os sobreviventes tem pela frente os alienígenas conhecidos como “garras brancas” (de aparência horripilante e selvageria extrema).

O filme tem pitadas de “Alien – O Oitavo Passageiro” (as câmaras de gestação lembram muitos os ovos) e mexe com um assunto que gosto muito: viagens no tempo.

O tema central do filme são “as segundas chances” que envolvem os personagens (em especial entre pai e filho).

Diverte e prende a atenção….vale a pipoca e o guaraná !!!

Espero que gostem de mais uma pequena e rara “intrusão” nas críticas de cinema e séries, mas quando acertam a mão como neste filme, devemos compartilhar a experiência positiva como formadores de opiniões que somos.

 

Leia mais Críticas