Cobertura do Festival Guia dos Quadrinhos 2016!

Festival Guia dos Quadrinhos 2016

O Festival Guia dos Quadrinhos aconteceu entre os dias 9 e 10 de Abril deste ano de 2016 se apresentando como maior do que 2015 com muitas novidades. E quem foi ao evento não se decepcionou com os debates dos estandes e com as resenhas bem nerds com cada autor ou lojista de quadrinhos que compareceu ao Club Homs, na Avenida Paulista em São Paulo.

A entrada do evento logo no sábado foi bem tranquila, com o público pegando uma leve fila mas ganhando valiosos brindes, dez cards da coleção que traz capas e informações sobre as mais famosas revistas em quadrinhos lançadas no mercado brasileiro. Com homenagens à O Tico-Tico nº1 (Editora O Malho, 1905); Suplemente Juvenil nº1 (Editora GCSN, 1934); Gibi: Edição de São João (Editora O Globo, 1942); Raio Vermelho nº1 (Editora Abril, 1950); Pererê nº1 (Editora O Cruzeiro, 1960); Zé Carioca nº479 (Editora Abril, 1961); O Vigilante Rodoviário nº1 (Editora Outubro, 1962); Capitão América nº1 (Editora Abril, 1979); Chiclete com Banana nº1 (Editora Circo, 1985) e Akira nº1 (Editora Globo, 1990).E quando davam de cara com o grande salão, viam aquilo que estavam querendo ver quando saíram de suas casas pegando um sol de 33ºc: Mesas cheias de quadrinhos à venda, artistas independentes com seus talentosos trabalhos à mostra, produtos especializados para o público nerd e muita nostalgia.

Encontramos certas raridades que não se vê todo dia por ai no Mercado/Mercenário Livre ou Facebook. A possibilidade de pegar manusear aquele material que você só ouvia falar e sentir a história das histórias em quadrinhos ali entre seus dedos, não tínhamos palavras para descrever, apesar de nosso bolso apertado e falido nos trazer a realidade. Preços aliás, que não estavam tão doces e amáveis como muitos esperavam, apesar de não generalizado. Apesar de entendermos que a crise econômica e política do Brasil não deixarem os lojistas à abaixarem muito os preços, o bolso dos leitores também apertaram e logo todos ficaram reféns das pechinchas, rolando um d20 de carisma para tentar não acumular dívidas comprando produtos à prazo em um desesperado cartão de crédito.

Festival Guia dos Quadrinhos 2016

Sentimos falta de mais produtos nerds como camisetas femininas e masculinas, botons, almofadas e afins, em comparação com outros eventos. Porém, foi nítida as milhares de opções de lojistas e colecionadores para servirem de filtro de pesquisa para se conseguir aquela HQ que faltava na coleção, ou para obter finalmente um arco fechado de formatinhos, ou até mesmo, o ponto de partida para uma bela caminhada para obter mais conhecimento sobre algum personagem clássico ou obscuro até aquele momento. Entretanto, notamos que o espaço entre as mesas, principalmente nos corredores, estavam muito estreitos para a quantidade de pessoas que foram ao evento. E isso é bom, pois mostra que o público deu um retorno melhor do que o esperado, pressionando assim a organização do Festival à ampliarem o seu espaço para o ano que vem. Será que a demanda vai ser atendida?

O auditório principal com certeza era o ambiente melhor ventilado, tranquilo e afável do evento. Foi muito bom poder se concentrar e parar por um instante em meio à correria de correr de mesa em mesa com olhos atentos para começar a pensar e a argumentar nem que seja consigo mesmo em meio aos debates propostos pelo Festival. Com destaques à Novos Negócios Nerds e o sobre DC e Marvel no mercado dos quadrinhos de escala mundial à nacional, que nos trouxeram grandes pontos para se refletir em meio ao nosso universo que está cada vez mais grande. Apesar de grandes mediações trazendo questões pertinentes, o tempo para perguntas do público acabou sendo muito pequeno, necessitando de mais organização de tempo.

Festival Guia dos Quadrinhos 2016

O ambiente esteve bem ventilado, com o poder de um ambiente fechado e com poderosos super-heróis chamados popularmente de ar-condicionados. Opções para alimentação se tinha, porém, com espaço pequeno para quem queria se sentar e descansar de ficar horas em pé andando para diversas direções em um espaço curto de tempo. E como não poderia faltar, deixo aqui os parabéns aos cosplayers que alegraram o evento com seu “fan service”, compartilhando-o com os seus espectadores. Fora que com certeza, em 2017 estaremos lá novamente!

Mais novidades que foram reveladas no evento e materiais que foram cedidos para vocês conhecerem mais de perto, vocês verão em postagens futuras no MN! Fique ligado!